A audiodescrição na Extensão Universitária

formação e prática cidadã

Autores

  • Soraya Ferreira Alves Universidade de Brasília - UnB
  • Helena Santiago Vigata Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL32-v11n5a2017-23

Palavras-chave:

Audiodescrição, Extensão universitária, Obras de artes visuais, Frida Khalo

Resumo

Este trabalho visa relatar uma experiência de audiodescrição em contexto real, ligada à extensão universitária. Essa experiência consistiu na audiodescrição, realizada pelo Grupo de Pesquisa e Extensão Acesso Livre - UnB, da exposição Frida Kahlo: Conexões entre mulheres surrealistas no México, ocorrida na CAIXA Cultural de Brasília, de 13 de abril a 5 de junho de 2016. Primeiramente foram realizados estudos preliminares sobre a audiodescrição de obras de arte visuais e, em seguida, foi feita a escolha das obras a serem audiodescritas pelos alunos membros do grupo com supervisão e revisão das coordenadoras e autoras deste trabalho. Após a confecção dos roteiros, foi realizada visita à exposição com 11 pessoas com deficiência visual. O retorno dos participantes com deficiência visual e a autoavaliação dos alunos demonstram que experiências em contextos reais e com usuários reais auxiliam a treinar futuros audiodescritores com consciência da importância de sua ação cidadã, além de aprimorar suas habilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soraya Ferreira Alves, Universidade de Brasília - UnB

Graduação em Letras- Tradução Inglês, Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP; Pós-Doutorado com projeto sobre formação de audiodescritores, pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Helena Santiago Vigata, Universidade de Brasília

Foto Doutora em Comunicação Social pela Universidade de Brasília (2016) com bolsa CAPES para a realização de estágio de Doutorado Sanduíche na Universidade Complutense de Madri (agosto de 2014-julho de 2015). Mestre em Linguística Aplicada (2011) pela Universidade de Brasília (UnB). Fez uma pós-graduação latu sensu em Ensino de Espanhol como Segunda Língua (2011) na Universidad Nacional de Educación a Distancia (UNED), Espanha, e outra em Tradução Audiovisual (2002) na Universitat Autònoma de Barcelona (UAB). Possui graduação em Tradução e Interpretação (2001) pela Universitat Autònoma de Barcelona (UAB). Fez o curso técnico de Cinema da Escola Darcy Ribeiro, Rio de Janeiro, na especialidade de montagem e edição de imagem e som (2007). Foi professora-leitora de Espanhol na Licenciatura Letras-Espanhol da Universidade de Brasília (UnB), onde atualmente ocupa o cargo de professora assistente do Bacharelado em Línguas Estrangeiras Aplicadas ao Multilinguismo e à Sociedade da Informação (LEA-MSI). Tem experiência nas áreas de Tradução, Legendagem e Ensino de Espanhol Como Língua Estrangeira, e suas pesquisas focam principalmente em: Tradução Audiovisual, Acessibilidade Audiovisual e Ensino de Línguas.

Referências

ALVES, S. F.; TELES, V. C.; PEREIRA, T. V. Propostas para um modelo brasileiro de audiodescrição para deficientes visuais. Revista Tradução e Comunicação, Londrina, n. 22, 2011. Disponível em: http://sare.unianhanguera.edu.br/index.php/rtcom/article/view/3158.

COHEN, R.; DUARTE, C.; BRASILEIRO, A. Acessibilidade a museus. Brasília: Ministério da Cultura; Instituto Brasileiro de Museus, 2012. Disponível em: http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2013/07/acessibilidade_a_museu_miolo.pdf. (Cadernos Museológicos, 2).

DÍAZ CINTAS, J. Por una preparación de calidad en accesibilidad audiovisual. TRANS, Málaga, n. 2, p. 45-59, 2007.

JIMÉNEZ HURTADO, C. Una gramática local del guión audiodescrito. Desde la semántica a la pragmática de un nuevo tipo de traducción. In: HURTADO, C. J. (Ed.). Traducción y accesibilidad. Subtitulación para sordos y audiodescripción para ciegos: nuevas modalidades de Traducción Audiovisual. Frankfurt: Peter Lang, 2007, p. 55-80.

NORD, C. El funcionalismo en la enseñanza de traducción. Mutatis Mutandis, Medellín, n. 2, v. 2, p. 3-35, 2009.

PRAXEDES FILHO, P. H. L.; MAGALHÃES, C. M. A neutralidade em audiodescrições de pinturas: resultados preliminares de uma descrição via teoria da avaliatividade. In: ARAÚJO, V. L. S.; ADERALDO, M. F. (Org.). Os novos rumos da pesquisa em audiodescrição no Brasil. Curitiba: CRV, 2013, p. 73-88.

GONZÁLEZ, S. Accesibilidad, autonomía y aportación de las personas con discapacidad intelectual en los museos del siglo XXI. In: MUSEU NACIONAL CENTRO DE ARTE REINA SOFÍA. Conect@: un proyecto de colaboración entre personas con diferentes capacidades para promover la plena accesibilidad a la cultura. Madrid, p. 65-82, 2015.

SANTIAGO VIGATA, H. A experiência artística das pessoas com deficiência visual em museus, teatros e cinemas: uma análise pragmaticista. 2016. 313 f. Tese (Doutorado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade de Brasília. Brasília, DF, 2016.

SNYDER, J. Audio description - The visual made verbal. In: DIAS-CINTAS, J. The didatics of audiovisual translation. Amsterdam; Philadelphia: John Benjamins, 2008, p. 191-198. https://doi.org/10.1075/btl.77.18sny

Downloads

Publicado

21-12-2017

Como Citar

ALVES, S. F.; VIGATA, H. S. A audiodescrição na Extensão Universitária: formação e prática cidadã. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 5, p. 1825–1849, 2017. DOI: 10.14393/DL32-v11n5a2017-23. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/37439. Acesso em: 7 out. 2022.