DEFINIÇÃO DE ÁREAS PARA FORMAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS ATRAVÉS DA INTEGRAÇÃO DE DADOS EM UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

Conteúdo do artigo principal

Carlos Loch
Paola Beatriz May Rebollar
Yuzi Anai Zanardo Rosenfeldt
Crisley Silveira Raitz
Mirtz Orige Oliveira

Resumo

A implantação de corredores ecológicos é uma estratégia utilizada para interligar áreas florestais fragmentadas desde a década de 1970. A Mata Atlântica, um dos biomas brasileiros mais impactados, apresenta fragmentos vegetais que podem ser unidos promovendo um processo sinérgico positivo cujo efeito para produção de serviços ecossistêmicos vai além do somatório da capacidade de cada fragmento. Neste bioma a extensa rede hidrográfica aponta para o potencial das matas ciliares, áreas protegidas pelo Código Florestal Brasileiro, para a formação de corredores ecológicos. Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo definir áreas potenciais para implantação de corredores ecológicos no distrito de Pirabeiraba, município de Joinville, Santa Catarina, a partir da integração e relacionamento de dados em um Sistema de Informação Geográfica baseado no atual de uso e ocupação do solo local. Para tanto, foram utilizadas fotografias aéreas ortorretificadas de 2010 e dados do cadastro técnico multifinalitário municipal. A partir destes dados, a forma, a localização e o nível de fragmentação dos remanescentes florestais foram analisados numericamente no software ArcGis utilizando a extensão gratuita V-Late. Foram selecionadas as parcelas fundiárias localizadas nas matas ciliares dos principais rios locais conforme cadastro fundiário disponível. Os resultados apontaram para um aumento estatisticamente significativo de 28% na área total de fragmentos florestais e 18,5% na área média dos fragmentos com a implantação de corredores ecológicos nas matas ciliares da áreas de estudo. Além disso, estes resultados demonstraram uma redução de 27% na distância média entre fragmentos. Os índices de forma e proximidade apontam para o potencial de desfragmentação da implantação de um corredor ecológico na área de estudo. A implantação do corredor sugerido afetaria 32 (3,4%) parcelas fundiárias do local. Diante disso, sugere-se que este método pode ser aplicado por gestores públicos para monitoramento e apoio a tomada de decisão no que se refere à gestão territorial municipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
LOCH, C.; REBOLLAR, P. B. M.; ROSENFELDT, Y. A. Z.; RAITZ, C. S.; OLIVEIRA, M. O. DEFINIÇÃO DE ÁREAS PARA FORMAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS ATRAVÉS DA INTEGRAÇÃO DE DADOS EM UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 65, n. 3, 2013. DOI: 10.14393/rbcv65n3-44798. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44798. Acesso em: 15 jul. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Carlos Loch, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Departamento de Engenharia Civil.

Possui graduação em Engenharia de Agrimensura pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (1979), mestrado em Ciências Geodésicas pela Universidade Federal do Paraná (1982) e doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1988).

Paola Beatriz May Rebollar, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Yuzi Anai Zanardo Rosenfeldt, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Crisley Silveira Raitz, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Mirtz Orige Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>