O tratamento da variação linguística nos cursos de Pedagogia do Brasil

o que os PPCs têm a dizer?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-37

Palavras-chave:

Diversidade linguística, Formação de professores, Grades curriculares

Resumo

O trabalho com a Língua Portuguesa, no contexto escolar, inicia-se nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com professores cuja formação acadêmica não é obrigatoriamente na área de Letras, o que explica algumas dificuldades que esses profissionais possam vir a ter. Nessa perspectiva, partindo da hipótese de que os cursos de Pedagogia não dispõem de uma grade curricular que vise ao aprofundamento teórico de temas concernentes à língua(gem), objetivou-se, com esta pesquisa, investigar se e como é feito o tratamento da variação linguística em dez desses cursos ofertados por universidades públicas federais e estaduais das cinco regiões brasileiras, utilizando o aporte teórico da Sociolinguística Educacional (BORTONI-RICARDO, 2005) e de autores que versam sobre o contexto histórico do curso de Pedagogia no Brasil. Atinente à metodologia, realizou-se, sob uma abordagem qualitativa, o procedimento técnico da pesquisa documental, concebendo os Projetos Pedagógicos como objeto de estudo. A análise do material foi norteada por um roteiro composto por quatro perguntas, possibilitando auferir que os cursos, em sua maioria, não apresentam disciplinas voltadas à discussão sobre a variação linguística. Portanto, muitos pedagogos, em sua formação inicial, não adquirem os conhecimentos básicos para atender o que recomenda a BNCC a respeito deste tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Douglas Afonso dos Santos, UEL

Doutorando em Estudos da Linguagem, na área de Linguagem e Educação, pela Universidade Estadual de Londrina (PPGEL/UEL - Bolsista CAPES). 

Silvia Helena de Freitas Ruiz, UEL

Doutoranda em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina.

Joyce Elaine de Almeida, UEL

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP). Professora Associada da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Referências

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

BEZERRA, A. S. Contribuições da sociolinguística para a atuação profissional docente: um estudo de caso com discentes de pós-graduação da Universidade Federal Rural da Amazônia. 31f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Linguagem, Cultura e Formação docente) – Universidade Federal Rural da Amazônia, Tomé-Açu – PA, 2022.

BORTONI-RICARDO, S. M. Nós cheguemu na escola, e agora?: sociolinguística e educação. São Paulo: Parábola, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017.

BRASIL. Decreto Lei nº 1.190, de 04 de abril de 1939. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=12991. Acesso em: 03 jan. 2023.

BRASIL. Parecer nº 292, de 14 de novembro de 1962b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=12919. Acesso em: 03 jan. 2023.

BRASIL. Decreto Lei n. 3.454, de 24 de julho de 1941. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=12919. Acesso em: 03 jan. 2023.

BRASIL. Resolução CNE/CP n.1, 15 de maio de 2006. Diário Oficial da União, n.92, seção 1, p. 11-12, 16 de maio 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=12991. Acesso em: 11 jan. 2023.

BRZEZINSKI, I. Curso de pedagogia no Brasil: história e identidade. Campinas: Autores Associados, 1999.

CAMACHO, R. G. Da linguística formal à linguística social. São Paulo: Parábola, 2013.

CRUZ, G. B. Da história do Curso de Pedagogia e a formação do pedagogo no Brasil. O Curso de Pedagogia no Brasil na visão de Pedagogos Primordiais. 302f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2008.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LIBÂNEO, J. C. A Pedagogia em Questão: Entrevista com José Carlos Libâneo. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 10, n.1, p. 11-33, 2007. DOI https://doi.org/10.5212/OlharProfr.v.10.1473

MARTINS, M. A.; VIEIRA, S. R.; TAVARES, M. A. Contribuições da sociolinguística brasileira para o ensino de português. In: MARTINS, M. A.; VIEIRA, S. R.; TAVARES, M. A.(org.). Ensino de português e sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2016. p. 9-35.

SCHEIBE, L. Diretrizes Curriculares para o Curso de Pedagogia: trajetória longa e inconclusa. Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 130, p. 43-62, jan./abr. 2007. DOI https://doi.org/10.1590/S0100-15742007000100004

SILVA, R. C. P. A sociolinguística e a língua materna. Curitiba: Editora Ibpex, 2009.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Projeto pedagógico de curso: Licenciatura em Pedagogia. 2019. Disponível em: https://www.uemg.br/images/PDFs/PPCs/PPC_Pedagogia_FAE_aprovado_coepe_01.07.2020.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ. Projeto pedagógico do curso de Licenciatura em Pedagogia. 2019. Disponível em http://www.ueap.edu.br/storage/old_files/Arquivos/Postagens/Atualização%20site%202020/Atualização%20Cursos/Resolução%20423_%20ANEXO%20-%20PPC%20de%20%20Pedagogia%20-%20Projeto%20revisado%20e%20formatado.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA. Projeto pedagógico de curso: Pedagogia. 2016. Disponível em: https://sistemas.uepb.edu.br/carelatorios/RelatorioPPC?id=18&rl=RelatorioPPC. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA. Projeto pedagógico do curso de Pedagogia. 2018. Disponível em: http://www.uel.br/ceca/pedagogia/pages/arquivos/CURRICULO%202019.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL. Projeto pedagógico do curso de pedagogia, Licenciatura. 2019. Disponível em: http://www.uems.br/assets/uploads/cursos/1b71662454aed5e8895e56cb584a45f5/projeto_pedagogico/2_1b71662454aed5e8895e56cb584a45f5_2021-06-07_17-36-31.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Projeto político pedagógico do curso de Pedagogia – diurno. 2018. Disponível em: http://www.fe.unb.br/images/Graduacao/Presencial/docs/PPP_PEDAGOGIA_DIURNO_05_07_2018_versao_final.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Pedagogia da faculdade de Educação da UFBA. 2012. Disponível em: https://faced.ufba.br/sites/faced.ufba.br/files/curriculo_do_curso_de_licenciatura_em_pedagogia.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA. Projeto político pedagógico do curso de Pedagogia. 2012. Disponível em: https://ded.unir.br/uploads/04155632/Pedagogia%20Presencial%20-%20atualizacao/PROJETO_POLITICO_PEDAGOGICO_DO_CURSO_DE_PEDAGOGIA_416552329.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Projeto pedagógico de curso: curso de Licenciatura em Pedagogia. 2015. Disponível em: http://www.educacao.ufrj.br/wp-content/uploads/2019/08/PPC-atualizado-2014-2015.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Projeto pedagógico de curso: Licenciatura em Pedagogia. 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/pedagogia/wp-content/uploads/2019/03/PPC__Curso_PEDAGOGIA_FACED_2018_VERSAO-2019-1.pdf. Acesso em: 28 jan. 2023.

VARGAS, D. A pesquisa em sociolinguística educacional na formação de professoras pesquisadoras em um curso de pedagogia a distância: considerações iniciais. VIII Seminário Internacional As Redes Educativas e as Tecnologias: Movimentos Sociais e Educação, junho/2015.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução: Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

Downloads

Publicado

16.08.2023

Como Citar

SANTOS, D. A. dos; RUIZ, S. H. de F.; ALMEIDA, J. E. de. O tratamento da variação linguística nos cursos de Pedagogia do Brasil: o que os PPCs têm a dizer?. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1737, 2023. DOI: 10.14393/DLv17a2023-37. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/69649. Acesso em: 22 jul. 2024.