Gentílicos e topónimos portugueses

algumas questões

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-11

Palavras-chave:

Gentílicos, Onomástica, Toponímia, Português europeu, Português brasileiro

Resumo

Gentílicos são adjetivos ou substantivos que referem uma relação com um topónimo nacional ou regional. Há várias formas de obter este tipo de palavras em português e não há regra claras que permitam tornar a escolha previsível. Na verdade, os gentílicos sofrem um efeito de tradição que pode torná-los muito diferentes dos topónimos a que se referem (por exemplo, a utilização de formas latinas ou latinizadas para um gentílico, mas não para o topónimo, resulta num par pouco transparente, como Castelo-Branco/albicastrense). Por outro lado, o português dispõe de um grande número de sufixos para a derivação deste tipo de palavras:  Polónia-polaco; México-mexicano; França-francês; Espanha-espanhol. Esta multiplicidade de escolhas gera contrastes entre o português europeu e o português brasileiro: por exemplo, polaco e polonês ou canadiano e canadense. O estudo dos gentílicos não tem atraído a atenção dos linguistas portugueses. Existe um antigo vocabulário geográfico (BERGSTROM e REIS), publicado desde 1955, que enumera cerca de 200 gentílicos portugueses e define formas portuguesas para gentílicos estrangeiros (como Oxónia ou Ausburgo). Um vocabulário mais recente, o Dicionário de Gentílicos e Topónimos, levanta novamente a questão da normalização dos gentílicos e altera alguns deles. No entanto, nem todas as palavras listadas neste dicionário estão realmente presentes no uso contemporâneo do português. O presente trabalho consiste numa descrição e análise crítica deste léxico (por amostragem), procurando encontrar padrões dominantes e fatores de variação, nomeadamente históricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Esperança Cardeira, Universidade de Lisboa

Doutora em Linguística, Universidade de Lisboa (Faculdade de Letras e Centro de Linguística).

Alina Villalva, Universidade de Lisboa

Doutora em Linguística, Universidade de Lisboa (Faculdade de Letras e Centro de Linguística).

Referências

ANDRADE, A. R., Diccionario Chorographico do reino de Portugal. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1878. Disponível em: https://purl.pt/13921/5/. Acesso em: 08 set. 2020.

BAPTISTA, J.; OLIVEIRA, J. J. B., Chorographia moderna do Reino de Portugal. Lisboa: Typ. da Academia Real das Sciencias, 1874-1879, 7 vol. Disponível em: https://books.google.pt/books?id=FOlWAAAAMAAJ&printsec=frontcover&hl=pt-PT#v=onepage&q&f=false/. Acesso em: 09 set. 2020.

BARREIROS, G., Chorographia de alguns lugares que stam em hum caminho que fez Gaspar Barreiros ó anno de M.D.xxxxvj. começando na cidade de Badajoz em Castella te á de Milam em Italia; com algumas outras obras cujo catalogo vai scripto com os nomes dos dictos lugares na folha seguinte, 1561. Disponível em: https://archive.org/details/chorographiadeal00barr/. Acesso em: 08 set. 2020.

BERGSTROM, M.; REIS, N., Prontuário Ortográfico e Guia da Língua Portuguesa. Lisboa: Diário de Notícias, 1955.

BETTENCOURT, E. A. Diccionario chorographico de Portugal e Ilhas Adjacentes contendo as divisões administrativa, judicial, eclesiastica e militar ultimamente decretadas. Lisboa: Typographia Universal, 18853 [1870].

BLUTEAU, R., Vocabulario portuguez e latino. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesu; Lisboa Occidental: Off. de Pascoal da Sylva. 10 v. v. 1-2, 1712; v. 3-4, 1713; v. 5, 1716; v. 6-7, 1720; v. 8, 1721; Suplemento 1, 1727; Suplemento 2, 1728. Disponível em: https://dlc.ua.pt/DICIweb/. Acesso em: 10 jul. 2020.

CARDOSO, L. Diccionario geografico ou noticia historica de todas as cidades, villas, lugares, e aldeas, rios, ribeiras, e serras dos Reynos de Portugal e Algarve, com todas as cousas raras, que nelles se encontrão, assim antigas, como modernas. Lisboa: Regia Officina Silviana, 1747-1751, 2 vol. Disponível em: https://purl.pt/13938/. Acesso em: 10 set. 2020.

CARVALHO, T. A. (dir.). Diccionario de geographia universal. Por uma Sociedade de Homens de Sciencia. Lisboa: David Corazzi, 1878-1887, 4 vol.

CASTRO, J. B. Mappa de Portugal antigo e moderno. 2ª ed. rev. e aum. Lisboa: Officina Patriarcal de Francisco Luiz Ameno, 1762-1763, 3 vol. Disponível em: https: //purl.pt/22133/. Acesso em: 10 set. 2020.

CETEMPublico. Disponível em: https: //www.linguateca.pt/CETEMPublico/. Acesso em: 16 jul. 2020.

Corpus do Português. Disponível em: https://www.corpusdoportugues.org/. Acesso em: 10 jun. 2020.

COSTA, A. C. Corografia portugueza e descripçam topografica do famoso reyno de Portugal, com as noticias das fundaçoens das cidades, villas e lugares, que contèm; varoens illustres, genealogias das familias nobres, fundaçoens de conventos, catalogos dos bispos, antiguidades, maravilhas da natureza, edificios, & outras curiosas observaçoens. Braga: Typographia de Domingos Gonçalves Gouvea, 1868-18692[1706-1712], 3 vol. Disponível em: https://purl.pt/434/. Acesso em: 08 set. 2020.

COSTA, A., Diccionario chorographico de Portugal continental e insular: hydrographico, historico, orographico, biographico, archeologico, heraldico, etymologico. Porto: Civilização, 1929-1949, 12 vol.

Dicionário de Gentílicos e Topónimos. Disponível em: https://www.portaldalinguaportuguesa.org/?action=gentilicos. Acesso em: 15 ago. 2020.

Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Ed., 2003-2018. Disponível em: https://infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/. Acesso em: 03 jul. 2020.

FEIJÓ, J. M. M. Orthographia, ou arte de escrever, e pronunciar com acerto a lingua portugueza para uso do excellentissimo Duque de Lafoens. Lisboa Occidental: Officina de Miguel Rodrigues Fonseca, 1734. Disponível em: https://purl.pt/13/. Acesso em: 18 jun. 2020.

FIGUEIREDO, C. de. Novo diccionario da lingua portuguesa. Nova ed. corr. e copiosamente ampl. Lisboa: A.M. Teixeira. 2 v., 19132[1899]. Disponível em: https://dicionario-aberto.net/estaticos/about.html/. Acesso em: 10 ago. 2020.

FRAZÃO, A. C. A. Novo dicionário corográfico de Portugal: Continente e Ilhas Adjacentes. 2ª ed. aum., rev. e actual, por A. A. Dinis Cabral. Porto: Editorial Domingos Barreira, 1981.

LEAL, A. S. d' A. B. de P.; FERREIRA, P. A., Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias. Lisboa: Livraria Editora de Mattos Moreira, 1873-1890, 12 vol. Disponível em: https://books.google.pt/books?id=FpkDAAAAYAAJ&hl=pt-PT&source=gbs_book_similarbooks/. Acesso em: 08 set. 2020.

LOPES, J. B. da S. (coord.). Diccionario postal e chorographico do Reino de Portugal, comprehendendo a divisão administrativa, judicial e ecclesiastica do Continente do Reino e dos archipelagos dos Açores e Madeira. Lisboa: Imprensa Nacional, 1891-1894. 3 vol.

MACHADO, J. P., Dicionário etimológico da língua portuguesa. Lisboa: Horizonte, 19957 [1952].

MACHADO, J. P., Dicionário onomástico etimológico da língua portuguesa. Lisboa: Horizonte, 19932 [1984].

MARQUES, P. J., Diccionario geographico abbreviado das oito provincias dos reinos de Portugal e dos Algarves, com a designação dos concelhos, comarcas, districtos, provincias, dioceses, oragos, freguezias, conguas respectivas, legoas de distancia, correios e feiras. Seguido de interessantes noticias corographicas e historicas; assim como d’uma tabella demonstrativa das Comarcas judiciaes, concelhos, numero de fogos, etc. Porto: Typ. Commercial, 1853.

MEIRELES, V. R., Promptuário das Terras de Portugal, 1689, Manuscrito 2298, na Biblioteca Nacional.

MINISTÉRIO DO EXÉRCITO. Reportório Toponímico de Portugal – 03 – Continente. Carta 1:25.000. Serviço cartográfico do exército: fevereiro de 1967. Volume I (A-E).

MINISTÉRIO DO EXÉRCITO. Reportório Toponímico de Portugal – 03 – Continente. Carta 1:25.000. Serviço cartográfico do exército: fevereiro de 1967. Volume II (F-P).

MINISTÉRIO DO EXÉRCITO. Reportório Toponímico de Portugal – 03 – Continente. Carta 1:25.000. Serviço cartográfico do exército: fevereiro de 1967. Volume III (Q-Z).

Online Etymology Dictionary. Disponível em: https://www.etymonline.com/. Acesso em: 12 jul. 2020.

Online Liddell-Scott-Jones Greek-English Lexicon, Disponível em: https:// stephanus.tlg.uci.edu/lsj/#eid=1/. Acesso em: 15 mai. 2020.

PEREIRA, A. F., [pseudónimo de Francisco dos Prazeres Maranhão]. Diccionario geographico abreviado de Portugal e suas possessões ultramarinas. Porto: Typographia de Sebastião José Pereira, 1852.

Trésor de la langue Française informatisé, ATILF - CNRS & Université de Lorraine. Disponível em: https://www.atilf.fr/tlfi/. Acesso em: 16 jul. 2020.

VASCONCELOS, J. L. de, (coord.). Diccionario da Chorographia de Portugal contendo a indicação de todas as cidades, villas e freguezias. Porto: Livraria Portuense de Clavel. 1884. Disponível em: https://purl.pt/13910/. Acesso em: 09 set. 2020.

VERNEY, L. A. Verdadeiro metodo de estudar: para ser util à Republica, e à Igreja: proporcionado ao estilo, e necesidade de Portugal. / Exposto em varias cartas, escritas polo R. P. * * * Barbadinho da Congregasam de Italia, ao R. P. * * * Doutor na Universidade de Coimbra. Valensa [Nápoles]: oficina de Antonio Balle [Genaro e Vicenzo Muzio], 1746. Disponível em: https://purl.pt/118/. Acesso em: 10 set. 2020.

Downloads

Publicado

22-12-2020

Como Citar

Cardeira, E., & Villalva, A. (2020). Gentílicos e topónimos portugueses: algumas questões. Revista GTLex, 6(1), 192–213. https://doi.org/10.14393/Lex11-v6n1a2020-11