Modelagem topológica do perfil sistêmico-funcional de manuais de instrução no espaço gramatical

Autores

  • Francieli Silvéria Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Giacomo Patrocinio Figueredo Universidade Federal de Ouro Preto
  • Thaís Guerra Campolina Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL29-v11n2a2017-8

Palavras-chave:

Modelagem sistêmico-funcional, Perfilação sistêmica, Linguística Computacional, Linguística de Corpus, Manual de instrução.

Resumo

Embasado nos pressupostos da Linguística Sistêmico-Funcional e da Linguística de Corpus, o presente artigo investiga o modo pelo qual os sistemas gramaticais da oração contribuem para a produção de significados do texto. Mais especificamente, objetiva construir um modelo dinâmico da gramática que descreva a produção textual no manual de instrução em português brasileiro. Uma vez que a língua é constituída de probabilidades de ocorrência de funções que compõem subconjuntos, aos quais se denominam aqui, é possível descrevê-los à medida que as funções linguísticas são descritas. Para a modelagem, foi compilado um corpus de manuais de instrução e analisado segundo os sistemas principais da oração. Os resultados mostram como foi possível produzir um modelo, o qual aponta que as funções que realizam o manual prototipicamente são processo material, relacional e verbal, modo declarativo e jussivo e tema default e perspectiva. Além disso, configura-se como uma das formas de generalização das probabilidades maiores de escolhas dos sistemas gramaticais para esse gênero textual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francieli Silvéria Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto (2015). Atua na área de Lingüística, trabalhando principalmente com os seguintes temas: análise contrastiva, modelagem linguística, variação linguística, sistema de mensagem, perfil metafuncional e Teoria Sistêmico Funcional.

Giacomo Patrocinio Figueredo, Universidade Federal de Ouro Preto

Possui doutorado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2011).

Thaís Guerra Campolina, Universidade Federal de Ouro Preto

Graduada em Letras pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atua na área de Linguística, trabalhando principalmente com os seguintes temas: Tema Textual, Descrição Linguística, Sistema de MENSAGEM e Teoria Sistêmico Funcional.

Referências

BERBER SARDINHA, T. Linguística de corpus: histórico e problemática. D.E.L.T.A., v. 16, n. 2, p. 323-367, 2000.

BIBER, D. What can a corpus tell us about registers and genres? In: O’KEEFFE, A.; McCARTHY, M. (Ed.). The Routledge Handbook of corpus Linguistics. London, New York: Routledge, 2010. p. 241-254. https://doi.org/10.4324/9780203856949.ch18

BRAGA, A. A popularização da popularização da ciência: gramaticalização da interação, avaliação, representação da experiência, construção e organização discursiva. 2013. 97 f. Monografia (Bacharelado em Tradução) – Departamento de Letras, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2013.

BUNGE, M. La investigación científica: Su estrategia y su filosofía. Barcelona: Ediciones Ariel, 1969.

FIGUEREDO, G. Introdução ao perfil metafuncional do português brasileiro: contribuições para os estudos multilíngues. 2011. 385 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

FIGUEREDO, G. Uma metodologia de perfilação gramatical sistêmica baseada em corpus. Letras & Letras, v. 30, n. 2, jul./dec., 2014. p. 17-45. https://doi.org/10.4324/9780203856949.ch18

GLEASON, H. Linguistics and English grammar. New York: Holt, Rinehart & Winston, 1965.

HALLIDAY, M. A. K. Language as social semiotic: the social interpretation of language and meaning. London & Baltimore: Edward Arnold & University Park Press, 1978.

______. Towards Probabilistic Interpretations. In: VENTOLA, E. (Ed.). Functional and Systemic Linguistics: Approaches and Uses. Berlin/ New York: Mouton de Gruyter, 1991. p.39-61. https://doi.org/10.1515/9783110883527.39

______. On grammar. London: Continuum, 2002.

______. Computational and quantitative studies. London: Continuum, 2005.

______. Working with meaning: towards an appliable linguistics. In: WEBSTER, J. (Ed.). Meaning in Context: implementing intelligent applications of language studies. London and New York: Continuum, 2008.

______. Pinpointing the choice: meaning and the search for equivalents in a translated text. In: MAHBOOB, A.; KNIGHT, N. (Ed.). Appliable Linguistics. London e New York: Continuum, 2010.

HALLIDAY, M. A. K.; MATTHIESSEN, C. Construing experience as meaning: a language based approach to cognition. London: Cassell, 1999.

______. Halliday’s introduction to functional grammar. 4ed. Oxford e New York: Routledge, 2014. A

HALLIDAY, M. A. K; McINTOSH, A.; STREVENS, P. The linguist sciences and language teaching. London: Longmans, 1964.

LEMKE, J. Text Production and Dynamic Text Semantics. In: VENTOLA, E. (Ed.). Functional and systemic linguistics: approaches and uses. Berlin: Mouton de Gruyter, 1991. https://doi.org/10.1515/9783110883527.23

______. Discourse, Dynamics, and Social Change. Cultural Dynamics. v.6, n. 1, p. 243-275, 1993. https://doi.org/10.1177/092137409300600107

LIMA, K.C.S.; Caracterização de registros orientada para a produção textual no ambiente multilíngue: um estudo baseado em corpora comparáveis. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG/PosLin, 2013.

MAHBOOB e KNIGHT, N. Appliable linguistics: an introduction. In: ______. (Ed.). Appliable Linguistics. London e New York: Continuum, 2010.

MARTIN, J. R. English text: system and structure. Philadelphia and Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 1992. https://doi.org/10.1075/z.59

______. Systemic functional grammar: a next step into the theory – axial relations. Beijing: Higher Education Press, 2013.

MARTIN, J.; MATTHIESSEN, C. Systemic typology and topology. In: CHRISTIE, F. (Ed.). Literacy in social processes. Darwin: Centre for Studies in Language in Education, Northern Territory University, 1991.

MARTIN, J.; ROSE, D. Working with discourse: meaning beyond the clause. 2. ed. London: Continuum, 2007.

MATTHIESSEN, C. Register in the round: registerial cartography. Funct Linguist 2015.

MATTHIESSEN, C.; BATEMAN, J. Text generation and systemic functional linguistics: experiences from English and Japanese. London: Pinter Publishers, 1991.

MATTHIESSEN, C.; TERUYA, K.; WU, C. Multilingual studies as a multi-dimensional space of interconnected language studies. In: WEBSTER, J. (Ed.). Meaning in Context: implementing intelligent applications of language studies. London and New York: Continuum, 2008.

MATTHIESSEN, C.; TERUYA, K.; LAM, M. Key terms in systemic functional linguistics. London and New York: Continuum, 2010.

O’DONNELL, M. The UAM CorpusTool: software for corpus annotation and exploration. In: BRETONES CALLEJAS, C. et al. (Ed.). In: Applied linguistics now: understanding language and mind. Almería: Universidad de Almería, 2008.

OLIVEIRA, F. S. Comparação linguística e perfilação gramatical sistêmica em um corpus combinado. Revista Estudos da Linguagem, v. 23, Edição Especial, p. 727-768, 2015.

PAGANO, A. S. et al. Boas Práticas para a Pesquisa nas Ciências da Saúde. In: TORRES, H. D. C.; REIS, I. A.; PAGANO, A. S. Empoderamento do Pesquisador nas Ciências da Saúde. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2015. Cap. 9, p. 139-142.

ROSE, D. The Western Desert Code: an Australian cryptogrammar. Canberra, The Australian National University: Pacific Linguistics, 2001.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

TEICH, E. Contrastive linguistics and translation studies revisited. In: GIL, A. (Org.). Modelle der Translation: Grundlagen für Methodik, Bewertung, Computer Modellierung. Frankfurt am Main e Berlin: Lang, 1999.

URE, J. Text types classified by situational factors. Manuscrito, 1989.

VIANA, V. Linguística de corpus: conceitos, técnicas e análises. In: VIANA, V.; TAGNIN, S. (Org.). Corpora no ensino de línguas estrangeiras. São Paulo: HUB Editorial, 2011, p. 25-95.

WINOGRAD, T. Understanding natural language. New York: Academic Press, 1972.

WINOGRAD, T. Shifting viewpoints: Artificial intelligence and human–computer interaction. USA: Elsevier B. V., 2006, p. 1256-1258.

Downloads

Publicado

17.04.2017

Como Citar

OLIVEIRA, F. S.; FIGUEREDO, G. P.; CAMPOLINA, T. G. Modelagem topológica do perfil sistêmico-funcional de manuais de instrução no espaço gramatical. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 11, n. 2, p. 418–447, 2017. DOI: 10.14393/DL29-v11n2a2017-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/36939. Acesso em: 5 dez. 2022.