Modalização em artigos científicos da área da Linguística

Autores

  • Valdete Andrade Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Luiz Carlos Travaglia Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL30-v11n3a2017-17

Palavras-chave:

Artigo científico, Modalidades, Argumentação

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar as modalidades no gênero artigo científico da área da Linguística e as funções que elas exercem como marcadores de atitudes do falante, verificando sua relação com a argumentatividade nesse gênero de texto. Sabemos que ao produzir textos as pessoas sempre os modalizam. Nossa hipótese é que nos artigos científicos as modalidades têm funções ligadas à argumentação. Para o desenvolvimento da pesquisa, fizemos um estudo teórico do texto e do discurso sob o ponto de vista de Bakhtin (1997) e Travaglia (1991), e investigamos a estrutura argumentativa desse gênero, tomando como base teórica Perelman e Olbrechts-Tyteca (2002). A metodologia que optamos é de caráter qualitativo, focalizando os aspectos linguísticos e sociais do gênero artigo científico da área da Linguística. Neste estudo, observamos que, para ganhar a adesão do leitor, os autores utilizam as modalidades epistêmicas em toda a construção do texto, entretanto, verificamos que esse tipo de modalidade apresenta diferentes funções para cada uma das partes da superestrutura do texto. Já a modalidade volitiva aparece apenas na introdução e no final da conclusão para marcar intenções e pretensões. Observamos também que nos artigos científicos as modalidades mais usadas são as epistêmicas, aléticas e deônticas, enquanto as volitivas e imperativas pouco aparecem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Travaglia, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professor e pesquisador na área de Língua Portuguesa e Linguística do Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Site: www.ileel.ufu.br/travaglia

Referências

AQUINO, Z. G. O. Conversação e conflito: um estudo das estratégias discursivas em interações polêmicas. 1997. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

ARRUDA-FERNANDES, V. M. B. Pressuposição, argumentação, ideologia: análise de textos publicitários. 1997. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 1997.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Trad. Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BENTES, A. C. Linguística Textual. In: MUSSALIN, F.; BENTES, A. C. Introdução a linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001. v. 2, p. 245- 285.

CARDOSO, S. A. Caracterização/escolha, presença e comunhão no anúncio publicitário: uma análise linguístico-discursiva. 2010. 229 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Letras e Linguística, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2010.

CASTRO, C. de M. Estrutura e apresentação de publicações científicas. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1976.

CORACINI, M. J. Um fazer persuasivo. O discurso subjetivo da ciência. São Paulo: Pontes, EDUC, 1991.

GUIMARÃES, E. R. J. Modalidade e argumentação lingüística. São Paulo, Tese de Doutorado/USP, 1979.

GUIMARÃES, E. Modalização e discurso científico. In: Congresso Internacional de Pragmática, 9., 2005, Trento. Trento: Universidad de Riva del Garda, 2005. Comunicação.

ILARI, R. Advérbios modalizadores. ILARI, R. (org.). Gramática do português falado. Campinas, SP: Unicamp, 2002.

KOCH, I. V. Argumentação e Linguagem. 4 ed. São Paulo: Cortez, 1996.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. Brasil: Atlas, 1982.

NEVES, M. H. de M. Gramática de usos do português. São Paulo: UNESP, 2000.

PLATÃO, S.; FIORIN, F. Lições de texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 1996.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SWALES, J. English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

TRAVAGLIA, L. C. O relevo no Português falado: tipos e estratégias, processos e recursos. In: NEVES, M. H. M. (Org.). Gramática do Português falado. V. VII: Novos estudos. 1a. ed. São Paulo / Campinas, SP: Humanitas / Editora da UNICAMP, 1999, p. 77-130.

TRAVAGLIA, L. C. Um estudo textual-discursivo do verbo no Português do Brasil. Campinas: UNICAMP/ IEL, Tese de Doutorado, 1991.

VAN DIJK, T. A. La ciência del texto: um enfoque interdiciplinario. Buenos Aires/Barcelona, Paidós, 1983.

ANEXO 1: Corpus – Artigos de Linguística utilizados na análise.

BORBA, F. S. A informação gramatical nos dicionários. Alfa, São Paulo, v. 51, n. 1, p. 137-149, 2007. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1429/1130. Acesso em: 10 jun. 2009.

CORACINI, M. J. Pós-modernidade e novas tecnologias no discurso do professor de língua. Alfa, São Paulo, v. 50, n. 1, p. 7-21, 2006. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/viewFile/1392/1092. Acesso em: 10 jun. 2009.

FARAH, A. G. Passarinho me contou: um canto polifônico. Letras & Letras, Uberlândia, v. 24, v. 2, p. 209-223, jul./dez. 2008. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/25404. Acesso em: 21 out. 2009.

FIORIN, J. L. Semiótica das paixões: o ressentimento. Alfa, São Paulo, v. 51, n 1. p. 9-22, 2007. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1424. Acesso em: 10 jun. 2009.

GRAEFF, T. F. Encadeamento argumentativo e encapsulamento anafórico. Letras de Hoje, [S.l.], v. 42, n. 2, jan. 2008. ISSN 1984-7726. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/face/ojs/index.php/fale/article/view/2420/1894. Acesso em: 30 out. 2009.

GRIGOLETTO, M. Documentos de identidade: a construção da posição “sujeito-professor” nos livros didáticos de inglês. Letras & Letras, Uberlândia, v. 19, n 1, p. 75-84, 2003.

KOCH, I. G. V. Hipertexto e construção do sentido. Alfa, São Paulo, v. 51, n 1, p. 23-28, 2007. Disponível em: http://piwik.seer.fclar.unesp.br/alfa/article/viewFile/1425/1126. Acesso em: 7 ago. 2009.

MIRANDA, C. E. S. Mídia e identidade: a construção do discurso amoroso em revistas femininas. Letras & Letras, v 22, n 2, p. 65-84, jul./dez. 2006. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/25233/14048. Acesso em: 21 out. 2009.

NEVES, M. H. de M. A gramática e suas interfaces. Alfa, São Paulo, v. 51, n 1, p. 81-98, 2007. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/1427/1128. Acesso em: 07 ago. 2007.

PIOVEZANI, C. Saussure e o discurso: O Curso de Linguística Geral lido pela análise do discurso. Alfa, São Paulo, v. 52, n 1, p. 7-20, 2008. Disponível em http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/4172/3770. Acesso em: 13 jun. 2009.

Downloads

Publicado

02-08-2017

Como Citar

ANDRADE, V.; TRAVAGLIA, L. C. Modalização em artigos científicos da área da Linguística. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 3, p. 822–850, 2017. DOI: 10.14393/DL30-v11n3a2017-17. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/37206. Acesso em: 14 ago. 2022.