Mapeamento construcional e fraseológico do verbo get: uma abordagem baseada na Linguística de Corpus e na Gramática de Construções Cognitiva

Autores

  • Rodrigo Garcia Rosa Universidade de São Paulo
  • Stella Esther Ortweiler Tagnin Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL17-v9n1a2015-5

Palavras-chave:

Linguística de Corpus, Gramática de Construções, Construções, Fraseologismos, Get

Resumo

Este trabalho investiga os usos de get nos contextos em que o verbo é seguido de sintagmas nominais com a finalidade geral de apresentar um mapeamento das construções em que esse predicado pode ocorrer. A pesquisa adota a perspectiva metodológica da Linguística de Corpus (McENERY; WILSON, 1996), para a seleção e extração de dados da língua em uso por meio da utilização de um corpus de inglês americano (Corpus of Contemporary American English - COCA) e o embasamento teórico adota a perspectiva da Gramática de Construções Cognitiva (GOLDBERG, 1995; 2006) para a análise e classificação dos dados em construções. Mais especificamente, o referido mapeamento construcional tem como objetivo descrever o comportamento linguístico de get em dois níveis de análise, a saber: (1) No nível construcional, ao salientar as principais características sintáticas, semânticas e pragmáticas dos contextos gramaticais em que o verbo ocorre e; (2) No nível lexical, ao focalizar e discutir os principais fraseologismos nucleados por get.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Garcia Rosa, Universidade de São Paulo

Departamento de Letras Modernas, área de estudos linguísticos e literários em inglês

Stella Esther Ortweiler Tagnin, Universidade de São Paulo

Departamento de Letras Modernas, área de estudos linguísticos e literários em inglês

Downloads

Publicado

15-07-2015

Como Citar

ROSA, R. G.; TAGNIN, S. E. O. Mapeamento construcional e fraseológico do verbo get: uma abordagem baseada na Linguística de Corpus e na Gramática de Construções Cognitiva. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 75–104, 2015. DOI: 10.14393/DL17-v9n1a2015-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/28082. Acesso em: 29 maio. 2022.