As pesquisas sobre o português falado em Minas Gerais em 125 anos de história (1889-2014)

Autores

  • Eduardo Tadeu Roque Amaral Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marcos Paulo Santos Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL23-v10n3a2016-20

Palavras-chave:

Historiografia da Linguística, Língua oral, Português brasileiro

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma análise historiográfica do conjunto de obras que investigaram, durante o período de 1889 a 2014, diferentes fenômenos linguísticos da língua portuguesa falada no estado de Minas Gerais. Os pressupostos teóricos adotados se baseiam nos estudos de Historiografia da Linguística, como Altman (1998, 2012), Batista (2013), Koerner (1995, 2004) e Swiggers (2009, 2013). O corpus de análise está constituído por livros, dissertações e teses que, sob diferentes enfoques metodológicos, se propuseram a investigar distintos fenômenos do português oral no estado. A coleta dos dados se deu em páginas eletrônicas de programas de pós-graduação, em acervos de bibliotecas e nos bancos de dados do IBICT e da CAPES. A análise do conjunto de obras permite estabelecer uma periodização dos trabalhos em três fases (1889 a 1937; 1938 a 1976; 1977 a 2014), sendo a terceira a mais fértil para a produção linguística sobre a modalidade oral da língua portuguesa. Observa-se ainda que a pesquisa de pós-graduação, especialmente no nível de mestrado, é a responsável por um acentuado aumento na pesquisa linguística sobre o tema, o que se deu sobretudo a partir dos primeiros anos do século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Tadeu Roque Amaral, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Letras pela USP. Professor adjunto da UFMG.

Marcos Paulo Santos, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduando em Letras e bolsista da FAPEMIG.

Referências

ALMEIDA, J. Maria do Carmo Viegas – dezembro 2011. descubraminas.com, Belo Horizonte, dez 2011. Cultura, Entrevistas. Disponível em: http://www.descubraminas.com.br/Cultura/EntrevistaDetalhe.aspx?cod_entrevista=1647. Acesso em: 26 mai. 2016.

ALTMAN, C. A pesquisa linguística no Brasil (1968-1988). 2. ed. São Paulo: Humanitas/FFLCH/USP, 1998.

ALTMAN, C. História, estorias e historiografia da linguística brasileira. Todas as letras, v. 14, n. 1, p. 14-37, 2012.

AMARAL, E. T. R. (Org.). O português falado em Minas Gerais. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2013. (Viva Voz)

AMARAL, E. T. R.; RAMOS, J. M. Nomes gerais no português brasileiro. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2014.

ANTUNES, C. Dicionário do dialeto rural no Vale do Jequitinhonha - Minas Gerais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

BARBOSA, W. de A. B. Negros e quilombos em Minas Gerais. Belo Horizonte, [s. n.], 1972.

BATISTA, R. de O. Introdução à historiografia da linguística. São Paulo: Cortez, 2013.

BRAGA, M. L. A concordância de número no sistema nominal no Triângulo Mineiro. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) - Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1977.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plataforma Sucupira, 2015. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/index.jsf. Acesso em: 22 dez. 2015.

CARDOSO, S. A. M.; MOTA, J. A. Percursos da geolingüística no Brasil. Linguística, v. 29, n. 1, 2013.

CASTILHO, A. T. de. A língua portuguesa no Brasil. Alfa, v. 1, 1962, p. 9-24. Disponível em http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/view/3129/2860. Acesso em 19 dez. 2011.

COHEN, M. A. A. de M.; RAMOS, J. (Orgs.). Dialeto mineiro: estudos de variação e mudança linguística. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2002.

COHEN, M. A. A. de M. et al. Anais do 1º Encontro sobre a diversidade linguística de Minas Gerais: cultura e memória. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2011. 1 CD-ROM.

CONGRESSO da língua nacional cantada. Anais do primeiro congresso da língua nacional cantada. São Paulo: Departamento de Cultura, 1938.

CUNHA, C. F. da. Ni ‘em’ = ‘Em casa de’. Anais do Primeiro Simpósio de Filologia Românica. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1970. p. 223-230.

CUNHA, J. A. P.. Aspectos da Linguagem de São Domingos: tentativa de descrição da linguagem rural brasileira. Revista Alfa, v. 20/21, 1974/75, p. 81-118.

DOGLIANI, E.; COHEN, M. A. A. de M. (Orgs.). Pelas trilhas de Minas: a língua nas Gerais. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2011.

GIUDICE, P. Modo de falar em BH vira alvo de estudo. O Tempo, Belo Horizonte, 9 ago 2007. Disponível em: http://www.otempo.com.br/cidades/modo-de-falar-em-bh-vira-alvo-de-estudo-1.308540. Acesso em: 25 mai. 2016.

KOERNER, E. F. K. Historiography of Linguistics. In: KOERNER, E. F. K.; ASHER, R. E. Concise history of the language sciences: from the sumerians to the cognitivists. Oxford / New York / Tokyo: Pergamon, 1995. p. 7-16. http://dx.doi.org/10.1016/B978-0-08-042580-1.50005-2

KOERNER, E. F. K. Essays in the history of Linguistics. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamin Publishing Company, 2004. http://dx.doi.org/10.1075/sihols.104

MACHADO FILHO, A. da M. Problemas da Língua. Belo Horizonte: Revista dos Tribunais, 1941. Capítulo: Dialetologia em Minas, p. 170-177.

MACHADO FILHO, A. da M. O negro e o garimpo em Minas Gerais. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1964.

MENDES, A. A. A ausência ou a presença de artigo definido diante de nomes próprios na fala dos moradores da zona rural de Abre Campo e Matipó-MG. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

MOTA, C. Dicionário de fanadês jequitinhonhês mineirês: linguagem falada às margens do rio Fanado & adjacências. Brasília: Stephanie, 2008.

PEREIRA, E. C. Grammatica expositiva. São Paulo: Weiszflog Irmãos, 1907. 364p. Disponível em http://www.iel.unicamp.br/biblioteca/gramaticaindex.php?fg=arquivos/Eduardo_Pereira_gramatica_expositiva/241-260.pdf&mn=gramatica9menu.php. Acesso em: 8 jun. 2015.

PENHA, J. A. Projeto de estudo da norma linguística culta de algumas das principais capitais do Brasil. Alfa Revista de Linguística, v. 16, 1970. p. 345-349.

PENHA, J. A. P. Português rural de Minas numa visão tridimensional: na fala, nos textos regionais, nos escritores antigos. Franca: UNESP, 1997.

PINTO, E. P. (sel. e apres.). O português do Brasil: textos críticos e teóricos, 1- 1820/1920 - Fontes para a teoria e a história. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: EDUSP, 1978.

PINTO, E. P. O português do Brasil: textos críticos e teóricos, 2: 1920/1945: fontes para a teoria e a história. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: EDUSP, 1981.

QUEIROZ, S. Pé preto no barro branco: a língua dos negros da Tabatinga. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

RAMOS, J. M.; COELHO, S. M. Português brasileiro dialetal: temas gramaticais. Campinas: Mercado de Letras, 2013.

RASO, T.; MELLO, H. (Orgs.). C-ORAL-BRASIL I: corpus de referência do português brasileiro falado informal. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

RIBEIRO, G. A. O vocabulário rural de Passos/Minas Gerais: um estudo linguístico nos Sertões do Jacuhy. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

RIBEIRO, J. et al. Esboço de um atlas linguístico de Minas Gerais. Juiz de Fora: Fundação Casa Rui Barbosa/UFJF, 1977. vol.1.

SILVA JÚNIOR, M. P. da; ANDRADE, L.. Grammatica da língua portugueza para uso dos gymnasios, lyceus e escolas normaes. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves / Livraria Clássica de Alves, 1894.

SWIGGERS, P. La historiografía de la linguística: apuntes y reflexiones. Revista argentina de historiografía linguística, v. 1, n. 1, p. 67-69, 2009.

SWIGGERS, P. A historiografia da linguística: objeto, objetivos, organização. Confluência, Rio de Janeiro, n. 44/45, p. 40-59, 2013.

TEIXEIRA, J. de A. O falar mineiro. Revista do Arquivo Público Municipal, v. XLV, São Paulo, p. 5-100, 1938.

VEADO, R. M. A. Comportamento linguístico do dialeto rural. Dissertação (Mestrado em Linguística Teórica e Descritiva) - Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1980.

VEADO, R. M. A. Comportamento linguístico do dialeto rural. Belo Horizonte: UFMG/PROED, 1982.

VIEGAS, M. do C. (Org.). Minas é plural. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2011.

VIEGAS, M. do C. (Org.). Minas é singular. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2013.

Downloads

Publicado

26.08.2016

Como Citar

AMARAL, E. T. R.; SANTOS, M. P. As pesquisas sobre o português falado em Minas Gerais em 125 anos de história (1889-2014). Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 10, n. 3, p. 1172–1201, 2016. DOI: 10.14393/DL23-v10n3a2016-20. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/32827. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Revisão de Literatura