Tradução e Mercado

uma análise discursiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL32-v11n5a2017-14

Palavras-chave:

Tradução, Discurso, Mercado

Resumo

Este trabalho investiga parte da relação entre tradução e mercado de trabalho a partir da análise de quais efeitos de sentidos são postos em circulação quando a tradução é tomada como mercadoria e ocupação profissional no espaço dos sites de empresas de tradução. Com base na Análise do Discurso francesa de Michel Pêcheux, esta pesquisa tenta compreender as políticas das empresas de tradução, particularmente como tais empresas entendem e apresentam a tradução enquanto prática e produto em seus websites. Dado o desenvolvimento do campo dos Estudos de Tradução e o crescente interesse de alunos de graduação e de cursos livres em se tornarem tradutores, são relevantes estudos sobre a tradução percebida como trabalho e as possíveis mudanças no modo como a tradução é falada, entendida e realizada no espaço mercadológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovana Cordeiro Campos de Mello, Universidade Federal Fluminense - UFF

PROFESSORA ADJUNTA DE TRADU

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de estado. Trad. Walter J. Evangelista e Maria L. V. De Castro. RJ: Graal, 1985 [1970].

BALDINI, L. J. S. Tríplice Aliança. In: MARIANI, B.; DIAS, J. (Ed.). Enciclopédia audiovisual virtual de termos, conceitos e pesquisas em Análise do Discurso e áreas afins. Niterói: LAS/UFF, 2016. Disponível em: http://ufftube.uff.br/video/1X7GA346K9SK/Tr%C3%ADplice-alian%C3%A7a--Lauro-Baldini. Acesso em: 31 out. 2016.

BRASIL. Ministério do Trabalho e do Emprego. CBO — Classificação Brasileira de Ocupações. Disponível em: http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/home.jsf. Acesso em: 20 jan. 2017.

CALDAS, B. F. Discursos sobre/de tradução no Brasil: línguas e sujeitos. 2009. 200 f. Tese (Doutorado em Letras). Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense. Niterói, RJ, 2009.

CALDAS, B. F; MELLO, G. C. C. de. Tradução e Tradutores no Brasil: construções discursivas em editais públicos. In: JORNADA INTERNACIONAL DE ESTUDOS DO DISCURSO, 2., 2012, Maringá, p. 1-15. Anais... Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2012.

______. Vozes da Tradução como Profissão: movência de sentidos na Classificação Brasileira de Ocupações. In: ESTEVES, L.; VERAS, V. (Org.). Vozes da tradução, éticas do traduzir. São Paulo: Humanitas, 2014, p. 177-196.

CRONIN, M. Translation and Globalization. London: Routledge, 2003.

FERREIRA, M. C. L. A Análise do Discurso e suas interfaces: o lugar do sujeito na trama do discurso. Organon. Porto Alegre, v. 24, n. 48, p. 1-12, 2010. Disponível em: file:///C:/Users/Daniel/Downloads/28636-110571-1-SM.pdf. Acesso em: 6 jan. 2017.

FOUCAULT, M. Arqueologia do saber. Trad. Luiz F. B. Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005 [1969].

INDURSKY, F. A fragmentação do sujeito em análise do discurso. In: INDURSKY, F.; CAMPOS, M. C. (Org.). Discurso, memória, identidade. Sagra Luzzato: Porto Alegre, 2000, p. 70-81.

O GLOBO. Mais da metade da População não tem acesso à rede diz relatório da ONU. Disponível em: http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/mais-da-metade-da-populacao-mundial-nao-tem-acesso-internet-diz-relatorio-da-onu-7557878#ixzz4P0FvT0PQ. Acesso em: 20 out. 2016

LARANJEIRA, M. A Poética da Tradução. São Paulo: EDUSP, 2003

LEFEVERE, A. P. Translation, rewriting and the manipulation of literary fame. London, New York: Routledge, 1992.

MARIANI, B. O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais 1922-1989. RJ: Revan, SP: Unicamp, 1998.

MARQUES, W. Metodologia de Pesquisa em Análise do Discurso Face aos Novos Suportes Midiáticos. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 5, n. 1, 2011, p. 58-73.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política (Livro 1). Trad. Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1996. t. 1.

MELLO, G. C. C. de. Assimilação e Resistência sob uma perspectiva discursiva: o caso de Monteiro Lobato. 2010. 402 f. Tese (Doutorado em Letras) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica. Rio de Janeiro, RJ, 2010.

______. Tradução e rede eletrônica: sentidos em luta? In: LIMA, É. (Org.) Tradução: avanços e desafios na era digital. Rio de Janeiro: Editora Transitiva, 2018 (no prelo).

ORLANDI, E. Segmentar ou recortar? In: Linguística: questões e controvérsias. Série Estudos 10. Curso de Letras do Centro de Ciências Humanas e Letras das Faculdades Integradas de Uberaba. Uberaba, 1984, p. 9-27.

______. Análise do discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 2005 [1999].

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso. Trad. Eni P. Orlandi. In: GADET, F.; HAK, T. (Org.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Unicamp, 1997 [1969].

______. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi. Campinas, SP: Ed. Da Unicamp, 1988 [1975].

SCHLEIERMACHER, F. Sobre os diferentes métodos de tradução. Trad. Margarete von Mühlen Poll. In: HEIDERMANN, W. (Org.). Clássicos da teoria da tradução. Florianópolis: UFSC/Núcleo de Tradução, 2001 [1813], p. 25-87. v. 1.

SOUZA, L. M. A. e. Ideologia e rede eletrônica. In: MARIANI, B.; DIAS, J. (Ed.). Enciclopédia audiovisual virtual de termos, conceitos e pesquisas em Análise do Discurso e áreas afins. Niterói: LAS/UFF, 2016. Disponível em: http://ufftube.uff.br/video/1X7GA346K9SK/Tr%C3%ADplice-alian%C3%A7a--Lauro-Baldini. Acesso em: 31 out. 2016.

STUPIELLO, É. N. de A. Ética profissional na tradução assistida por sistemas de memórias. São Paulo: UNESP Digital, 2014.

ZIZEK, S. Primeiro como tragédia, depois como farsa. Trad. Maria Beatriz Mendonça. São Paulo: Boitempo, 2011.

VENUTI, L. Escândalos da tradução: por uma crítica da diferença. Trad. Laureano Pelegrin et al. Bauru: EDUSC, 2002 [1998].

Downloads

Publicado

21-12-2017

Como Citar

MELLO, G. C. C. de. Tradução e Mercado: uma análise discursiva. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 5, p. 1649–1673, 2017. DOI: 10.14393/DL32-v11n5a2017-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/37440. Acesso em: 22 maio. 2022.