Análise de erros na produção escrita de estudantes de PL2

uma abordagem sociocultural

Autores

  • Daisy Cordeiro dos Santos UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL34-v12n2a2018-3

Palavras-chave:

Português como segunda língua, Análise de erros, Língua materna

Resumo

Este estudo analisou os erros nos textos escritos por estudantes estrangeiros em processo de aprendizagem da Língua Portuguesa, matriculados no curso de Português para estrangeiros da Universidade Federal da Bahia, objetivando destacar, classificar e analisar as ocorrências no texto de cada sujeito. Para a pesquisa, foram utilizados os textos dos informantes além de observação de aulas e entrevistas. Este trabalho busca identificar quais fatores linguísticos e extralinguísticos influenciam nos erros dos sujeitos e de que forma essa informação pode contribuir para os estudos de ensino/aprendizagem de português como segunda língua. Para sustentação teórica do trabalho e análise dos dados foram convocados conceitos que norteiam os estudos socioculturais, com destaque especial para aqueles que põem em foco o aprendizado de língua estrangeira. De acordo com os resultados, o fator que exerce maior influência nas falhas de escrita é a língua materna dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daisy Cordeiro dos Santos, UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens (PPGEL) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/Demanda Social (CAPES/DS). Aluna de matrícula especial do curso de Mestrado do PPGEL na disciplina Estudos Sociolinguísticos e do curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEDUC) na disciplina Educação e Pluralidade Cultural. Graduada em Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas pela UNEB. Pesquisadora voluntária de Iniciação Científica na graduação.Tem foco na área da Sociolinguística Interacional.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Fundamentos de abordagem e formação no ensino de PLE e de outras línguas. Campinas: Pontes, 2011.

BAGNO, M. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BORTONI-RICARDO, S. M. Heterogeneidade lingüística e o ensino da língua: o paradoxo da escola. In: BORTONI-RICARDO, S. M. Nós cheguemu na escola, e agora? Sociolinguística e educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005. p. 13-17

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio: linguagens códigos e suas tecnologias. Parte 2. Brasília, DF: MEC/SEF, 2000.

CANALE, M.; SWAIN, M. Theoretical bases of communicative approaches to second language teaching and testing. Applied Linguistics. vol. 1, n. 1, p. 1-47, 1980. https://doi.org/10.1093/applin/1.1.1

COUTO, H. H. Ecolinguística: estudo das relações entre língua e meio ambiente. Brasília: Thesaurus, 2007.

CRUZ, D. T. O ensino de língua estrangeira como meio de tranformação social. In: MOTA, K.; SCHEYERL, D. (Orgs.). Espaços linguísticos: resistências e expressões. Salvador: EDUFBA, 2006. p. 25-56.

CRYSTAL, D. Dicionário de lingüística e fonética. Tradução de Maria Carmelita Pádua Dias. Rio de Janeiro: Zahar, 1988.

FROSI, V. M. Estudo de erros produzidos com artigos por aprendizes de língua italiana: Um subsídio para o ensino/aprendizagem. 432p. São Carlos, SP. Tese de Doutorado. Universidade Federal de São Carlos – UFSCar, 1997.

GLOSSÁRIO DE LINGUÍSTICA APLICADA (Projeto GLOSSA). Glossário digital de termos da área de aquisição e ensino de línguas. Programa de pós-graduação em Linguística Aplicada da UnB, Brasília/DF. Disponível em: http://glossario.sala.org. br. Acesso em 07 jul. 2017.

LEMLE, M. Guia teórico do alfabetizador. São Paulo: Ática, 2003.

LEWIS, M. P.; SIMONS, G. F.; FENNIG, C. D. (Eds.). Ethnologue: Languages of the World. Dallas: SIL International. Disponível em: http://www.ethnologue.com/statistics/size. Acesso em 07 jul. 2017.

LIGHTBOWN, M. P.; SPADA, N. How languages are learned. Oxford: Oxford University Press, 3 ed, 2006.

PINTO, M. B. Desvios na representação ortográfica das vogais posteriores por aprendentes de português língua não materna (PLNM). 2011. 55f. Dissertação (Mestrado em Português Língua Estrangeira/ Língua Segunda) - Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2011. Disponível em https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/20245/1/TESE%20Matilde%20Pinto.pdf Acesso em 07 jul. 2017.

SAVILLE-TROIKE, M. Introducing Second Language Acquisition. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

SCHERRE, M. M. P.; NARO, A. J. Efeitos da saliência fônica e do tempo/modo na concordância verbal. In: MOLLICA, M. C. M. (Orgs.). Usos da linguagem e sua relação com a mente humana. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, p. 71-78, 2010.

TRAGANT, E.; MUÑOZ, C. La motivación y su relación con la edad en un contexto escolar de aprendizaje de una lengua extranjera. In: MUÑOZ C. (Ed.). Segundas lenguas: Adquisición en el aula. Barcelona: Ariel, 2000. p. 81-105.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Tradução de José Cipolla Neto et al. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Downloads

Publicado

29-06-2018

Como Citar

CORDEIRO DOS SANTOS, D. Análise de erros na produção escrita de estudantes de PL2: uma abordagem sociocultural. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 803–838, 2018. DOI: 10.14393/DL34-v12n2a2018-3. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/39083. Acesso em: 16 ago. 2022.