Estratégias acústico-articulatórias empregadas por anglofalantes na pronúncia do tap alveolar no português brasileiro

Autores

  • Cirineu Cecote Stein UFPB

Palavras-chave:

Tap alveolar, vogal epentética, fonética acústico-articulatória, português como língua estrangeira

Resumo

o aprendizado de uma língua estrangeira implica não apenas a aquisição de uma nova estrutura morfossintática e lexical, como também a de estratégias articulatórias necessárias à pronúncia das palavras dessa língua, especialmente nos casos em que não há coincidência entre o quadro fonêmico da L2 e o da L1. Este artigo focaliza algumas estratégias utilizadas por aprendizes anglofalantes do português brasileiro para a pronúncia da consoante tap alveolar [4], tanto em posição intervocálica quanto em posição de encontro consonantal, apresentando a fundamentação acústico-articulatória envolvida em cada uma delas. Como estratégias mais produtivas, identificaram-se os usos da consoante aproximante alveolar [£]; da qualidade lateral; de uma vogal epentética entre a consoante obstruinte e o tap alveolar, nos encontros consonantais; e de uma consoante vibrante alveolar [r].

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cirineu Cecote Stein, UFPB

Doutor em Letras Vernáculas pela UFRJ, Professor Adjunto do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da UFPB.

Downloads

Publicado

04-02-2011

Como Citar

STEIN, C. C. Estratégias acústico-articulatórias empregadas por anglofalantes na pronúncia do tap alveolar no português brasileiro. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 124–153, 2011. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11542. Acesso em: 23 maio. 2022.