A segunda morte de Juan Larrea

O testemunho pela ficção em A Montanha Branca

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL63-v36n2-2020-7

Palavras-chave:

Jorge Semprún, Literatura de Testemunho, Memória, História, Campos de Concentração

Resumo

O presente trabalho se propõe a analisar a relação entre o real e o ficcional e a memória e o esquecimento em A Montanha Branca, romance de Jorge Semprún. Começamos com uma breve introdução sobre a literatura de testemunho e como a obra do autor espanhol se encaixa neste gênero, para então discorrermos em detalhes sobre as características do mesmo e sua profunda relação com os conceitos de realidade e memória. Nos resultados descrevemos as interações complexas e multifacetadas entre o real e o ficcional e o conflito entre memória e esquecimento que permeiam a obra. O trabalho foi realizado por meio de pesquisa bibliográfica, com a leitura da obra em questão e do suporte teórico necessário para sua análise. Conclui-se que a mistura do real com o ficcional na obra decorre da necessidade de conferir maior verossimilhança à narrativa enquanto testemunho de um sobrevivente do lager.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Philippe Lima, Instituto Federal do Piauí - IFPI

Possui graduação em Licenciatura Plena em Letras - Inglês pela Universidade Federal do Piauí (2009) e graduação em Bacharelado em Direito pela Universidade Estadual do Piauí (2005). Mestre em Letras pela Universidade Federal do Piauí - UFPI (2013), atuando principalmente nos seguintes temas: literatura de testemunho, literatura comparada, literatura e ciência, literatura e tecnologia, literatura e história, literatura latino-americana, realismo mágico.

Referências

BELING, Romar. Uma poética da memória: o Holocausto na obra de Jorge Semprún. Santa Cruz do Sul: EdUNISC, 2007.

CYTRYNOWICZ, Roney. O Silêncio do Sobrevivente: Diálogo e rupturas entre memória e história do Holocausto. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio. (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora da Unicamp, 2016. p. 123-138.

DAVIS, Colin; FALLAIZE, Elizabeth. French Fiction in the Mitterand years: memory, narrative, desire. New York: Oxford University Press, 2000.

KOLLERITZ, Fernando. Testemunho, juízo político e história. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 48, s.p., 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882004000200004&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 30 out. 2019.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Literatura de Testemunho: Os limites entre a construção e a ficção. Revista do Mestrado em Letras da UFSM (RS), n. 16, p. 9-37, 1998.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O Testemunho: entre a ficção e o “real”. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora da Unicamp, 2016. p. 371-385.

SEMPRUN, Jorge. A montanha branca. Trad. Edison Darci Heldt. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

TIDD, Ursula. Jorge Semprún: writing the european other. London: Routledge, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

LIMA, J. P. A segunda morte de Juan Larrea: O testemunho pela ficção em A Montanha Branca. Letras & Letras, [S. l.], v. 36, n. 2, p. 135–147, 2020. DOI: 10.14393/LL63-v36n2-2020-7. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/51379. Acesso em: 30 nov. 2022.