Notas sobre o ensino de Português como Língua Estrangeira

aspectos universais e particulares - das línguas e dos falantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL34-v12n2a2018-6

Palavras-chave:

Português como Língua Estrangeira, Aquisição da linguagem, Inatismo

Resumo

O presente trabalho discute implementações didático-pedagógicas para o ensino de Português como Língua Estrangeira (PLE) tanto sob a ótica do perfil sociopolítico dos aprendizes quanto do seu ponto de vista estritamente linguístico – ambas as discussões sobretudo à luz do modelo do monitoramento de Krashen (1982). Além disso, seguindo Chomsky (1959), Krashen (1982) e White (2003), este trabalho reflete sobre posições metodológicas no contexto de PLE que se valem de pressupostos inatistas para a aquisição da linguagem e sobre diferenças entre aquisição de primeira e segunda língua. Finalmente, no cotejo das abordagens social e biolinguística, este trabalho conclui que elas não são mutuamente excludentes e que, aplicadas conjuntamente, podem otimizar a elaboração de aulas e projetos de português para falantes não nativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Sartori Resende, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Bacharel em Linguística e licenciado em Letras Português pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em Linguística pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), atualmente é aluno do Programa de Doutorado em Linguística da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Tem experiência no ensino de português como segunda língua e no ensino de latim; além disso, tem interesse por teoria e análise linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: processos de nominalização, aspecto, verbos modais, linguística histórica.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Ensino de português língua estrangeira/EPLE: a emergência de uma especialidade no Brasil. In: LOBO, T.; CARNEIRO, Z.; SOLEDADE, Juliana; ALMEIDA, A.; RIBEIRO, S. (Orgs.). Rosae: linguística histórica, história das línguas e outras histórias. Salvador: UFBA, 2012. p. 723-728.

ALTENHOFEN, C. V. A aprendizagem de português em uma comunidade bilíngue do Rio Grande do Sul: um estudo de redes de comunicação em harmonia. 1990. 242f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

ALVES, U. O ensino das fricativas coronais do português (LE) para falantes do espanhol: análise de livro didático. In. SILVEIRA, R.; EMMEL, I. (Orgs.) Um retrato do português como segunda língua: ensino, aprendizagem e avaliação. Campinas: Pontes, 2015. p. 75-96.

CAMPETELA, C. Proposta de material didático para ensino e aprendizagem de português como segunda língua em escolas indígenas. Macapá, Letras Escreve, v. 4, n. 1, 2014. p. 107-127.

CASTRO, P. B. Produção escrita: encontros e desencontros entre os livros didáticos de português do Brasil para estrangeiros e o exame Celpe-Bras. 2009. 131f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.

CHOMSKY, N. Review of “Verbal behavior” by B. F. Skinner. Language, v. 35, n. 1, 1959. p. 26-58. https://doi.org/10.2307/411334

COSTA, J.; SANTOS, A. L. A falar como os bebés: o desenvolvimento linguístico das crianças. Lisboa: Caminho, 2003.

GONÇALVES, J.; PEIXOTO, M. A. O menino selvagem: estudo de caso de uma criança selvagem retratado no filme “O menino selvagem”. Universidade de Lisboa, 2000-2001.

KRASHEN, S. D. Principles and practice in second language acquisition. Oxford: Pergamon, 1982.

LIGHTBOWN, P. M.; SPADA, N. How languages are learned. 3. ed. Oxford: Oxford University, 2006.

PEREIRA, M. C. C. O ensino de português como segunda língua para surdos: princípios teóricos e metodológicos. Curitiba, Educar em revista, n. 2, 2014. p. 143-157.

FINGER, I.; QUADROS, R. M. (Orgs.). Teorias de aquisição da linguagem. Florianópolis: UFSC. 2008.

RESENDE, M. S. Aquisição da linguagem. In: SEMANA DE PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA, 9, 2010, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2010.

______. Professor de Português como Língua Estrangeira: a ascensão de um novo profissional. Pato Branco, BR-1010, 2016. p, 4.

WHITE, L. Second language acquisition and universal grammar. Cambridge: Cambridge University, 2003. https://doi.org/10.1017/CBO9780511815065

Downloads

Publicado

29-06-2018

Como Citar

RESENDE, M. S. Notas sobre o ensino de Português como Língua Estrangeira: aspectos universais e particulares - das línguas e dos falantes. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 871–891, 2018. DOI: 10.14393/DL34-v12n2a2018-6. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/39588. Acesso em: 16 ago. 2022.