O funcionamento discursivo de tags em vídeos de site pornográfico

um estudo via designação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-2

Palavras-chave:

Análise de Discurso, Pornografia, Tags, Designação

Resumo

A presente investigação reflete sobre o funcionamento discursivo de tags em um vídeo de mulher jornalista disponível no site pornográfico Xvideos. A pesquisa se insere no campo da Análise Materialista do Discurso e a elaboração teórica da análise é realizada a partir da designação. Como objeto de análise, foi tomado um dos milhões de vídeos disponíveis no site, o qual expõe uma mulher jornalista no exercício da profissão, apresentando a previsão do tempo em um telejornal da rede aberta de televisão. Consideramos que a relação estabelecida entre o vídeo e as tags selecionadas estão relacionadas ao funcionamento de uma formação discursiva sexualizadora, a qual naturaliza os efeitos de sentido relacionados ao corpo feminino como corpo-mercadoria existente em uma conjuntura sócio-histórica-ideológica patriarcal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Louise Ariane Da Campo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestre em Letras pela Universidade Federal de Pelotas.

Luciana Vinhas, UFRGS

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora de língua portuguesa na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ACHARD, P. Memória e produção discursiva do sentido. In: ACHARD, P.; DURAND, J.-L.; PÊCHEUX, M.; ORLANDI, E. Papel da Memória. 1. Ed. Campinas: Pontes, 1999. p. 11-17.

BAKONYI, B. Gender ideologies on adult video-sharing websites. 77f. Dissertação (Mestrado em Media, Culture and Society) – Erasmus School of History, Communication and Culture, Erasmus University of Rotterdam, Rotterdam, 2012. Disponível em: https://thesis.eur.nl/pub/12318. Acesso em: 21 fev. 2021.

CUNHA, H. Diminutivo: o grau que afaga ou afasta. Revista Philologus, v. 60, p. 992-1000, 2014.

DA CAMPO, L. Mulheres jornalistas em site pornográfico: uma análise discursiva pelo viés da designação. No prelo.

DIAS, C. Análise do discurso digital: sobre o arquivo e a constituição do corpus. Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), v. 44, p. 972-980, 2015.

ERNST, A. A falta, o excesso e o estranhamento na constituição do corpus discursivo. In: IV Seminário de Estudos em Análise do Discurso. 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso, 2009, Porto Alegre. v. 1. Porto Alegre: Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009.

FUNCK, S. Gênero e(m) discurso(s). Revista Estudos Feministas (UFSC. Impresso), v. 17, p. 481-484, 2009. DOI https://doi.org/10.1590/S0104-026X2009000200010

GALLO, S. Sobre a normatização vigilante dos discursos midiatizados. In: V LAVIT'S, 2017, Santiago. Anais V Simpósio Internacional LAVITS: Vigilância, Democracia e Privacidade na América Latina: vulnerabilidades e resistências. Santiago: Universidade do Chile, 2017. p. 426-438.

GRIGOLETTO, E. Do lugar social ao lugar discursivo: o imbricamento de diferentes posições-sujeito. In: INDURSKY, F.; LEANDRO FERREIRA, M. C. (org.). A Análise do Discurso no Brasil: mapeando conceitos, confrontando limites. São Carlos: Clara Luz, 2007. p. 123-134.

INDURSKY, F. O trabalho discursivo do sujeito entre o memorável e à deriva. Signo y Seña - Revista del Instituto de Linguística, v. 24, p. 91-104, 2013.

KEILTY, P. Desire by design: pornography as technology industry. Porn Studies, Reino Unido, v. 5, p. 338-342, 2018. DOI https://doi.org/10.1080/23268743.2018.1483208

MAZIERES, A; et al. Deep tags: toward a quantitative analysis of online pornography. Porn Studies, Reino Unido, v.1, p. 80-95, 2014. DOI https://doi.org/10.1080/23268743.2014.888214

ORLANDI, E. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas: Pontes Editores, 8ed, 2009.

ORLANDI, E. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. 6. ed. Campinas: Pontes, 2011.

PAVEAU, M.-A. Les énoncés natifs du web: analyse du discours des réseaux sociaux numériques (Twitter, Facebook, Pinterest). Campinas: Unicamp, 2014. Disponível em: https://www.labeurb.unicamp.br/anexos/MAP-Conf.pdf. Acesso em: 27 fev. 2021.

PÊCHEUX, M; FUCHS, C. A propósito da Análise Automática do Discurso: atualização e perspectivas. In: GADET, F.; HAK, T. (org.). Por uma Análise Automática do Discurso: uma Introdução à Obra de Michel Pêcheux. 3. ed. Campinas: Unicamp, 1997 [1975]. p. 163-187.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 4. ed. Campinas: UNICAMP, 2009 [1975].

PÊCHEUX, M. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. (org.). Gestos de leitura. Campinas: Editora da Unicamp, 2010 [1982].

VINHAS, L. I. Esquecimento(s). In: FERREIRA, M. C. L. (org.). Glossário de termos do discurso: edição ampliada. 1. Ed. Campinas: Pontes, 2020. p. 91-96.

Downloads

Publicado

05.11.2022

Como Citar

CAMPO, L. A. D.; VINHAS, L. O funcionamento discursivo de tags em vídeos de site pornográfico: um estudo via designação. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1702, 2022. DOI: 10.14393/DLv17a2023-2. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/65306. Acesso em: 28 nov. 2022.