Poder e persuasão no discurso religioso medieval

Autores

  • Maria Lúcia da Cunha Victório de Oliveira Andrade FFLCH/USP

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL1-v1n1a2007-2

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Persuasão, Poder, Interação, Hagiografia

Resumo

Partindo da hagiografia de São Frutuoso de Braga, pretendemos analisar como se instaura a interação em um texto que objetiva persuadir o leitor por meio da narrativa sobre a vida de um santo, tornando um exemplo a ser seguido. O intuito da Igreja ao solicitar que os religiosos redigissem uma hagiografia era produzir textos para o uso litúrgico, nas missas ou ofícios monásticos; propagar os feitos de um determinado santo, atraindo, assim, ofertas e doações para os Templos e Mosteiros que os tinham como patronos; para leitura privada ou como textos de escola; instruir e edificar os cristãos na fé; divulgar os ensinamentos oficiais da Igreja, etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Lúcia da Cunha Victório de Oliveira Andrade, FFLCH/USP

Professora de Língua Portuguesa
Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas
Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

18.01.2011

Como Citar

ANDRADE, M. L. da C. V. de O. Poder e persuasão no discurso religioso medieval. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 1, n. 1, 2011. DOI: 10.14393/DL1-v1n1a2007-2. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11394. Acesso em: 27 fev. 2024.