Autoria e ensino

trabalhando o gênero Redação do ENEM

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL49-v16n1a2022-6

Palavras-chave:

Autoria, Semântica da Enunciação, Ponto de vista, Redação do ENEM, Bullying

Resumo

Entendendo, como Possenti (2001, 2013), que os textos escolares podem apresentar traços de autoria e, como Orlandi (2012), que é papel da escola promover a passagem do sujeito-enunciador para sujeito-autor, este artigo apresenta uma proposta de trabalho do tema bullying para o gênero Redação do ENEM, que favorece o desenvolvimento de marcas de autoria. Entretanto, como normalmente a escola apresenta um discurso pedagógico autoritário, que impede essa passagem, nossa proposta se fundamenta em um discurso pedagógico polêmico que promove a reversibilidade discursiva e a disputa do objeto discursivo (ORLANDI, 1987b). À luz da Semântica da Enunciação, desenvolvida por Dias (2018) e Guimarães (2002), definimos autoria como uma função enunciativa que delimita um ponto de vista (um posicionamento político que reorganiza o “real”), o qual organiza os referenciais históricos (o funcionamento da memória discursiva sócio-histórica) e os conforma à situação de palavra (no caso, a Redação do ENEM). A análise da redação de um aluno do 1º ano do ensino médio demonstra os benefícios da proposta adotada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriele Cristine Carvalho, IFMG - Campus Santa Luzia

Doutora em Estudos Linguísticos (UFMG). Docente de Língua Portuguesa e Língua Espanhola (IFMG – Campus Santa Luzia).

Referências

ACHARD, P. Memória e produção discursiva do sentido. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999. p. 11-19.

AMOSSY, R. A argumentação no discurso. São Paulo: Contexto, 2020.

AUSTIN, J.L. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6ª ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011. p. 261-306.

BARTHES, R. A morte do autor. In: BARTHES, R. O rumor da língua. 3ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012a. p. 57-64.

BARTHES, R. O estilo e sua imagem. In: BARTHES, R. O rumor da língua. 3ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2012b. p. 147-159.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral. Trad. Maria da Glória Novak. São Paulo: Editora Nacional, Editora da Universidade de São Paulo, 1976.

BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral II. Trad. E. Guimarães [et. al.]. 2. ed. Campinas: Pontes Editores, 1989.

BRASIL, SEB/MEC. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, SEB/MEC, 2017.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A redação no Enem 2019: cartilha do participante. Brasília, 2019. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2019/redacao_enem2019_cartilha_participante.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

BRITO, P. L. Em terra de surdos-mudos (um estudo sobre as condições de produção de textos escolares). Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 2, p. 149-167, 1983. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8638956. Acesso em: 30 jan. 2021.

CARVALHO, G. C. Uma proposta de ensino do gênero “redação do ENEM”. In: LIMA, B. A. F. (org.). Memórias das minhas doces aulas de Língua Portuguesa: aplicando teorias no “fazer docente”. Curitiba/PR: Editora Appris, 2014.

DIAS, L. F. Acontecimento Enunciativo e Formação Sintática. Revista Línguas e Instrumentos Linguísticos. n. 35. Campinas: Projeto História das Ideias Linguísticas no Brasil, p. 99-138 – jan-jun. 2015a. Disponível em: http://www.revistalinguas.com/edicao35/artigo5.pdf . Acesso: 03 mar. 2021.

DIAS, L. F. Língua e nacionalidade no Brasil na primeira metade do século XX. Polifonia, Cuiabá, v. 22, n. 31, p. 11-31, jan./jul. 2015b. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/polifonia/article/view/3120. Acesso: 03 mar. 2021.

DIAS, L. F. Enunciação e relações linguísticas. Campinas, SP: Pontes Editora, 2018.

DUCROT, O. Esboço de uma teoria polifônica da enunciação. In: DUCROT, O. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1988.

FLORES, V. N.; TEIXEIRA, M. Introdução à linguística da enunciação. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2012.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. 6ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

FOUCAULT, M. O que é um autor? 10ª ed. Lisboa: Passagens, Vega, 2018.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. Trad. Luiz Felipe Baeta Neves. 8ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2019.

GERALDI, J. W. Escrita, uso da escrita e avaliação. In: GERALDI, J. W. (org.). O texto na sala de aula. São Paulo/SP: Editora Ática, 2001.

GUIMARÃES, E. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas/SP: Pontes, 2002.

INDURSKY, F. Da heterogeneidade do discurso à heterogeneidade do texto e suas implicações no processo da leitura. In: ERNST-PEREIRA, A.; FUNCK, S. B. A leitura e a escrita como práticas discursivas. Pelotas: Educat, 2001. p. 27-42.

KOCH, I. G. V. Argumentação e linguagem. 13ª ed. São Paulo: Cortez, 2011.

ORLANDI, E. Segmentar ou recortar? Linguística: questões e controvérsias. Série Estudos 10. Curso de Letras do Centro de Ciências Humanas e Letras das Faculdades Integradas de Uberaba, 1984.

ORLANDI, E. P. O discurso pedagógico: a circularidade. In: ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: As formas do discurso. 2. ed. rev. e aum. Campinas, SP: Pontes, 1987a. p. 15-23.

ORLANDI, E. P. Para quem é o discurso pedagógico. In: ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: As formas do discurso. 2. ed. rev. e aum. Campinas, SP: Pontes, 1987b. p. 25-38.

ORLANDI, E. P. Tipologia de discurso e regras conversacionais. In: ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: As formas do discurso. 2. ed. rev. e aum. Campinas, SP: Pontes, 1987c. p. 149-175.

ORLANDI, E. P. Terra à vista. São Paulo: Cortez/Editora da Unicamp, 1990.

ORLANDI, E. P. Nem escritor, nem sujeito: apenas autor. In: ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2012.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 12ª ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2015.

PÊCHEUX, P. O papel da memória. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Campinas: Pontes, 1999. p. 49-56.

POSSENTI, S. Enunciação, autoria e estilo. Revista da FAEEBA. Salvador, n. 15, p. 15-21, jan./jun. 2001.

POSSENTI, S. Notas sobre a questão da autoria. Matraga. Rio de Janeiro, v. 20, n. 32, p. 239-250, jan./jun. 2013. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/matraga/article/view/19851/14283. Acesso em: 16 abr. 2021.

RANCIÈRE, J. O desentendimento: política e filosofia. Trad. Ângela Leite Lopes. São Paulo: Ed. 34, 1995.

Downloads

Publicado

06-01-2022

Como Citar

CARVALHO, G. C. Autoria e ensino: trabalhando o gênero Redação do ENEM. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 154–182, 2022. DOI: 10.14393/DL49-v16n1a2022-6. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/59743. Acesso em: 8 ago. 2022.