Emprego do artigo definido em situação de contato dialetal

um estudo da fala de migrantes paraibanos em São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL40-v13n4a2019-4

Palavras-chave:

Artigo Definido, Acomodação Dialetal, Migração, Sociolinguística, Redes sociais

Resumo

Este trabalho se desenvolve no âmbito do quadro teórico-metodológico da Sociolinguística Variacionista (LABOV, 2008) e busca analisar o comportamento de indivíduos que migraram de João Pessoa-PB para São Paulo-SP quanto ao uso do artigo definido diante de pronomes possessivos (por exemplo, meu irmão vs. o meu irmão). Os resultados obtidos com base na análise quantitativa, desenvolvida na plataforma R (R CORE TEAM, 2017), revelaram que a fala dos migrantes apresenta não só uma proporção de emprego do artigo mais próxima daquela do paulistano em relação à do paraibano não migrante, sinalizando acomodação dialetal, mas também que esses indivíduos adquiriram padrões mais abstratos, na forma de regras variáveis da comunidade paulistana (favorecimento e desfavorecimento do artigo definido, de modo geral, nos mesmos contextos linguísticos). Quanto às variáveis sociais, os resultados não mostraram correlações entre o uso do determinante definido com as variáveis Sexo/Gênero, Idade de migração e Tempo de permanência em São Paulo, mas, em análise particular do indivíduo e de suas redes de relações (MILROY, 1987) estabelecidas na nova comunidade, verificou-se que os laços fortes de primeira ordem estão na base da acomodação dialetal e assimilação da variante paulistana pelos migrantes paraibanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Shirley Guedes, Unicamp

Mestra em Estudos Linguísticos pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Doutoranda em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Professora da área de linguagens da Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

Referências

BAXTER, A.; LUCCHESI, D. A relevância dos processos de pidginização e crioulização na formação da língua portuguesa no Brasil. In: Estudos linguísticos e literários, n. 19. Salvador: UFBA. p. 65-83

BORTONI-RICARDO, S. M. Do campo para a cidade: estudo sociolinguístico de migração e redes sociais. São Paulo: Parábola, 2011.

CALLOU, D. A variação no português do Brasil: o uso do artigo definido diante de antropônimos. (Série Conferências). Faculdade de Letras da UFRJ. Rio de Janeiro: UFRJ, 2000.

CALLOU, D.; SILVA, G. O uso do artigo definido em contextos específicos. In: HORA, D. (org.). Diversidade linguística no Brasil. João Pessoa: Ideia, 1997, p. 11-26.

CASTRO, A. On Possessives in Portuguese. 2006. Tese (Doutorado) - Universidade Nova de Lisboa, FCSH/Université Paris 8, 2006.

FLORIPI, S. Estudo da variação do determinante em sintagmas nominais possessivos na história do português. 2008. 271 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 2008.

GIORGI, A.; LONGOBARDI, G. The syntax of noun phrases: configurations, parameters and empty categories. Cambridge University Press, 1991.

GONZALES, E. N.; BASTOS, M. I. Migração rural e o trabalho volante na agricultura brasileira. Fundação Universidade de Brasília, 1974.

GUY. R.; ZILLES, A. Sociolinguística quantitativa. São Paulo: Parábola, 2007.

HELLWIG, B.; GEERTS, J. ELAN: Linguistic Annotator. Versão 4.4.0. 2013. Disponível em: mpi.nl/corpus/manuals/manual-elan.pdf. Acesso em: 21 fev. 2017.

HORA, D. Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba – VALPB. João Pessoa: DLCV/UFPB, 1993. Disponível em: valpb.com.br. Acesso em: 15 jan. 2017.

HORA, D.; NEGRÃO, E. (ed.) Estudos da linguagem: casamento entre temas e perspectivas. João Pessoa: Ideia, 2011.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008 [1972].

LEVSHINA, N. How to do linguistics with R: Data exploration and statistical analysis. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2015. DOI https://doi.org/10.1075/z.195

MARQUES, S. M. O. As vogais medias pretônicas em situação de contato dialetal. 2006. 162 f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro, 2006.

MATTOS e SILVA, R. V. Estruturas trecentistas: elementos para uma gramática do português arcaico. Lisboa: IN.CM, 1989.

MENDES, R. B.; OUSHIRO, L. SP2010: construção de uma amostra de fala paulistana. 2012a. Projeto de Pesquisa (FAPESP processo 2011/09278-6). Disponível em: projetosp2010.fflch.usp.br. Acesso em: 11 jan. 2017.

MOISÉS, J. A. Os brasileiros e a democracia. São Paulo: Ática. 1995.

MILROY, L. Language and social networks. Oxford: Basil Blackwell, 2. ed., 1987 [1980].

OUSHIRO, L. Transcrição de entrevistas sociolinguísticas com o ELAN. In: FREITAG, R. M. (org.). Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística. São Paulo: Blücher, 2014a. Disponível em: openaccess.blucher.com.br/download-pdf/270/18959. Acesso em: 13 jan. 2017. DOI https://doi.org/10.5151/BlucherOA-MCMDS-9cap

OUSHIRO, L. Tratamento de dados com o R para análises sociolinguísticas. In: FREITAG, R. M. (org.). Metodologia de Coleta e Manipulação de Dados em Sociolinguística. São Paulo: Blücher, 2014b. Disponível em: openaccess.blucher.com.br/download-pdf/270/18960. Acesso em: 13 jan. 2017. DOI https://doi.org/10.5151/BlucherOA-MCMDS-10cap

OUSHIRO, L. Projeto Processos de acomodação dialetal na fala de nordestinos residentes em São Paulo. 2016. Projeto de Pesquisa (FAPESP processo 2016/04960-7).

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2017. Disponível em: r-project.org. Acesso em: 25 mar. 2017.

RINKE, E. A combinação do artigo definido e pronome possessivo na história do português. Estudos linguísticos. p. 121-139. 2010. Disponível em: usc.es/revistas/index.php/elg/ article/viewFile/1511/1381. Acesso em: 15 jun. 2017.

SAID ALI, M. Gramática histórica da língua portuguesa. Campina Grande: Editora Melhoramentos, 1964.

SANTANA, A. L. As vogais médias pretônicas na fala de sergipanos em São Paulo. Relatório de qualificação de mestrado, FFLCH/USP, 2017.

SILVA, G. M. de O. Estudo da Regularidade na Variação dos Possessivos no Português do Rio de Janeiro. 1982. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro, 1982.

SILVA, G. M. de O. Realização facultativa do artigo definido diante de possessivo e de patronímico. In: SILVA, G. M. de O.; SCHERRE, M. M. P. (org.). Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996, p. 119-145.

SCHER, A. P. As construções dos dois complementos no inglês e no português do Brasil: um estudo sintático comparativo. Campinas, SP: [s.n.], 1996.

SCHOORLEMER, M. Possessors, articles and definiteness. In: Possessors, predicates and movement in the determiner phrase. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins, 1998. p. 55-86. DOI https://doi.org/10.1075/la.22.04sch

Downloads

Publicado

14-12-2019

Como Citar

GUEDES, S. Emprego do artigo definido em situação de contato dialetal: um estudo da fala de migrantes paraibanos em São Paulo. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 13, n. 4, p. 1401–1432, 2019. DOI: 10.14393/DL40-v13n4a2019-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/46873. Acesso em: 24 maio. 2022.