O USO DE IMAGENS MULTITEMPORAIS PARA O PLANEJAMENTO URBANO E CARACTERIZAÇÃO DE ÁREAS IRREGULARES

Conteúdo do artigo principal

Yuzi Anai Zanardo Rosenfeldt
Carlos Loch

Resumo

Este trabalho apresenta a análise de imagens multitemporais, produtos do sensoriamento remoto suborbital, como método para explicar a origem e evolução de estruturas fundiárias municipais. Utilizando-se desta técnica, demonstra-se que essas estruturas fundiárias são condicionantes para o desenvolvimento e expansão de áreas irregulares. O artigo está estruturado em três partes fundamentais. A primeira parte apresenta os conceitos fundamentais necessários ao entendimento do tema. A segunda apresenta o método utilizado para alcançar os objetivos específicos propostos e estrutura-se em: (i) método analítico; (ii) método cartográfico de investigação e (iii) técnicas de fotointerpretação utilizando classificação visual orientada a objetos. A terceira parte trata dos resultados e análises. São organizados visando à apresentação dos resultados da aplicação do método aos objetivos propostos. Na quadrícula escolhida para análise foram identificadas zonas com características homogêneas mediante o estabelecimento de classes nas quais foram identificadas as feições interpretadas. O SIG é apresentado como ferramenta de manipulação de dados e informações. A análise temporal regressiva identifica o surgimento, a expansão de áreas irregulares bem como a evolução da estrutura fundiária como condicionante para essa realidade. Apoiado por uma análise orientada a objetos, a utilização de imagens multiespectrais produzidas por voos aerofotogramétricos em escalas pequenas e alta resolução espacial facilitou a distinção de uma série de alvos urbanos. Permitiu o reconhecimento das diversas formas entre elas as formas geométricas e as texturas urbanas. Os resultados sugerem que a utilização de imagens multitemporais presta-se com eficiência para analisar a estrutura fundiária, explicar o surgimento e expansão de áreas irregulares e é ferramenta essencial para o planejamento urbano de uma área de interesse. As conclusões reconhecem que os produtos do sensoriamento remoto, bem como o método proposto devem ser utilizados para certificar e validar a existência dessas áreas. A utilização de imagens multiespectrais de alta resolução permitiu a classificação e interpretação das feições. A fotointerpretação das imagens apoiada na percepção do interprete e por uma análise orientada a objetos mostrou-se um método eficaz para áreas irregulares, garantido também pelo recorte reduzido da área de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
ROSENFELDT, Y. A. Z.; LOCH, C. O USO DE IMAGENS MULTITEMPORAIS PARA O PLANEJAMENTO URBANO E CARACTERIZAÇÃO DE ÁREAS IRREGULARES. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 65, n. 6, 2013. DOI: 10.14393/rbcv65n6-43887. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/43887. Acesso em: 14 jul. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Yuzi Anai Zanardo Rosenfeldt, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Carlos Loch, Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>