Correferência e relativização na língua de sinais brasileira

descrição e verificação de hipóteses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL33-v12n1a2018-6

Palavras-chave:

Correferência, Estruturas relativas, Gramática Gerativa, Língua de Sinais Brasileira

Resumo

Analisamos neste estudo as relações anafóricas em estruturas oracionais sintaticamente dependentes, considerando a hipótese da relativização em Língua de Sinais Brasileira (LSB). Tendo como pressuposto a teoria gerativa, investigamos: (i) as estruturas relativas são possíveis na LSB? (ii) há a presença ou não do antecedente e do relativizador? (iii) qual a função do elemento que ocupa a posição relativizada, caso esteja presente? Propomos que a criação da referência em LSB é feita por um localizador (Loc), realizado através da apontação de posições definidas no espaço de sinalização para indicar referentes presentes ou ausentes no espaço físico, os quais constituem a categoria dos determinantes, nessa língua. A partir dessa análise, estudamos a relação da correferência em estruturas que envolvem um antecedente e uma posição referencialmente vinculada em uma oração sintaticamente dependente, que postulamos corresponder a uma estrutura relativa. Pela análise dos dados, observamos que o morfema relativo não aparece lexicalmente realizado na sentença. Nesse sentido, as relativas em LSB ocorrem de três maneiras: (i) antecedente- Loc + nominal + elemento localizador relativizado manifesto ou nulo; (ii) antecedente- Loc + elemento localizador relativizado manifesto ou nulo; e (iii) antecedente- nominal + elemento localizador relativizado manifesto ou nulo. Além disso, o localizador que ocupa a posição relativizada pode ser apagado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATTISON, R. Phonological deletion in American sign language. Sign Language Studies, v. 5, 1974.

______. Lexical borrowing in American sign language. Silver Spring, MD: Linstok, 1978.

CHOMSKY, N. Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris, 1981.

______. The Knowledge of Language: its nature, origin and use. New York: Praeger, 1986.

______. The Minimalism Program. Massachusetts: the MITPress, Cambridge, 1995.

COOPER, R. Quantification and Syntactic Theory. Dordrecht/Boston/London: D. Reidel Publishing Company, 1983, 217 p. https://doi.org/10.1007/978-94-015-6932-3

KATO, M. A. Recontando a história das relativas em uma perspectiva paramétrica. In: ROBERTS, I; KATO, M. (orgs.). Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Editora da Unicamp, 1993. p. 223-261.

KATO, M.; NUNES, J. A uniform raising analysis for standard and nonstandard relative clauses in Brazilian Portuguese. Trabalho apresentado no Workshop do Projeto Temático: A Sintaxe do Português Brasileiro. 2007.

KENEDY, E. Aspectos estruturais da relativização em português: uma análise baseada no modelo raising. 2002. 145p. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Rio de Janeiro, Rio de janeiro, 2002.

KAYNE, R. S. The Antisymmetry of Syntax. Cambridge: The MIT Press, 1994, 186p.

LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. As sentenças relativas em português brasileiro: aspectos sintáticos e fatos de aquisição. São Paulo/SP, 2008. Tese (doutorado em Linguística). UNICAMP, 2008.

MIOTO, C.; FIGUEIREDO-SILVA, M. C.; LOPES, R. Novo manual de sintaxe. São Paulo: Contexto, 2013.

PIZZIO, A. L. ; QUADROS, R. M. de ; REZENDE, P. L. F. Língua Brasileira de Sinais I. Florianópolis/SC: UFSC, 2009.

PRADO, L. C. A categoria dos determinantes na língua brasileira de sinais: aspectos sintáticos e de aquisição. Vitória da Conquista/BA, 2014. Dissertação (mestrado em Linguística). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, 2014.

PRADO, L. C.; LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. Dêixis em elementos constitutivos da modalidade falada de línguas de sinais. Revista Virtual de Estudos da Linguagem, v. 10, p. 38-57, 2012.

PRADO, L. C.; LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. A Categoria dos Determinantes na Língua Brasileira de Sinais. In: PILTATI, E. N. S. (Org.). Temas em Teoria Gerativa: Homenagem a Lucia Lobato. 1 ed. Brasília - DF: Blanche, 2016, v. 1, p. 157-167.

ROSS, J. R. Constraints on Variables in Syntax. 1967. 523p. Tese (Doutorado) ― Massachusetts Institute of Technology, Cambridge, 1967.

ROUVERET, A. “Présentation” e “Postscript”. In: CHOMSKY, N. La nouvelle syntaxe, Paris: Ed. Du Seuil, 1987. 379p.

SALLES, H. M. Prepositions and the Syntax of Complementation. PhD Thesis, University of Wales, 1997.

_____ Aspectos da sintaxe de clíticos e artigos em português. Revista Letras, 56, 2001, p. 177-191.

SMITH, C. Determiners and relatives clauses in a generative grammar. In: REIBEL, D. A.; SCHANE, S. A. (Eds.). Modern Studies in English: Readings in Transformational Grammar. New York: Englewood Cliffs, Prentice-Hall, 1964, p. 247-263.

STOKOE, W. Sign and Culture: A Reader for Students of American Sign Language. Maryland: Linstok Press, 1960.

TARALLO, F. Relativization Strategies in Brazilian Portuguese. 1983. 273p. Tese (Doutorado) ― University of Pennsylvania, Pennsylvania, Philadelphia, 1983.

Downloads

Publicado

29-03-2018

Como Citar

DO PRADO, L. C.; NAVES, R. R.; LIMA SALLES, H. M. M. Correferência e relativização na língua de sinais brasileira: descrição e verificação de hipóteses . Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 147–178, 2018. DOI: 10.14393/DL33-v12n1a2018-6. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/38686. Acesso em: 16 ago. 2022.