Pátria, nação e autoritarismo

O discurso do Punk Rock brasileiro sobre a Ditadura Civil-Militar (1964 – 1985)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v36nEsp-2020-4

Palavras-chave:

Análise de Discurso, Punk Rock, Ditadura Civil-Militar

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar o discurso do Punk Rock brasileiro sobre a Ditadura Civil-Militar (1964–1985) a partir dos princípios e procedimentos do campo de pesquisas da Análise de Discurso materialista. Tomam-se as canções Anistia e Não questione (Pior que antes, 1988) dos Garotos Podres, Anos 70 (Cenas de um novo país, 1990) da banda 365, e Pátria Amada (Adeus carne, 1987) dos Inocentes, que foram lançadas após 1985 e que apresentam em sua constituição formulações que remetem a práticas discursivas como o patriotismo-nacionalismo. No procedimento de análise, realizou-se a seleção de recortes de sequências discursivas que apresentam uma recorrência de palavras e expressões como “amor à pátria” e “nação”. A análise dos recortes discursivos mostrou que são produzidos efeitos de crítica e denúncia nas canções, em relação ao período autoritário, a partir da ressignificação de enunciados inscritos, contraditoriamente, em redes de memórias da ditadura e da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Souza Ferraz, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestre em Linguística pelo Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade do Estado de Mato Grosso. Graduado em Licenciatura Plena em História pela Universidade do Estado de Mato Grosso. Atua na área de História e Música, em Análise de Discurso, com ênfase em pesquisas sobre canções de protesto, e em relações entre História/Teoria da História e Análise de Discurso. Membro do grupo de pesquisa Cartografias da Linguagem e do grupo de pesquisa Fronteira Oeste: Poder, Economia e Sociedade, na linha de pesquisa O espaço de fronteira do Brasil com a Bolívia no Longo Século XIX. Atualmente é professor de História na Universidade do Estado de Mato Grosso - Campus Cáceres.

Silvia Regina Nunes, Universidade do Estado de Mato Grosso - Unemat

Doutora em Linguística pela UNICAMP, realizou estágio de pós-doutoramento junto ao Programa Linguagens e Representações vinculado à Universidade Estadual de Santa Cruz - Ilhéus - BA. Professora Adjunta da Educação Superior da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, atua no Curso de Licenciatura em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Linguística, produzindo pesquisas em Análise de Discurso, Linguagem e Tecnologia e História das Ideias Linguísticas. É membro do CEPEL - Centro de Estudos e Pesquisas em Linguagem, do grupo de pesquisa Cartografias da Linguagem e do grupo de pesquisa Mulheres em Discurso - MulherDis (Unicamp) e é líder do Grupo de Pesquisa DISMIDAS - Discurso e Mídias Sociais todos vinculados ao CNPq.

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado (Notas para uma investigação). In: ZIZEK, S. (Org.). Um mapa da ideologia. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

CAROCHA, Maika Lois. Pelos versos das canções: um estudo sobre o funcionamento da censura musical durante a Ditadura Militar brasileira (1964 – 1985). 2007. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

DALTOÉ, A. S. As metáforas de Lula: a deriva dos sentidos na língua política. 2011. Doutorado (Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-graduação em Letras, Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

DAPIEVE, Arthur. BRock: o rock brasileiro dos anos 80. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

ENCARNAÇÃO, Paulo Gustavo da. Brasil mostra a tua cara: rock nacional, mídia e a redemocratização política (1982 – 1989). 2009. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências e Letras e Assis, Universidade Estadual Paulista, Assis – SP, 2009.

ESSINGER, Silvio. Punk: anarquia planetária e a cena brasileira. São Paulo: Ed 34, 1999.

HAROCHE, C. Fazer dizer querer dizer. São Paulo. Editora Hucitec, 1992.

INDURSKY, F. A fala dos quartéis e as outras vozes: uma análise do discurso presidencial da Terceira República Brasileira (1964-1984). 1992. 382f. Tese (Doutorado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem. Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, 1992.

INDURSKY, F. A fala dos quartéis e as outras vozes. 2. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013.

MARTINS. F. Quem foi que inventou o Brasil? A música popular conta a história da república. 1. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

PÊCHEUX, M. Metáfora e Interdiscurso. In: ORLANDI, Eni. Análise de discurso: Michel Pêcheux textos selecionados. Campinas/SP: Pontes, 2014.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 5. ed. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 2014.

Downloads

Publicado

2020-11-25

Como Citar

SOUZA FERRAZ, F.; REGINA NUNES, S. . Pátria, nação e autoritarismo: O discurso do Punk Rock brasileiro sobre a Ditadura Civil-Militar (1964 – 1985). Letras & Letras, [S. l.], v. 36, n. especial, p. 52–67, 2020. DOI: 10.14393/LL63-v36nEsp-2020-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/51374. Acesso em: 8 ago. 2022.