A história em quadrinhos na aula de língua portuguesa como Segunda Língua (L2)

relato de uma experiência com alunos surdos

Autores

  • Fernanda Beatriz Caricari de Morais Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC)
  • Osilene Maria de Sá Cruz Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL28-v11n1a2017-12

Palavras-chave:

Língua Portuguesa como L2, Língua de Sinais, História em Quadrinhos, Aprendizes Surdos, Gênero Textual

Resumo

Este trabalho faz parte do Projeto de Pesquisa Compreensão e Produção escrita em Língua Portuguesa, desenvolvido no Instituto Nacional de Educação de Surdos, e relata o ensino de Língua Portuguesa como L2 para graduandos surdos do curso de Pedagogia. A partir do aporte teórico sobre aprendizagem de segunda língua (LIGHTBOWN; SPADA, 2004) e estudos sobre ensino de Língua Portuguesa escrita para surdos (QUADROS, 2004; LODI, 2002; PEREIRA, 2002, entre outros), foi realizada uma atividade de leitura e escrita, utilizando o gênero textual história em quadrinhos (HQ) da Turma da Mônica. Os procedimentos envolveram a discussão inicial sobre a história em Libras, levantando os conhecimentos prévios dos alunos, a leitura, a discussão sobre a história e a produção escrita. Os resultados mostram a importância da língua de sinais para ensino aos surdos e do ensino baseado em gêneros textuais para desenvolver habilidades de leitura e escrita dos alunos. Os aprendizes refletiram sobre a estrutura da Língua Portuguesa, principalmente sobre significados denotativos e conotativos, as características dos personagens e o enredo presente na história da Turma da Mônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Beatriz Caricari de Morais, Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC)

Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-SP), com estágio doutoral na Universidade de Lisboa (CAPES), tendo realizado estágio de pós-doutorado na Universidade Federal de Uberlândia (PNPD/CAPES) e na PUC-SP (PDJ/CNPq). Atualmente, é Professora Adjunta de Língua Portuguesa como L2 do Departamento de Ensino Superior do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC/RJ).

Osilene Maria de Sá Cruz, Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC)

Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem (PUC-SP). Atualmente, é Professora Adjunta de Língua Portuguesa como L2 do Departamento de Ensino Superior do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES/MEC/RJ).

Referências

BROCHADO, S. M. D. A apropriação da escrita por crianças surdas usuárias da língua de sinais brasileira. 2003. 431f. Tese (Doutorado em Letras) - UNESP, Assis. 2003.

ELLIOT, J. La investigación-acción en educación. Tradução de Pablo Manzano. 3. ed. Madrid: Morata, 1997.

FERNANDES, S. Educação bilíngue para surdos: identidades, diferenças, contradições e mistérios. Curitiba, 2003. Tese (Doutorado em Letras), Universidade Federal do Paraná.

______. Práticas de letramento na educação bilíngue para surdos. Curitiba: SEED/SUED/DEE, 2006.

GIORDANI, L. F. Encontros e desencontros da língua escrita. In: LODI, A.C.B et al. Letramento, Bilinguismo e Educação de Surdos. Porto Alegre: Editora Mediação, 2014.

GOLDFELD, M. A criança surda. São Paulo: Pexus, 1997.

KARNOPP, L. B. Língua de sinais e língua portuguesa: em busca de um diálogo. In: LODI, A. C. Letramento e minorias. Porto Alegre: Mediação, 2003.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: The grammar of visual design. Nova York: Routledge, 1996

LACERDA, C. B. F. de.; LODI, A. C. B. Ensino-aprendizagem do português como segunda língua: um desafio a ser enfrentado. In: LACERDA, C. B. F. de; LODI, A. C. B. Uma escola, duas línguas – letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Mediação: 2009.

PEREIRA, M. C. C. Papel da língua de sinais na aquisição da escrita por estudantes surdos. In: LODI, A. C. B. et al. Letramento e minorias. 2. ed. Porto Alegre, RS: Mediação, 2002. cap. 4.

PEREIRA, M. C. C.; VIEIRA, M. I. S. Bilinguismo e Educação de Surdos. Revista Intercâmbio. V.XIX: 62-67, 2009.

RAMOS, P. Os quadrinhos em aulas de Língua Portuguesa. In.: BARBOSA, A. et al. Como usar histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014.

QUADROS, R. M. Educação de surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

SKEHAN, P. Individual differences in second language learning. London: Edward Arnold, 1989.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 11. ed. São Paulo,SP: Cortez, 2002.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação & Pesquisa. São Paulo, v. 31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005.

VERGUEIRO, W. Uso das HQs no ensino. In.: BARBOSA, A. et al. Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014.

VERGUEIRO, W. A linguagem dos quadrinhos: uma “alfabetização” necessária. In.: BARBOSA, A. et al. Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2014.

VIEIRA, P. A.; ARAUJO, V. L. S. Observações sobre a leitura da imagem em atividades com surdos na perspectiva de Kress e Van Leewen. ReVEL, v. 10, n. 19, 2012.

Downloads

Publicado

27-12-2016

Como Citar

CARICARI DE MORAIS, F. B.; CRUZ, O. M. de S. A história em quadrinhos na aula de língua portuguesa como Segunda Língua (L2): relato de uma experiência com alunos surdos. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 233–250, 2016. DOI: 10.14393/DL28-v11n1a2017-12. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/35086. Acesso em: 9 ago. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)