Em nome do pai

A nova ordem do poder

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v36n1-2020-11

Palavras-chave:

Análise do discurso, Ensino, Censura, Decisão judicial, Poder

Resumo

A liberdade de aprender e ensinar é uma garantia consagrada pela Constituição Federal de 1988. Apesar disso, não raro, encontramos tentativas que buscam suprimir essa garantia constitucional por meio da força impositiva do Estado. É o caso da decisão judicial, tomada por uma desembargadora do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em que se permitiu que a deputada estadual Ana Caroline Campagnolo mantivesse seu canal informal de denúncias contra professores doutrinadores. Na decisão, a magistrada relatora não vislumbra ilegalidades na conduta da parlamentar. Nesse contexto, nossa pesquisa, numa conexão entre a Análise do Discurso francesa e o Direito, pretende investigar, no corpus em cena, as marcas discursivas presentes no texto decisório que levam a inferir que a decisão em tela coaduna-se com as ideologias que caracterizam o governo do presidente Jair Bolsonaro e, no limite, incentivam que se vigie e puna professores por expressarem resistência à nova ordem política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Venancio, Universidade Federal da Paraíba

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Linguística. Bolsista do CNPq.

Oriana de Nadai Fulaneti, Universidade Federal da Paraíba

Professora Adjunta da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Brasil

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Trad. de Joaquim José de Moura Ramos. Lisboa: Editora Presença, 1980.

BITTAR, E. C. B. Linguagem jurídica: semiótica, discurso e direito. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

BOBBIO, N. A era dos direitos. Trad. de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BRANDÃO, H. H. N. Introdução à análise do discurso. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, 2018.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Medida Cautelar na RCL n. 33.137 Santa Catarina. Autor: Ministério Público do Estado de Santa Catarina. Requerido: Relatora do Agravo de Instrumento Nº 4032450-55.2018.8.24.0000 do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina. Relator: Ministro Edson Fachin. Brasília, DF, de 8 de fevereiro de 2019. Disponível em: https://www.conjur.com.br/dl/fachin-suspende-postagem-incentiva.pdf. Acesso em: 08 ago. 2019.

BUENO, C. S. Manual de direito processual civil: inteiramente estruturado à luz do novo CPC – Lei n. 13.105, de 16.03.2015. São Paulo: Saraiva, 2015.

CEGALLA, D P. Novíssima gramática da língua portuguesa. 41. ed. São Paulo: Editoria Nacional, 1998.

COLARES, V. Análise Crítica do Discurso Jurídico (ACDJ): o caso Genelva e a (im)procedência da mudança de nome. ReVEL, [s.l.], v. 12, n. 23, 2014. Disponível em: www.revel.inf.br. Acesso em: 4 ago. 2019.

DEODATO, F. A. F. de N. Lições de direito penal. v. 1. Curitiba: Juruá, 2015.

FIORIN, J.L. Elementos de análise do discurso. 14. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

FIGUEIREDO, R.M. Estilo e discurso jurídico: uma análise semiótica do gênero acórdão. 2015. 194f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações, 2015.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Trad. de L. F. de Sampaio: Loyola, 1996.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Trad. de Roberto Cabral de Melo Machado e Eduardo Jardim Morais. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2002.

FOUCAULT, M. Arqueologia do saber. Trad. de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2015.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2014.

GOMES, P. M. Discursos sobre a ordem: uma análise do discurso do Supremo Tribunal Federal nas decisões de prisão para garantia da ordem pública. 2013. 210f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

MAINGUENEAU, D. Discurso e análise do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. Trad. de Sírio Possenti. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MAINGUENEAU, D. Novas Tendências em análise do discurso. 3. ed. Campinas: Pontes, 1997.

ORLANDI, E. P. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes, 1998.

SANTA CATARINA. Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Agravo de instrumento n. 4032450-55.2018.8.24.0000/SC. Agravante: Ana Caroline Campagnolo. Agravado: Ministério Público do Estado de Santa Catarina. Relatora: Desembargadora Maria do Rocio Luz Santa Ritta. Santa Catarina, de 24 de janeiro de 2019. Disponível em: https://static.poder360.com.br/2019/01/40324505520188240000.pdf. Acesso em: 15 ago. 2019.

VENANCIO, R. Rastros do discurso: poder e interdição na decisão de um ministro do Supremo Tribunal Federal / Remarks of the speech: power and interdiction in the decision of a minister of the Supreme Federal Court. Revista de Estudos da Linguagem, [S.l.], v. 27, n. 3, p. 1345-1369, jul. 2019. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/15089. Acesso em: 16 jul. 2019. doi: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.27.3.1345-1369.

Downloads

Publicado

2020-06-28

Como Citar

VENANCIO, R.; FULANETI, O. de N. Em nome do pai: A nova ordem do poder. Letras & Letras, [S. l.], v. 36, n. 1, p. 197–216, 2020. DOI: 10.14393/LL63-v36n1-2020-11. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/50805. Acesso em: 29 nov. 2022.