A mudança na produção de fricativas em coda medial por uma criança recifense residente em João Pessoa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL40-v13n4a2019-8

Palavras-chave:

Fricativa coronal em coda medial, Variação linguística, Aquisição da linguagem, Acomodação dialetal

Resumo

Este estudo compara a produção de fricativas em coda medial de uma informante recifense de 10 anos, residente em João Pessoa-PB, com a produção de duas crianças pessoenses e duas recifenses de mesma idade, que nunca saíram de sua comunidade de fala, averiguando em que medida a criança que mudou de cidade assimilou o dialeto pessoense. A diferença entre o comportamento da fricativa em Recife-PE, onde predomina a forma palatalizada (MACEDO, 2004), e em João Pessoa-PB, onde predomina a forma alveolar (HORA, 2003), suscitou a seleção da variável. Coletaram-se amostras de fala mediante inquérito fonético, leitura monitorada e entrevista semiestruturada. As palavras dos primeiros instrumentos foram escolhidas pensando-se no contexto fonológico anterior e seguinte, considerados como variáveis independentes para a aplicação da regra de palatalização. Analisaram-se as fricativas no Praat (BOERSMA; WEENINK, 2009) atentando para o pico espectral, que indicou o grau de palatalização (HENRIQUE et al., 2015), considerado como variável dependente. Como resultados, constatou-se que as fricativas produzidas pela informante recifense, residente em João Pessoa, não apresentaram diferença significativa com relação às crianças pessoenses, diferentemente das produzidas pelas crianças recifenses. Inferiu-se, portanto, que a criança assimilou o dialeto da comunidade onde vive atualmente, que tem apenas o contexto coronal /t/ e /d/ como gatilho para a palatalização. Analisam-se esses resultados à luz do processo de aquisição do segmento fricativo em coda por crianças (OLIVEIRA, 2002; MEZZOMO, 2003; BERTI, 2006) e de novas perspectivas inerentes à Sociolinguística e à comunidade de fala (LABOV, 2008; GUY, 2000).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Felipe de Lima Henrique, UFPB

CCHLA / PROLING - Teoria e Análise Linguística

Ingrid Cruz Nascimento, UFPB

CCHLA / PROLING - Teoria e Análise Linguística

Lucas Possatti, UFPB

CCHLA / PROLING - Teoria e Análise Linguística

Referências

BERTI, L. C. Aquisição incompleta do contraste entre /s/ e /∫/ em crianças falantes do português brasileiro. 221 f. Tese (Doutorado em Linguística). Lafape, IEL, Unicamp, 2006. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/270657/1/Berti_LarissaCristina_D.pdf. Acesso em 19 abr. 2019.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat: doing phonetics by computer (Version 5.1.05) [computer program]. Retrieved May 1, 2009.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola, 2004.

BRESCANCINI, C. Fonologia e Variação: recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

CHACON, K. A. Contato dialetal: análise do falar paulista em João Pessoa. 2012. 115 f. Dissertação (mestrado em Linguística). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

GILES, H.; RYAN, E. B.; SEBASTIAN, R. J. An integrative perspective for the study of attitudes toward language variation. In: GILES, H.; RYAN, E. B. (ed.). Attitudes towards language variation: social and applied context. London: Edward Arnold, 1982. p. 1-19.

GILES, H.; COUPLAND, N.; COUPLAND, J. (ed.). Contexts of Accommodation: Developments in applied sociolinguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 1991. DOI https://doi.org/10.1017/CBO9780511663673

GUY, G. A identidade lingüística da comunidade de fala: paralelismo interdialetal nos padrões de variação lingüística. Organon, v. 14, n. 28-29, 2000. DOI https://doi.org/10.22456/2238-8915.30194

HENRIQUE, P. F. L.; SILVA, G. B.; LOPES, L. W. Percepção das fricativas estridentes: a pista acústica para a distinção entre alveolares e palatais utilizadas pelos ouvintes pessoenses. Intersecções, Jundiaí, v. 3, p. 116-134, 2015.

HENRIQUE, P. F. L. A percepção das fricativas coronais em coda medial por ouvintes pessoenses. 2016. 98 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016.

HORA, D. Variação dialetal e atitude. In: HORA, D.; NEGRÃO, E. V. (org.). Estudos da Linguagem: casamento entre temas e perspectivas. João Pessoa: Ideia/Editora Universitária, p. 15-36, 2011.

HORA, D. Fricativas coronais: análise variacionista. In: RONCARATI, C.; ABRAÇADO, J. (org.). Português brasileiro: contato lingüístico, heterogeneidade e história. Rio de Janeiro: Letras, 2003.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Trad.: Bagno, M.; Scherre, M.; Cardoso, C. São Paulo: Parábola, 2008.

LOPES, L. W. Preferências e atitudes dos ouvintes em relação ao sotaque regional no telejornalismo. 141 f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2012.

MACEDO, S. S. A Palatalização do /s/ em Coda Silábica no Falar Culto Recifense. 159 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.

MARQUES, S. M. O. As vogais médias pretônicas em situação de contato dialetal. 2006. 159 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

MARTINS, M. S. A palatalização de oclusivas dentais em contato dialetal. 2008, 145 f. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

MENDES, R. B.; OUSHIRO, L. Documentação do Projeto SP2010 – Construção de uma amostra da fala paulistana. 2013. Disponível em: http://projetosp2010.fflch.usp.br/producao-bibliografica. Acesso em: 15 abr. 2019.

MEZZOMO, C. L. Aquisição da coda no Português Brasileiro: uma análise via teoria de princípios e parâmetros. 2003. 232 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras PUCRS. Porto Alegre.

OLIVEIRA, C. C. Aquisição das fricativas /f/, /v/, ∫/ e /ʒ/ no português brasileiro. 134 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

POSSATTI, L. Análise do processo de acomodação linguística de falantes cariocas em João Pessoa. 51 f. Monografia (Graduação em Letras). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

PEDROSA, J. L. R. Análise do /s/ pós-vocálico no português brasileiro: coda ou onset com núcleo foneticamente vazio? 2009. 149 f. Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2009.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2013. Disponível em: http://www.R-project.org/. Acesso em: 19 abr. 2019.

TRUDGILL, P. Dialects in Contact. Oxford: Basil Blackwell, 1986.

Downloads

Publicado

15-12-2019

Como Citar

HENRIQUE, P. F. de L.; NASCIMENTO, I. C.; POSSATTI, L. A mudança na produção de fricativas em coda medial por uma criança recifense residente em João Pessoa. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 13, n. 4, p. 1526–1556, 2019. DOI: 10.14393/DL40-v13n4a2019-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/46897. Acesso em: 8 ago. 2022.