O insólito na literatura e a cosmovisão africana

Autores

  • Débora Jael R. Vargas UniRitter
  • Regina da Costa da Silveira UniRitter

Palavras-chave:

insólito ficcional, categorias literárias, realismo animista, cosmovisão africana

Resumo

O objetivo deste trabalho é destacar os posicionamentos dos estudiosos africanos Harry Garuba, escritor, poeta e professor da Universidade de Cape Town, na Ãfrica do Sul, e de Wole Soynka, escritor, poeta nigeriano e professor de literatura, sobre a classificação dos textos africanos em categorias literárias europeias e americanas. No presente texto, apresentaremos o realismo animista, de acordo com Harry Garuba (2012), expressão que define a produção literária que advém de um "inconsciente animista". Trata-se de uma expressão que aqui será aproximada à ideia de "cosmovisão africana", defendida por Wole Soynka (1976). Nesse sentido, empreendem-se análises de textos africanos à luz dos conceitos que emanam de estudos teóricos do próprio continente africano, com o objetivo de evidenciar as diferenças e, assim, evitar o silêncio das vozes e o apagamento das narrativas literárias que constituem a memória do continente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Jael R. Vargas, UniRitter

Aluna do Mestrado de Letras da UniRitter Laureate International Universities.

Regina da Costa da Silveira, UniRitter

Professora do PPG de Letras da UniRitter Laureate International Universities (regina.flausina@gmail.com)

Downloads

Publicado

2015-03-27

Como Citar

VARGAS, D. J. R.; SILVEIRA, R. da C. da. O insólito na literatura e a cosmovisão africana. Letras & Letras, [S. l.], v. 30, n. 1, p. 207–218, 2015. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/27411. Acesso em: 29 maio. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)