Manoel de Barros entre tradição e renovação

Autores

  • KELCILENE Grácia-Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Paulo Eduardo Benites Moraes Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL64-v31n1a2015-22

Palavras-chave:

Estudos Literários, Poesia Brasileira Contemporânea, Antropofagia

Resumo

A poética de Manoel de Barros é marcada por um experimentalismo que enaltece a sinfonia de vozes com as quais o poeta dialoga. Nesse sentido, a obra de Manoel de Barros apresenta elementos que apontam para uma poética articuladora de um projeto estético subjacente à sua obra e encaminha-se no sentido da consolidação de uma ars poetica própria que norteia os valores estéticos e éticos do poeta. Logo, o problema do presente trabalho busca saber como Manoel de Barros introduz, na tessitura de sua poesia, reflexões espaciotemporais que perpassam a história circunstancial e a história literária. Marcado pelas tensões de uma consciência crítica, procuramos evidenciar como o poeta estabelece relação com a tradição e a contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

KELCILENE Grácia-Rodrigues, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Estudos Literários pela UNESP-Araraquara. Professora Associada da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no câmpus de Três Lagoas.

Paulo Eduardo Benites Moraes, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando em Letras na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul/Câmpus de Três Lagoas.

Downloads

Publicado

2015-07-10

Como Citar

GRÁCIA-RODRIGUES, K.; MORAES, P. E. B. Manoel de Barros entre tradição e renovação. Letras & Letras, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 312–330, 2015. DOI: 10.14393/LL64-v31n1a2015-22. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/29493. Acesso em: 23 maio. 2022.