Reflexões teórico-práticas sobre o ensino de variação linguística em língua portuguesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL50-v16n2a2022-10

Palavras-chave:

Ensino de língua portuguesa, Sociolinguística educacional, Pedagogia da variação linguística, Produção de tiras, Ensino de língua portuguesa. Sociolinguística educacional. Pedagogia da variação linguística. Produção de tiras. Norma e variedades linguísticas.

Resumo

Este artigo traz uma reflexão sobre o fenômeno da variação e normas linguísticas empregadas na sociedade a partir de embasamento teórico da pedagogia da variação linguística e norteada pelas orientações de documentos oficiais brasileiros atuais, como os Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998) e a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017) com relação às perspectivas associadas. A discussão está embasada em uma proposta de ensino efetivamente realizada em que alunos do 8º ano do Ensino Fundamental, a partir do contato com os conceitos de variação linguística, se apropriaram desses conhecimentos e produziram tiras, incorporando vivências de interação social em suas produções textuais. Os personagens escolhidos para a elaboração e aplicação da proposta são da Turma do Xaxado, de Antônio Cedraz. Para o desenvolvimento das atividades foram adotados os procedimentos da pesquisa- ação (THIOLLENT, 1986) cuja metodologia articula a produção de conhecimentos com a ação educativa. O objetivo deste trabalho é evidenciar uma proposta de  ensino  efetiva  que aborde a língua como um fenômeno variável por meio do gênero tiras. Para isso, fundamentamo-nos em pesquisas científicas que enfocam um ensino de base sociolinguística, tais como Bortoni-Ricardo (2004, 2005), Faraco (2008), Bagno (2007, 2013); Coelho et al. (2015) e Silva (2001).  Ao analisar as tiras produzidas pelos discentes, objetivamos evidenciar suas percepções  em relação à língua como um fenômeno heterogêneo e corroborar a eficácia de propostas de ensino pautadas na perspectiva científica da sociolinguística educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilberto Antonio Peres, SEEMG

Mestre em Letras (PROFLETRAS – UFU). Professor da Secretaria de Estado de Minas Gerais

Simone Azevedo Floripi, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); PROFLETRAS - UFU

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná e do Mestrado Profissional em Letras da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

BAGNO, M. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

BAGNO, M. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. 55. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BORTONI-RICARDO, S. M. Nós cheguemu na escola, e agora? Sociolinguística e Educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

BRASIL – Secretaria de Educação Fundamental – Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017.

CAGNIN, A. L. Os quadrinhos: linguagem e semiótica: um estudo abrangente da arte sequencial. São Paulo: Criativo, 2014.

CAMACHO, R. G. Norma culta e variedades linguísticas. In: Universidade Estadual Paulista. Prograd. Caderno de formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, p. 34-49, v. 11.

CEDRAZ, A. L. R. Xaxado ano 1. Salvador: Editora e Estúdio Cedraz, 2003.

CEDRAZ, A. L. R. A Turma do Xaxado – volume 2. Salvador: Editora e Estúdio Cedraz, 2006.

CEDRAZ, A. L. R. A Turma do Xaxado – volumes 1 e 2. 3. ed. Fortaleza: Editora IMEPH, 2010.

CEDRAZ, A. L. R. 1000 tiras em quadrinhos. São Paulo: Martin Claret, 2012.

COELHO, I. L. et al. Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2015.

COSERIU, E. Sincronia, Diacronia e História: o problema da mudança linguística. Tradução de Carlos Alberto da Fonseca e Mário Ferreira. Rio de Janeiro: Presença; São Paulo: Universidade de São Paulo – Coleção Linguagem, n.11, 1979.

COSERIU, E. Sistema, norma e fala. In: COSERIU, E. Teoria da linguagem e linguística geral: cinco estudos. Rio de Janeiro/São Paulo: Presença/Edusp, 1987.

CYRANKA, L. F. de M.; NASCIMENTO, L. A. do; RIBEIRO, P. R. O. A sociolinguística no ensino fundamental: resultados de uma pesquisa-ação. Linhas críticas, Brasília, v. 16, n.31, 2010. p. 361-376. DOI https://doi.org/10.26512/lc.v16i31.3628

FARACO, C. A. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

FARACO, C. A.; ZILLES, A. M. Para conhecer norma linguística. São Paulo: Contexto, 2017.

FERNANDES, G. O que querem os quadrinhos? In: VERGUEIRO, V.; RAMOS, P.; CHINEN, N. (org.) Intersecções acadêmicas: panorama das primeiras jornadas internacionais de histórias em quadrinhos. São Paulo: Criativo, 2013. p. 145-155.

RAMOS, P. Os quadrinhos em aulas de Língua Portuguesa. In: BARBOSA, A.; RAMOS, P.; VILELA, T.; RAMA, A.; VERGUEIRO, W. (org.) Como usar as histórias em quadrinhos em sala de aula. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2016. p. 65-85.

RAMOS, P. Tiras no ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2017.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R; MOURA, E. (org.) Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012, p.11-31

SILVA, R. V. M. e. Contradições no ensino de português: a língua que se fala x a língua que se ensina. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2001.

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa Ação. São Paulo: Cortez, 1986.

TRAVAGLIA, L. C. Texto humorístico: o tipo e seus gêneros. In: CARMELINO, A. C. (org.) Humor: eis a questão. São Paulo: Cortez, 2015. p. 49-90.

VERGUEIRO, W. Quadrinhos infantis. In: VERGUEIRO, W.; RAMOS, P. (org.) Quadrinhos na educação: da rejeição à prática. 1 ed. São Paulo: Contexto, 2015. p. 159-184.

Downloads

Publicado

10.01.2022

Como Citar

PERES, G. A.; FLORIPI, S. A. Reflexões teórico-práticas sobre o ensino de variação linguística em língua portuguesa. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 16, n. 2, p. 656–690, 2022. DOI: 10.14393/DL50-v16n2a2022-10. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/60877. Acesso em: 5 dez. 2022.