Linguista "puro" vs. Linguista "computacional"

revisitando a distinção entre "linguista de poltrona" e "linguista aplicado"

Autores

  • Gabriel de Ávila Othero UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL3-v2n1a2008-5

Palavras-chave:

Processamento computacional, Lingüística Computacional, Epistemologia da Lingüística

Resumo

revisitamos a antiga questão do "linguista de poltrona" vs. "linguista de campo", trazendo a discussão para a Linguística Computacional, mais especificamente, para a área de processamento sintático, ou parsing. Discutiremos algumas idéias centrais da área de processamento mostrando alguns conflitos entre os objetivos dos trabalhos que visam ao entendimento da competência gramatical dos falantes e os objetivos dos trabalhos que visam ao estudo do desempenho linguístico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

31.01.2011

Como Citar

OTHERO, G. de Ávila. Linguista "puro" vs. Linguista "computacional": revisitando a distinção entre "linguista de poltrona" e "linguista aplicado". Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 2, n. 1, 2011. DOI: 10.14393/DL3-v2n1a2008-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11476. Acesso em: 5 dez. 2022.