Contexto de produtividade das perífrases de gerúndio e particípio no PB e na variedade do espanhol do México e sua significação aspectual

Autores

  • Maria Mercedes Riveiro Sebold Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Anne Katheryne Estebe Maggessy Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL60-v30n2a2014-13

Palavras-chave:

Aspecto, Perífrase, Formas nominais,

Resumo

Neste artigo, centramos nossa análise na noção aspectual para contrastar duas línguas ricas morfologicamente. Trataremos das perífrases de gerúndio e particípio e sua produtividade no Português do Brasil (doravante PB) e na variedade do espanhol do México (doravante EM) a partir da metodologia da linguística de corpus. Na primeira seção deste artigo, trataremos da noção de aspecto. Na segunda seção, trataremos da noção de perífrase e dos traços que caracterizam as perífrases de gerúndio e de particípio. Na terceira seção, trataremos da produtividade das perífrases de gerúndio e particípio no PB e no EM e, finalmente, na quarta seção, trataremos das noções aspectuais veiculadas por tais perífrases. Compartilhamos com Wachowicz (2006) que nas perífrases pode haver uma diferença de acordo com a forma nominal que compõe a mesma. Nessa perspectiva, a terminação da forma nominal -ndo, do gerúndio se combinaria com eventos atélicos , ao passo que a terminação -do, do particípio, se combinaria com eventos télicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Mercedes Riveiro Sebold, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Doutora de Língua Espanhola do Departamento de Letras Neolatinas da UFRJ

Anne Katheryne Estebe Maggessy, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Aluna de doutorado do programa de Pós Graduação em Letras Neolatinas da UFRJ

Downloads

Publicado

2014-12-18

Como Citar

SEBOLD, M. M. R.; MAGGESSY, A. K. E. Contexto de produtividade das perífrases de gerúndio e particípio no PB e na variedade do espanhol do México e sua significação aspectual. Letras & Letras, [S. l.], v. 30, n. 2, p. 261–290, 2014. DOI: 10.14393/LL60-v30n2a2014-13. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/27981. Acesso em: 29 nov. 2022.