Tradução Interlinguística de textos de museus para Leitores com Baixo Letramento

uma questão de Linguagem Facilitada / Simplificada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL51-v16n3a2022-1

Palavras-chave:

Linguagem Facilitada, Linguagem Simplificada, Tradução Interlinguística, Leitura, Letramento

Resumo

Este trabalho apresenta uma experiência de tradução interlinguística envolvendo um texto de divulgação científica para uma audiência composta por leitores com baixo letramento. Primeiramente, situa-se a tradução interlinguística em meio aos Estudos da Tradução. Na sequência, tratam-se sobre questões relevantes para o tradutor no atendimento às especificidades do leitor consumidor da tradução: leitura e letramento. Logo após, apresentam- características da Linguagem Facilitada e Linguagem Simplificada, como diferentes níveis de gradação da linguagem. A partir daí, resgatam-se as contribuições da Linguística Textual, em especial os sete fatores de textualidade. O material sob estudo inclui a versão em inglês de um texto originalmente escrito em português apresentado em uma exposição do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS (MCT-PUCRS) de Porto Alegre. Ao analisar-se a versão em inglês do referido texto com o aporte teórico apresentado, evidencia-se a relevância dos fatores de textualidade na produção de um texto facilitado ou simplificado que seja entendível pela sua audiência consumidora. Ao final, reforça-se o papel do tradutor como mediador, investido de uma importante função na interlocução entre línguas e culturas, mas também na transposição de barreiras internas de uma língua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Tcacenco, UFRGS

Mestre na área de Estudos da Linguagem pela University of Mississippi (2009). Doutorando em Letras na UFRGS.

Referências

BEAUGRANDE, R.; DRESSLER, W. Introduction to Text Linguistics. London: Longman, 1981.

FINATTO, M. J. B.; EVERS, A.; STEFANI, M. Letramento científico e simplificação textual: o papel do tradutor no acesso ao conhecimento científico. Letras, Santa Maria, v. 26, n. 52, p. 135-158, 2016;; Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/letras/article/view/25328. Acessado em: 05 jul. 2021. DOI https://doi.org/10.5902/2176148525328

FINATTO, M. J. B.; TCACENCO, L. M. Tradução intralinguística, estratégias de equivalência e acessibilidade textual e terminológica. Tradterm, 37 (1), p. 30-63, 2021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/168327. Acessado em: 02 jun. 2021. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v37p30-63

FINATTO, M. J. B.; STEFANI, M.; PASQUALINI, B.; CIULLA, A.; EVERS, A.; SORTICA, M. Leitura: um guia sobre teoria(s) e prática(s). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2015. v. 01. 66p.

HANSEN-SCHIRRA, S.; MAAβ, C. Easy Language, Plain Language, Easy Language Plus: Perspectives on Comprehensibility and Stigmatisation. In: HANSEN-SCHIRRA, S.; MAAβ, C. (org.). Easy Language Research: Text and User Perspectives. Frank & Timme: v2, Berlin, 2020. DOI https://doi.org/10.26530/20.500.12657/42088

JAKOBSON, R. On linguistic aspects of translation. In: VENUTI, L. The Translation Studies Reader. London: Routledge, 2000 [1959]. p. 113-118.

KLEIMAN, A. D. C. B. R. Preciso ensinar o letramento? Não basta ensinar a ler e escrever? Campinas: UNICAMP: Cefiel & MEC: Secretaria de Ensino Fundamental, 2005 (Apostila).

KOCH, I. G. V.; TRAVAGLIA, L. C. A coerência textual. 9. ed. São Paulo, SP: Contexto, 1999.

LEFFA, V. J. Aspectos da Leitura: Uma Perspectiva Psicolingüística. 1. ed. Porto Alegre: Sagra/Luzzatto, 1996. 105p.

LIBERATO, Y.; FULGÊNCIO, L. (org.). É possível facilitar a leitura - um guia para escrever claro. São Paulo: Contexto, 2007. 175p.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008. 295 p.

MAAβ, C.; GARRIDO, S. H. Easy and Plain Language in Audiovisual Translation. In: HANSEN-SCHIRRA, S.; MAAβ, C. (org.). Easy Language Research: Text and User Perspectives. Frank & Timme: v2, Berlin, 2020. DOI

MOTTA, E. Sentenças Judiciais e Acessibilidade Textual e Terminológica. Domínios de Lingu@gem, v. 14, p. 1-53, 2020. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/52909. Acessado em: 01 jun. 2021. DOI: https://doi.org/10.14393/DL47-v15n3a2021-6

NÚCLEO INTERINSTITUCIONAL DE LINGUÍSTICA COMPUTACIONAL. NILC-Metrix. Versão 3.0. São Paulo: Universidade de São Paulo, NILC, 2020.

PERINI, M. A. A leitura funcional e a dupla função do texto didático. In: ZILBERMAN, R.; SILVA, E. T. (org.). Leitura: perspectivas interdisciplinares. São Paulo: Ática, 1988.

PUCRS. Como nascem as exposições do museu? Revista da PUCRS, Porto Alegre, edição 190, p. 40-42, jul.-set. 2019. Disponível em: https://www.pucrs.br/revista/wp-content/uploads/sites/136/2019/06/revista_pucrs-0190.pdf.

SILVA, A. D. C. Textos de Divulgação para Leigos sobre o Transtorno do Estresse Pós-Traumático em Português: Alternativas para a Acessibilidade Textual e Terminológica. 2018, 427 p. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

ZETHSEN, K. K. Intralingual translation: an attempt at description. Meta, Montreal – Canadá, 54 (4), pp. 795-812, 2009. Acessado em: 14 mai. 2021. DOI: https://doi.org/10.7202/038904ar

Downloads

Publicado

17.06.2022

Como Citar

TCACENCO, L. Tradução Interlinguística de textos de museus para Leitores com Baixo Letramento: uma questão de Linguagem Facilitada / Simplificada . Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 16, n. 3, p. 906–927, 2022. DOI: 10.14393/DL51-v16n3a2022-1. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/61387. Acesso em: 3 dez. 2022.