O LITORAL DE FORTALEZA E O PLANEJAMENTO URBANO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XIX A PARTIR DAS PLANTAS DE SILVA PAULET E SIMÕES DE FARIAS

Conteúdo do artigo principal

Fábio de Oliveira Matos
Fábio Perdigão Vasconcelos

Resumo

Este artigo trata acerca do processo de expansão urbana em Fortaleza/CE e a ocupação de seu litoral na primeira metade
do século XIX, tendo como ferramenta norteadora a seleção de alguns registros cartográficos dos urbanistas Silva
Paulet e Simões de Farias. Pautado numa reflexão entorno da relação da construção dos referidos documentos com o
momento de expansão urbana perpassada por Fortaleza, realizou-se levantamento dos principais registros cartográficos
do período retratado. São eles: a) “Planta do Porto e Villa da Fortaleza” (1813) e b) “Planta da Vila de Fortaleza” (1818),
ambas se Silva Paulet; c) “Planta da Cidade de Fortaleza” (1850) e d) “Ampliação da Planta de 1850”, ambas de Simões
de Farias. Pautado numa reflexão entorno da Cartografia na construção ideológica do espaço, tratou-se os registros
cartográficos como documentos geohistóricos de expressividade no debate travado nas décadas iniciais do século XIX
entorno do direcionamento a ser tomado no processo de expansão urbana do município, dando ênfase no modo de
projeção dado a zona costeira fortalezense. Assim, os desenhos de Paulet e Farias apresentam a partir de seus registros
a complexidade do processo de organização do litoral, suscitando – com a necessidade de expansão da atividade
portuária – o debate entorno da emergência do planejamento litorâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
MATOS, F. de O. .; VASCONCELOS, F. P. . O LITORAL DE FORTALEZA E O PLANEJAMENTO URBANO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XIX A PARTIR DAS PLANTAS DE SILVA PAULET E SIMÕES DE FARIAS. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 63, n. 4, p. 489–499, 2011. DOI: 10.14393/rbcv63n4-49217. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/49217. Acesso em: 9 dez. 2022.
Seção
Artigos