Vestígios da criação do primeiro curso de formação de professores de Matemática no Alto Paranaíba, Minas Gerais: um olhar a partir da Revista Documenta

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-52926

Palavras-chave:

Formação de professores de matemática, Revista Documenta, História da educação matemática

Resumo

Nesse artigo apresentamos resultados iniciais de um projeto em desenvolvimento cujo o objetivo é mapear movimentos da criação dos primeiros cursos que formavam professores de Matemática na região do Alto do Paranaíba, Minas Gerais. Como fonte principal, temos os pedidos de criação, conversão e/ou reconhecimento de cursos que formavam professores de Matemática, de instituições públicas federais ou privadas, publicados na revista Documenta – publicação mensal do Conselho Federal de Educação, no entanto, ressaltamos que outras fontes também foram usadas. As inspirações teóricos-metodológicas se baseiam na linha/projeto Mapeamento da formação e atuação de professores de Matemática no Brasil, do grupo de pesquisa Grupo História Oral e Educação Matemática, Ghoem. Para esse texto trouxemos resultados do primeiro curso que ocorreu nessa região, em especial, na cidade de Patos de Minas. Entre eles, imprimimos uma discussão que abrange o currículo do primeiro curso de formação de professores de Matemática, a listagem dos primeiros professores, indícios da criação da primeira Faculdade privada e de outros cursos de formação de professores, do movimento de ensino superior nessa cidade e evidências do auxílio para a criação desse movimento da Igreja Católica. Apontamos que esse estudo é assumidamente historiográfico e se inscreve no campo da História da Educação Brasileira, mais especificamente na História da Educação Matemática no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Marin, Universidade Federal de Uberlândia

Licenciado em Matemática pela Universidade de São Paulo, Mestre e Doutor pelo Programa de Pós-graduação em Educação Matemática da Unesp, campus de Rio Claro. É professor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), onde atua na Faculdade de Matemática (FAMAT). Coordenador do Laboratório de Ensino de Matemática da FAMAT. É membro do Colegiado do curso de Matemática da FAMAT. Representante da FAMAT no Fórum de Licenciatura da UFU. Membro do Grupo de Pesquisa História Oral e Educação Matemática - Ghoem, da Unesp; e, do Grupo de Estudos e Pesquisa em Ensino de Matemática e Atividade Pedagógica (GEPEMAPe), da UFU. As pesquisas têm foco no campo da Educação Matemática, tendo interesse nas seguintes temáticas: formação de professores de matemática; o ensino aprendizagem de matemática; e história da educação matemática no Brasil. (Fonte: Currículo Lattes).

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. História: a arte de inventar o passado – Ensaios de teoria da história. 1. ed. Bauru: EDUSC, 2011.

BARALDI, I. M. Grupo de Pesquisa História Oral e Educação Matemática: dos estudos sobre História da Educação Matemática (Inclusiva). Revista de História da Educação Matemática - Histemat, ano 4, n.3, p.93-103, 2018.

BOAVENTURA, R. M. A gênese e a consolidação do Centro Universitário de Patos de Minas/MG - UNIPAM (1968-1975). 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro Universitário do Triângulo, Uberlândia/MG, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Governo Federal. Decreto nº 50.163, de 28 de janeiro de 1961. 1961. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-50163-28-janeiro-1961-389980-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 26 set. 2019.

BRASIL. Lei nº 4024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da Educação Nacional. LDB. Brasília, Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L4024.htm. Acesso em: 25 set. 2019.

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO (CFE). (1974). Resolução nº 30, de 11 de julho de 1974. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a observar na organização do curso de licenciatura em Ciências. Documenta, Brasília, (164): 509-11.

____________. (1975). Resolução nº 37, de 26 de março de 1975. Dispõe sobre a implantação progressiva do curso de licenciatura em Ciências, a que se refere a Resolução nº 30/74. Alterado pela R. 05/1978. Diário Oficial, Brasília, 26 de março de 1975. Seção 1, pt. 1, p. 3. 635.

____________. (1978). Resolução nº 05, de 16 de junho de 1978. Adia o prazo estabelecido pela Resolução nº 37/75 e para a obrigatoriedade da conversão em Ciências nos moldes da Resolução nº 30/74. Documenta, Brasília, (211): 20.

CURY, F. G. Uma história da formação de professores de Matemática e das Instituições formadoras do estado do Tocantins. 2011. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro/SP, 2011.

DOCUMENTA. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.1962 até 1979.

_______________. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.v.10, 1962.

_______________. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.v.78, 1971.

_______________. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.v.79, 1971.

_______________. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.v.135, 1972.

_______________. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Educação.v.223, 1974.

GARNICA, A. V. M. Grupo de Pesquisa História Oral e Educação Matemática: mapeamento da formação e atuação de professores que ensinam/ensinaram matemática no Brasil. Revista de História da Educação Matemática - Histemat, ano 4, n. 3, p. 68-92, 2018.

GARNICA, A. V. M.; SOUZA, L. A. Elementos de História e de Educação Matemática. São Paulo: Cultura Acadêmica, Unesp, 2012.

GHOEM - GRUPO HISTÓRIA ORAL E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Sobre o Ghoem. Bauru, 2015. Disponível em: http://www2.fc.unesp.br/ghoem/. Acesso em: mai. 2019.

GOMES, L. N. O que nos conta a Revista Documenta: sobre cursos que formavam professores de Matemática no Brasil (1962 a 1979). 2019. Dissertação (Mestrado) - Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru/SP, 2019.

JENKINS, K. A História Repensada. São Paulo: Contexto, 2005.

MARIN, D. Uma história da criação dos primeiros cursos de formação de professores (de Matemática) no Triângulo Mineiro - Minas Gerais. 2019. Tese (Doutorado em Educação para Ciência) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, SP, 2019.

MARTINS-SALANDIM, M. E. A interiorização dos cursos de Matemática no estado de São Paulo: um exame da década de 1960. 2012. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro/SP, 2012.

MORAIS, M. B. Se um viajante...percursos e histórias sobre a formação de professores de Matemática no Rio Grande do Norte. 2017. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro/SP, 2017.

PATOS de Minas. Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Patos_de_Minas. Acesso em: 12 fev. 2020.

QUELUZ, J. A. O primeiro curso de formação de professores de Matemática no Alto Paranaíba, Minas Gerais: um olhar a partir da Revista Documenta. 2019.39 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Matemática) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2020.

ROTHEN, J. C. O Conselho Federal de Educação nos bastidores da Reforma Universitária de 1968. In III Congresso Brasileiro de História da Educação Curitiba, PR. Anais ... Curitiba, PR: PUCPR, 2004.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

QUELUZ, J. A. de; MARIN, D. Vestígios da criação do primeiro curso de formação de professores de Matemática no Alto Paranaíba, Minas Gerais: um olhar a partir da Revista Documenta. BRAZILIAN ELECTRONIC JOURNAL OF MATHEMATICS, Uberlândia, v. 1, n. 2, p. 48–62, 2020. DOI: 10.14393/BEJOM-v1-n2-2020-52926. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/BEJOM/article/view/52926. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Educação Matemática