Ensino da relativa padrão do Português Brasileiro para falantes de árabe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL28-v11n1a2017-2

Palavras-chave:

Relativas, Português brasileiro para estrangeiros

Resumo

Este artigo propõe realizar uma análise contrastiva e estudar as estratégias de transferência entre o árabe e o português brasileiro das estruturas de relativização, com o objetivo de promover o aprendizado das relativas do português brasileiro pelos falantes de árabe. Tal aspecto sintático do português brasileiro gera problemas no aprendizado do português como língua estrangeira para os falantes do árabe; dessa maneira, a pesquisa propõe uma reflexão de ensino da estrutura padrão a fim de se evitar a influência da língua materna na língua alvo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Graziela Souza Gomes da Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Doutora do Setor de Estudos Árabes do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Referências

AZEREDO, J. C. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. Redigida de acordo com a nova ortografia. 3ª Ed. São Paulo: Houaiss/ PUBLIFOLHA, 2010.

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Ed. Lucerna, Edição revista e ampliada, 1999.

______. Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Ed. Lucerna, Edição revista e ampliada. Com o Novo Acordo Ortográfico, 2006.

BRUCART, J. M. La Estructura Del Sintagma Nominal: Las Oraciones de Relativo In: BOSQUE, I.; DEMONTE, V. (org) Gramática Descriptiva de La Lengua Española. Madrid: Espasa Calpe, 1999, p. 395-522.

CORRÊA, V. R. Oração Relativa: O que se fala e o que se aprende no português do Brasil. Tese de Doutorado. Campinas, Unicamp, 1998.

COWAN, D. Gramática do árabe Moderno. Tradução de Safa A.A.C. Jubran. São Paulo: Globo, 2007.

DURÃO, A. B. de A. B. Análisis de errores e interlingua de brasileños aprendices de español y de españoles aprendices de portugués. Londrina: Editora UEL, 1999.

ELLIS, R. The study of the second language acquisition. Oxford: Oxford University Press, 1994.

KASSABGY, N.; HASSAN, M. K. Relativization in English and Arabic: A Bidirectional Study. In: IBRAHIM, Z.; KASSABGY, N.; AYDELOTT, S. Diversity in Language: Contrastive Studies in English and Arabic Applied Linguistics. Cairo: The American University in Cairo Press, 2000, p. 49-69.

LIMA, E. E.; LUNES, O. F.; SAMIRA, A. Falar...Ler...Escrever...Português: um curso para estrangeiros. São Paulo: E.P.U, 1999.

SILVA, B. G. S. G. da. O caminhão que eu trabalhava com ele subia qualquer ladeira: um estudo sobre a gramaticalização do que. Rio de Janeiro: UFRJ, Faculdade de Letras. Mimeo. Dissertação de Mestrado em Língua Portuguesa, 2005.

______. As estratégias de relativização na escrita de portugueses dos séculos XVI, XVII e XVIII. Rio de Janeiro: UFRJ, Faculdade de Letras. Mimeo. Tese de Doutorado em Língua Portuguesa, 2011.

TARALLO, F. Relativization Strategies in Brazilian Portuguese. 273p. Tese (Doutorado) Philadelphia: University of Pennsylvania, 1983.

VARGENS, J. B. M. et alii. Português para falantes de árabe. Rio Bonito (RJ): Almádena, 2007.

Downloads

Publicado

27-12-2016

Como Citar

DA SILVA, B. G. S. G. Ensino da relativa padrão do Português Brasileiro para falantes de árabe. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 18–33, 2016. DOI: 10.14393/DL28-v11n1a2017-2. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/33825. Acesso em: 20 maio. 2022.