DINÂMICA DOS FOCOS DE QUEIMADA EM CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO ENTRE 2008 E 2011

Conteúdo do artigo principal

Guilherme Augusto Verola Mataveli
Bruno Silva Oliveira
Gabriel Pereira
Elisabete Caria Moraes
Francielle da Silva Cardozo

Resumo

As queimadas atingem grandes áreas da superfície em todo o planeta, provocando diversos impactos no ambiente assim como atuando para a formação dos ecossistemas. A atividade humana é a causa mais comum da queima de biomassa na região Tropical, sendo que a utilização do fogo ocorre principalmente na agropecuária, em atividades como a colheita da cana-de-açúcar, na qual facilita o corte a partir da queima da palhada. Com o objetivo de acabar com essa prática no Estado de São Paulo devido aos seus impactos negativos sobre o meio ambiente e a saúde, em 2002 foi aprovada a Lei Estadual 11.241 e em 2007 o Protocolo Etanol Verde, que estabeleceram um cronograma para a eliminação da queimada pré-colheita da cana-de-açúcar. Dentro deste contexto, o presente estudo avaliou a distribuição espacial e temporal dos focos de queimada em áreas de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo entre 2008 e 2011 por meio de sensoriamento remoto orbital usando dados dos sensores MODIS, AVHRR, SEVIRI e GOES Imager. Normalmente, as queimadas são espacialmente associadas à cultura da cana-de-açúcar no Estado de São Paulo, sendo o SEVIRI, a bordo do satélite METEOSAT, o mais eficiente para a detecção de focos de quiemada em cana-de-açúcar, chegando a detectar um número de focos 10 vezes maior que o MODIS e 8,5 vezes maior que o AVHRR durante o período de estudo. A Região Administrativa do Estado de São Paulo que geralmente apresentou a maior densidade média de focos estimada com o uso do estimador por Kernel foi a de Ribeirão Preto, e as densidades médias mínimas foram encontradas na sua maioria na Região Administrativa de Sorocaba. A distribuição temporal dos focos de queimada foi avaliada utilizando a Transformada de Wavelet, que mostrou um padrão consistente com a época de colheita da cana-de-açúcar, com um ciclo a cada 256 dias aproximadamente. Novas metodologias aplicadas ao monitoramento de queimadas podem ser desenvolvidas integrando-se dados de sensores a bordo de satélites de órbita geoestacionária com dados sensores a bordo de satélites de órbita polar, o que parece ser o caminho mais eficiente para detecção de focos em áreas de queimada de cana-de-açúcar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
MATAVELI, G. A. V.; OLIVEIRA, B. S.; PEREIRA, G.; MORAES, E. C.; CARDOZO, F. da S. DINÂMICA DOS FOCOS DE QUEIMADA EM CANA-DE-AÇÚCAR NO ESTADO DE SÃO PAULO ENTRE 2008 E 2011. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 66, n. 2, 2014. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/43919. Acesso em: 17 maio. 2022.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Guilherme Augusto Verola Mataveli, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Bruno Silva Oliveira, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Gabriel Pereira, Universidade Federal de São João del Rei

Universidade Federal de São João del Rei

Elisabete Caria Moraes, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Francielle da Silva Cardozo, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)