Discurso e poder em Michel Foucault: o controle do que dizemos na rede visto pela política de privacidade do Google

Autores

  • Licia Frezza Pisa Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL15-v8n1a2014-14

Palavras-chave:

Análise do Discurso,

Resumo

O presente trabalho visa analisar, por meio das noções de poder estudadas por Foucault, como os mecanismos oriundos da internet, nesse caso, o buscador Google, não se apresentam como no imaginário popular, ou seja, como democráticos e livres. Ao contrário, é possível perceber como o controle exercido por esse(s) mecanismo(s) é fundamental para a manutenção dos discursos, das tendências, do consumo, etc. contrapondo a ideia de que tudo da rede é permitido e não vigiado e ao usuário seria possível falar tudo o que quiser. O artigo analisa as políticas de privacidade e de termos de serviço e constata que o Google passa a ter posse de tudo aquilo que fazemos no site e nos outros sites de sua propriedade e o que compreendemos é que a sensação de ausência de poder é que alimenta o poder de mão única que o Google exerce sobre todos os nossos discursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Licia Frezza Pisa, Universidade Federal de São Carlos

Programa de Pós-Graduação em Linguística. Análise do Discurso.

Downloads

Publicado

30.06.2014

Como Citar

PISA, L. F. Discurso e poder em Michel Foucault: o controle do que dizemos na rede visto pela política de privacidade do Google. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 8, n. 1, p. 250–266, 2014. DOI: 10.14393/DL15-v8n1a2014-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/24624. Acesso em: 26 nov. 2022.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.