Para a normatização do português de Moçambique

aspectos do uso do imperativo por estudantes universitários

Autores

  • Diocleciano Nhatuve Universidade do Zimbabwe (leitor) Universidade de Coimbra (doutorando)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL33-v12n1a2018-16

Palavras-chave:

Português de Maputo, Estudantes universitários, Imperativo, Tendências

Resumo

O objetivo deste estudo é de descrever as realizações linguísticas de enunciados com valor imperativo a fim de identificar as tendências que diferenciam o português de Moçambique e o português europeu. O corpus é constituído por frases de estudantes universitários da cidade de Maputo. Com base numa metodologia mista, o estudo revela que os principais aspectos particulares do português de Moçambique registram-se no uso do imperativo com a forma de tratamento informal. O uso das formas verbais do presente do indicativo, a negação do imperativo verdadeiro e o cancelamento das formas de tratamento junto das formas verbais supletivas são as principais tendências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diocleciano Nhatuve, Universidade do Zimbabwe (leitor) Universidade de Coimbra (doutorando)

Diocleciano Nhatuve

Leitor de Língua  Portuguesa na Universidade do Zimbabwe.

Doutorando em Língua Portuguesa: Investigação e Ensino - Universidade de Coimbra.

Referências

ATANÁSIO, N. Ausência do artigo no Português de Moçambique: análise de um corpus constituído por textos de alunos do ensino básico em Nampula. 2002. 176 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Portuguesa). Universidade do Porto e Universidade Pedagógica, Porto e Nampula, 2002.

BOYER, J. L. A classification of imperatives: a statistical study. Grace Theological Journal, v. 8.1, 1987, p. 35-54.

BRITO, A. M. Relativas de genitivo “estranhas” no português de Moçambique: erros ou sinais de mudança? Porto: Universidade do Porto - Faculdade de Letras, 2002. Disponível em: <http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/7123.pdf>. Acesso em: 22 out. 2016.

FAVARO, G. S. Estudo morfológico das formas verbais do modo imperativo nas Cantigas de Santa Maria, 2016, 200 f. Tese (Doutoramento em Linguística e Língua Portuguesa). UNESP, Araraquara, 2016.

FERREIRA JÚNIOR, M. N. A sintaxe da negação em configuração imperativa no português brasileiro, 2011. 89 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade de Brasília, Brasília: 2011.

FERREIRA, M. B. et al. Variação linguística: perspetiva dialectológica. In: FARIA, I. et al. (Org.). Introdução à linguística geral e portuguesa. Lisboa: Caminho, 1996, p. 479-502.

FIRMINO, G. Aspectos da nacionalização do português de Moçambique. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, Porto Alegre, v. 9, p. 115-135, 2008. Disponível em: http://hdl.handle.net/10316.2/34455. Acesso: 29 out. 2016.

HARE, M. H. Imperative sentences. Mind, New Series. V. 58, No, 229, 1949, pp. 21-39. https://doi.org/10.1093/mind/LVIII.229.21

GONÇALVES, P. Aspectos da sintaxe do português de Moçambique. In: FARIA, I. et al. (Org.). Introdução à linguística geral e portuguesa. Lisboa: Caminho, 1996, p. 313-322.

¬¬¬______. Português de Moçambique: problemas e limites de padronização de uma variante não-nativa. In: SINNER, C. (Ed.). Norm und Normkonflikte in der Romanian. Munich: Peniopel, 2005. p. 184-195.

______. A génese do português de Moçambique. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, S.A, 2010. 229 p.

GONÇALVES, P. et al. Estruturas gramaticais do português oral de Maputo. In: GONÇALVES, P.; STROUD, C. (Org.). Panorama do português oral de Maputo - Vol.III. Maputo: Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação, 1998. 159 p.

MATEUS, M. H. M. et al. Gramática da língua portuguesa. Lisboa: Caminho, 2003. 1127 p.

NHATUVE, D. J. R.; FONSECA, M. C. Aspectos da sintaxe do português falado no sul de Moçambique. Revista de Letras, Vila Real, série II, n. 11, p. 145-156, 2013.

NHATUVE, D. Reflexão sobre a normatização do Português de Moçambique. Fórum Linguístico. Florianópolis, v. 14, n. 2, p. 1997-2007, 2017.

SCHERRE, M. M. P. et al. Reflexões sobre o imperativo em português. D.E.L.T.A., 23: esp., 2007, p. 193-241.

SEARLE, J. A classification of illocutionary acts. Language in society. Vol. 5, n. 1, 1976, p. 1-23. Cambridge University Press. https://doi.org/10.1017/S0047404500006837

Downloads

Publicado

29-03-2018

Como Citar

NHATUVE, D. Para a normatização do português de Moçambique: aspectos do uso do imperativo por estudantes universitários. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 465–491, 2018. DOI: 10.14393/DL33-v12n1a2018-16. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/39697. Acesso em: 14 ago. 2022.