Comodificação toponímica e a cidade neoliberal

sobre a venda de direitos de nomeação (naming rights) das estações do metrô de São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL46-v15n2a2021-4

Palavras-chave:

Direitos de nomeação, Toponímia, Marketing urbano, Memória, Identidades

Resumo

Depois de quase três décadas sendo praticada na cidade de São Paulo em equipamentos privados como cinemas, teatros e mais recentemente estádios esportivos, a comercialização de direitos de nomeação chega também a espaços de propriedade estatal: em abril de 2020, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Cia. do Metrô) anunciou um projeto de conceder à exploração privada o direito de nomear suas estações. Este artigo analisa esse projeto, suas premissas e expectativas. Conclui que uma série de conflitos relacionados à memória da cidade e a seus marcos espaciais, embora apontados em estudos recentes sobre comodificação toponímica e também sugeridos pelos próprios antecedentes paulistanos no tema, não parecem fazer parte da agenda de preocupações do projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martin Jayo, Universidade de São Paulo

Professor da Escola de Artes, Ciências e Humanidades de Universidade de São Paulo.

Adriana Tavares Lima, Universidade de São Paulo

Doutoranda em Filologia e Língua Portuguesa pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP).

Referências

BASIK, S. Urban Place Names: Introduction. Urban Science, v. 4, n. 4, 2020. DOI https://doi.org/10.3390/urbansci4040080.

BECK, C. G.; CUNHA, L. H. H. As múltiplas faces da comodificação e a constituição da crítica acerca das práticas de consumo contemporâneas. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 53, n. 1, p. 136-147, 2017. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/view/csu.2017.53.1.14. Acesso em: 26 ago. 2020. DOI https://doi.org/10.4013/csu.2017.53.1.14.

BERG, L. D.; VUOLTEENAHO, J. (ed.). Critical Toponymies: the Contested Politics of Place Naming. Farnham (UK): Ashgate, 2009.

CARVALHINHOS, P.; LIMA-HERNANDES, M. C. Conservare ut meminisse: os limites do politicamente correto nas ruas de São Paulo. In: BERLINCK, R. de A.; GONÇALVES-SEGUNDO, P. R. (org.). História do Português Paulista: Estudos - 6. Série Trilhas Linguísticas. Cultura Acadêmica Editora, [2020?]. No prelo.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J.; DESLAURIERS, J.-P.; GROULX, Lionel-H.; LAPERRIÈRE, A.; MAYER, R.; PIRES, Á. P. (org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-316.

COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO. Termo de Referência. Edital de Pregão Eletrônico nº 10015006/2020. [Contratação de estudos para fornecimento de elementos técnicos, econômicos e jurídicos visando subsidiar o desenvolvimento de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica para concessão onerosa do direito de exploração dos nomes das estações existentes da Companhia do Metrô (naming rights)]. São Paulo: Companhia do Metropolitano de São Paulo, 30 abr. 2020. Disponível em: https://aplic.metrosp.com.br/as0001/frontend/index.php/processo/index/AvisosPublicados. Acesso em: 23 jul. 2020.

DEMURU, P. Arenas, naming rights e apelidos: estratégias discursivas e modelos de cidade na comunicação do Allianz Parque e da Arena Corinthians. Intexto, Porto Alegre, n. 37, p. 292-312, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/view/67837. Acesso em: 26 ago. 2020. DOI http://dx.doi.org/10.19132/1807-8583201637.292-312.

DICK, M. V. de P. do A. Toponímia e antroponímia no Brasil: coletânea de estudos. 2. ed. São Paulo: Serviço de Artes Gráficas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas-USP, 1990.

GIRAUT, F.; HOUSSAY-HOLZSCHUCH, M. Place Naming as Dispositif: Toward a Theoretical Framework. Geopolitics, v. 21, n. 1, p. 1-21, 2016. DOI https://doi.org/10.1080/14650045.2015.1134493.

JAYO, M.; VARGAS, D. V. A memória das cidades na sociedade digital: reflexões para São Paulo e o exemplo de ‘Quando a cidade era mais gentil’. Confins, Paris, n. 39, 2019. Disponível em: https://journals.openedition.org/confins/18551. Acesso em: 26 ago. 2020. DOI https://doi.org/10.4000/confins.18551.

KEARNS, R. A.; LEWIS, N. City Renaming as Brand Promotion: Exploring Neoliberal Projects and Community Resistance in New Zealand. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 870-887, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2018.1472445.

LEEDS, E. M.; LEEDS, M. A.; PISTOLET, I. A Stadium by Any Other Name: the Value of Naming Rights. Journal of Sports Economics, v. 8, n. 6, p. 581-595, 2007. DOI https://doi.org/10.1177/1527002506296546.

LIGHT, D.; YOUNG, C. Toponomy as commodity: exploring the economic dimensions of urban place names. International Journal of Urban and Regional Research, v. 39, n. 3, p. 435-450, 2015. DOI https://doi.org/10.1111/1468-2427.12153.

LOURENÇO, N. Globalização e glocalização. O difícil diálogo entre o global e o local. Mulemba, Luanda, v. 4. n. 8, 2014. Disponível em: http://journals.openedition.org/mulemba/203. Acesso em: 26 ago. 2020. DOI https://doi.org/10.4000/mulemba.203.

MADDEN, D. J. The Names of Urban Dispossession: a Concluding Commentary. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 888-892, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2019.1624114.

McELROY, E. Data, Dispossession, and Facebook: Techno-Imperialism and Toponymy in Gentrifying San Francisco. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 826-845, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2019.1591143.

McLUHAN, H. M. Understanding Media: the Extensions of Man. New York: McGraw-Hill, 1964.

MEDWAY, D.; WARNABY, G. What’s in a Name? Place Branding and Toponymic Commodification. Environment and Planning A, v. 46, p. 153-167, 2014. DOI https://doi.org/10.1068/a45571.

MEDWAY, D.; WARNABY, G.; GILLOOLY, L.; MILLINGTON, S. Scalar Tensions in Urban Toponymic Inscription: the Corporate (Re)Naming of Football Stadia. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 784-804, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2018.1446585.

NORA, P. Entre a história e a memória: a problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun Khoury. Projeto História, São Paulo, v. 10, p. 7-28, 1993. Disponível em https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/12101. Acesso em: 26 ago. 2020.

PAIVA, L. Temos alternativas ao urbanismo neoliberal? Minha Cidade, São Paulo, v. 17, n. 201.03, 2017. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/minhacidade/17.201/6482. Acesso em: 26 ago. 2020.

PREFEITURA DE SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Cultura. Arquivo Histórico Municipal de São Paulo. Dicionário de Ruas. Rua Turiassu. São Paulo: Arquivo Histórico Municipal de São Paulo, 2020. Disponível em: https://dicionarioderuas.prefeitura.sp.gov.br/logradouro/rua-turiassu. Acesso em: 7 ago. 2020.

ROBERTSON, R. Globalização: teoria social e cultura global. Petrópolis: Vozes, 2000.

ROSE-REDWOOD, R.; ALDERMAN, D.; AZARYAHU, M. Geographies of Toponymic Inscription: New Directions in Critical Place-Name Studies. Progress in Human Geography, v. 34, n. 4, p. 453-470, 2010. DOI https://doi.org/10.1177/0309132509351042.

ROSE-REDWOOD, R.; SOTOUDEHNIA, M.; TRETTER, E. Turn your Brand into a Destination: Toponymic Commodification and the Branding of Place in Dubai and Winnipeg. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 846-869, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2018.1511191.

ROSE-REDWOOD, R.; VUOLTEENAHO, J.; YOUNG, C.; LIGHT, D. Naming Rights, Place Branding, and the Tumultuous Cultural Landscapes of Neoliberal Urbanism. Urban Geography, v. 40, n. 6, p. 747-761, 2019. DOI https://doi.org/10.1080/02723638.2019.1621125.

SÃO PAULO (Município). Lei nº 16.050, de 31 de julho de 2014. Aprova a Política de Desenvolvimento Urbano e o Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo e revoga a Lei nº 13.430/2002. Diário Oficial Cidade de São Paulo: suplemento, São Paulo, SP, ano 59, n. 140, p. 1-352, 1 ago. 2014. Disponível em: http://www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/NavegaEdicao.aspx?ClipID=B9N8D6TN3UGAMeE65RHOJ8E9OF7&PalavraChave=16.050. Acesso em: 7 ago. 2020.

SÃO PAULO (Município). Lei nº 16.167, de 13 de abril de 2015. Altera a denominação da Rua Turiassu, no trecho compreendido entre os números 1643 e 2237, bem como da Rua Palestra Itália, em Parelheiros, para Rua do Terceiro Lago. Diário Oficial Cidade de São Paulo, São Paulo, SP, ano 60, n. 74, p. 96, 23 abr. 2015. Disponível em: http://www.docidadesp.imprensaoficial.com.br/NavegaEdicao.aspx?ClipId=25RUQMES6TF6Ke1SPA37ER9BV6S. Acesso em: 27 ago. 2020.

SILVA, M. V. da. O apagamento da memória como um processo estrutural da urbanização de São Paulo no século XX. In: INTERNATIONAL CONGRESS OF THE LATIN AMERICAN STUDIES ASSOCIATION, 38., 2020. Guadalajara (México). Disponível em: https://www.academia.edu/42741753/O_apagamento_da_mem%C3%B3ria_como_um_processo_estrutural_da_urbaniza%C3%A7%C3%A3o_de_S%C3%A3o_Paulo_no_s%C3%A9culo_XX. Acesso em: 26 ago. 2020.

SOUSA, D. R. de. Cidade e cerveja: Companhia Antarctica Paulista e urbanização em São Paulo. 2017. 142 f. Dissertação (Mestrado em Urbanismo) – Centro de Ciências Exatas, Ambientais e de Tecnologias, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2017. Disponível em: http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/960?mode=full. Acesso em: 30 ago. 2020.

VIDALES, R. Ponga el nombre de su empresa al espacio de todos. El País, Madrid, 21 mar. 2012. Disponível em: https://elpais.com/sociedad/2012/03/21/vidayartes/1332362444_872303.html. Acesso em: 23 jul. 2020.

VUOLTEENAHO, J.; AINIALA, T. Planning and Revamping Urban Toponymy: Ideological Alterations in the Linguistic Landscaping of Vuosaari Suburb, Eastern Helsinki. In: BERG, L. D.; VUOLTEENAHO, J. (ed.). Critical Toponymies: The Contested Politics of Place Naming. Farnham (UK): Ashgate, 2009. p. 227-251.

VUOLTEENAHO, J.; BERG, L. D. Towards Critical Toponymies. In: BERG, L. D.; VUOLTEENAHO, J. (ed.). Critical Toponymies: the Contested Politics of Place Naming. Farnham (UK): Ashgate, 2009. p. 1-18.

Publicado

05-03-2021

Como Citar

JAYO, M.; TAVARES LIMA, A. Comodificação toponímica e a cidade neoliberal: sobre a venda de direitos de nomeação (naming rights) das estações do metrô de São Paulo. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 347–370, 2021. DOI: 10.14393/DL46-v15n2a2021-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/57050. Acesso em: 24 maio. 2022.