O papel das expressões não manuais na delimitação de constituintes prosódicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v37n2-2021-17

Palavras-chave:

Libras, Fonologia, Constituência Prosódica, Expressões não manuais, Expressões manuais

Resumo

O artigo investiga expressões não manuais (ENMs) conjugadas a expressões manuais (EMs) da Libras na marcação de fronteira dos constituintes prosódicos frase fonológica (ɸ) e frase entoacional (I). A análise baseia-se na concepção de estrutura prosódica de línguas de sinais de Brentari (2011), Nespor e Sandler (1999) e Sandler (2010, 2012). ENMs e EMs conjugadas a ENMs são examinadas em dois enunciados de Libras do corpus de Souza (2020), produzidos por instrutores de Libras em sala de aula. A análise revela alterações recorrentes nas EMs em fronteira de ɸ. Na ausência de alterações nas EMs, verificam-se ENMs como movimento de sobrancelhas, mudança na posição da boca, semicerramento e piscar de olhos. Em fronteira de I, observam-se ENMs como levantamento de sobrancelhas, mudanças na posição de cabeça e corpo, semicerramento e piscar de olhos, e reconfiguração de todas as expressões faciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Teixeira de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando Letras, Estudos da Linguagem, pela UFRGS;

Mestre em Linguística Aplicada pela Unisinos.

 

 

Elisa Battisti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul/Professora

Departamento de Linguística, Filologia, e Teoria Literária e Programa de Pós-Graduação em Letras do Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/CNPq 

Referências

ANATER, G. As marcações linguísticas não-manuais na aquisição da Língua de Sinais Brasileira (LSB): um estudo de caso Longitudinal. 2009. 160f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

ARAÚJO, A. D. S. As expressões e as marcas não-manuais na Língua de Sinais Brasileira. 2013. 107f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

BAKER, C.; PADDEN, C. A. Focusing on the nonmanual components of ASL. In: SIPLE, P. (Ed.). Understanding language through sign language research. New York: Academic Press, 1978. p. 27-57.

BRENTARI, D. A prosodic model of Sign Language Phonology. Cambridge, MA: MIT Press, 1998. DOI: https://doi.org/10.7551/mitpress/5644.001.0001

BRENTARI, D. Sign language phonology. In: GOLDSMITH, J. A.; RIGGLE, J.; YU, A. C, L. (Org.). The handbook of phonological theory. New York: Blackwell, 2011. p. 691-721. DOI: https://doi.org/10.1002/9781444343069.ch21

BRENTARI, D. CROSSLEY, L. Prosody on the hands and face: evidence from American Sign Language. Language and Cognitive Processes, v. 2, p. 105-130, 2002. DOI: https://doi.org/10.1075/sll.5.2.03bre

BRITO, L.; LANGEVIN, E. Sistema Ferreira Brito-Langevin de Transcrição de Sinais. In: FERREIRA-BRITO, L. Por uma gramática de línguas de sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995.

CAPOVILLA, F. C.; RAPHAEL, W. D.; MAURICIO, A.C.; Novo Deit-Libras: dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da Língua de Sinais Brasileira. São Paulo: EDUSP, 2010.

KATZ, J. E.D. Tratado de audiologia clínica. São Paulo: Editora Manole, 1989.

MCCLEARY, L.; VIOTTI, E.; LEITE, T. A. Descrição das línguas sinalizadas: a questão da transcrição dos dados. Alfa Revista de Linguística, v. 54, n. 1, p. 265-289, 2010.

NESPOR, M.; SANDLER, W. Prosody in Israeli Sign Language. Language and Speech, v. 42, p. 143-176, 1999. DOI: https://doi.org/10.1177/00238309990420020201

NESPOR, M.; VOGEL, I. Prosodic Phonology. Dordrecht: Foris Publication, 1986.

QUADROS, R. M. de; KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artmed Editora, 2004. DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i16.560

SANDLER, W. Phonological representation of the sign: linearity and nonlinearity in American sign language. Dordrecht: Foris, 1989. DOI: https://doi.org/10.1515/9783110250473

SANDLER, W. Symbiotic symbolization by hand and mouth in sign language. Semiotica, v. 174, p. 241-275, 2009. DOI: https://dx.doi.org/10.1515%2Fsemi.2009.035 .

SANDLER, W. Phonology, phonetics and the nondominant hand. In: GOLDSTEIN, L.; SANDLER, W.; LILO-MARTIN, D. Sign language and linguistic universals. Cambrdige: Cambridge University Press, 2006. DOI: https://doi.org/10.1017/CBO9781139163910

SANDLER, W. Prosody and syntax in sign language. [Manuscrito]. Trans. Philol. Soc. 2010. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3250094/. Acesso em: 25 jan. 2019.

SANDLER, W. The phonology of movement in sign language. In: SANDLER, W. Blackwell companion to phonology. Oxford: Wiley-Blackwell, 2011. p. 577-603. DOI: https://doi.org/10.1002/9781444335262.wbctp0024

SANDLER, W. Dedicated gestures and the emergence of sign language. Society for Gesture Studies, v. 12, p. 265-307, 2012. DOI: https://doi.org/10.1075/gest.12.3.01san

SOUZA, D. T. (Re)visitando as expressões não manuais em estudos sobre Libras. 2014. 100f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2014.

SOUZA, D. T. A constituência prosódica da Língua Brasileira de Sinais (Libras): as expressões não manuais. 2020. 181f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020.

STOKOE, W. Sign language structure. Silver Spring: Linstok Press, [1960] 1978.

TENANI, L. Fonologia Prosódica. In: HORA, D.; MATZENAUER, C. L. (Org.). Fonologia, fonologias: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2017. p. 108-123.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

SOUZA, D. T. de; BATTISTI, E. O papel das expressões não manuais na delimitação de constituintes prosódicos. Letras & Letras, [S. l.], v. 37, n. 2, p. 361–382, 2021. DOI: 10.14393/LL63-v37n2-2021-17. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/57477. Acesso em: 3 fev. 2023.