Interação em rede social

das reações às características do gênero comentário

Autores

  • Roberlei Alves Bertucci UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Paula Ávila Nunes UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL29-v11n2a2017-3

Palavras-chave:

Gênero textual, Facebook, Netvizz, comentários, reações

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a relação entre o gênero comentário em uma página no Facebook e reações de usuários nesse contexto. Consideramos que a navegação e a leitura que os usuários fazem na rede devem ser relacionadas (COSCARELLI, 2016) e que o modo de interação nesse ambiente pode variar do mais básico (reação como “curtir”, “amar”, “rir” etc.), passando pelo compartilhamento até o comentário, possivelmente o nível mais profundo de interação dos usuários com uma publicação. Se estes participam da rede por questões de afinidade (RECUERO, 2012) e fazem uso de seu excedente cognitivo para criar uma cultura de participação nesses espaços (SHIRKY, 2011), pressupõe-se que determinados temas sejam mais convidativos à interação, o que se tenta verificar pelo conjunto das reações analisadas. Espera-se que, por meio delas e de sua relação com o texto a que se referem, seja possível prever as características do comentário realizado e do tipo de texto comentado. Assim, a partir da extração de dados pelo aplicativo Netvizz de uma página específica na rede, recortaremos nosso objeto às reações “odiar”, levantando a hipótese de que essa reação deve indicar um tópico polêmico ou de insatisfação do grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberlei Alves Bertucci, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Graduou-se em Letras Português-Inglês pela PUCPR (2004); é mestre em Letras (Estudos Lingüísticos) pela UFPR (2007) e doutor em Lingüística pela USP (2011), tendo feito parte de seu doutorado na Université Paris 8 (2009-2010). Desenvolveu a pesquisa de pós-doutorado na Bar-Ilan University em Israel (2012). Atualmente é professor na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Interessa-se por diferentes processos gramaticais (formais) de produção de sentido em línguas naturais, como: sintaxe, semântica e pragmática das línguas naturais, em especial o português brasileiro; descrição e análise linguística nos domínios verbal e nominal, em especial por meio de ferramentas tecnológicas; e aplicação de fundamentos e descobertas linguísticas a ferramentas tecnológicas digitais.

Paula Ávila Nunes, UTFPR - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

possui graduação em Licenciatura em Letras (Português/Inglês) e doutorado em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialidade Estudos do Texto e do Discurso. Realizou estágio pós-doutoral na mesma Instituição, como bolsista CAPES/REUNI, com o projeto "A especificidade da enunciação escrita e suas implicações pedagógicas: uma contribuição para o ensino de leitura e produção textual em nível acadêmico". Atualmente, é professora de Língua Portuguesa e Linguística do Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação (DALIC) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BARTON, D.; LEE, C. Linguagem online: textos e práticas digitais. Trad. Milton Camargo Mota. 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

COSCARELLI, C. V. Navegar e ler na rota do aprender. In: COSCARELLI, C. V. (Org.) Tecnologias para aprender. São Paulo: Parábola, 2016.

FREIRE, C. P. Método de monitoramento de redes sociais: epistemologia, técnicas e propostas de mineração de banco de dados para conteúdos gerados por fãs de telenovela em redes sociais. Tese de doutorado. Escola de Comunicação e Artes. Ciências da Comunicação. Universidade de São Paulo, 2015.

FISCHER, S. R. História da escrita. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

GNANADESIKAN, A. E. The writing revolution: cuneiform to the Internet. Chichester: Willy-Blackwell, 2009.

GRINSPUN, M. P. S. Z. (Org.). Educação tecnológica: desafios e perspectivas. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

JENKINS, H.; GREEN, J.; FORD, S. Cultura da conexão: criando valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Editora ALEPH, 2014.

LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 7. ed. Porto Alegre: Sulina, 2015.

LIMA, C. Cibercultura, ciberlinguagem e cibereducação. São Paulo: Editora Biblioteca24horas, 2012.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P. et al. (org.) Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002, p. 19-36.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In: MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 3. ed. São Paulo, Cortez, 2010.

MARCUSCHI, L. A.; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 3. ed. São Paulo, Cortez, 2010.

MARTÍNEZ, F. S. Impacto socio-cultural de las tecnologías. Murcia (Espanha): Umtv (Universidad de Murcia), 2015. (8 min.). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eOu9exw-Pv0. Acesso em: 22 maio 2016.

PINTO, Á. V. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro, Contraponto: 2005.

POE, M. T. A history of communications: media and society from the evolution of speech to the Internet. New York: Cambridge University Press, 2012.

RECUERO, R. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2012.

SANTOS, E. P.; ALVES FILHO, F. O plurilinguismo no gênero comentário online: encontro e confronto entre muitas vozes sociais. Revista FSA, Teresina, v. 11, n. 2, abr./jun. 2014, p. 301-317. Disponível em: http://www4.fsanet.com.br/revista/index.php/fsa/article/view/502 Acesso em 24. nov. 2016.

SHIRKY, C. A cultura da participação: criatividade e generosidade no mundo conectado. Tradução: Celina Portocarrero. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002.

VARGAS, M. Prefácio. In: GRINSPUN, M. P. S. Z. Educação tecnológica: desafios e perspectivas. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009. p. 7-19.

WAGNER, R. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

WOLTON, D. Internet, e depois? Uma teoria crítica das novas mídias. 3ª edição. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.

XAVIER, A. C. A era do hipertexto: linguagem e tecnologia. Recife: Pipa Comunicação, 2013.

Downloads

Publicado

14.02.2017

Como Citar

BERTUCCI, R. A.; NUNES, P. Ávila. Interação em rede social: das reações às características do gênero comentário. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 11, n. 2, p. 313–338, 2017. DOI: 10.14393/DL29-v11n2a2017-3. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/36921. Acesso em: 5 dez. 2022.