Português de contato com alemão como língua de imigração em uma comunidade rural brasileira

resistindo à elevação das vogais /e, o/ em sílaba átona aberta em final de vocábulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL40-v13n4a2019-7

Palavras-chave:

Vogais médias /e/, /o/, Elevação vocálica em sílaba átona final, . Português brasileiro de contato com alemão

Resumo

O artigo investiga a elevação variável das vogais médias /e, o/ postônicas finais (film[e] ~ film[ɪ], tud[o] ~ tud[ʊ]) no português de contato com alemão em uma comunidade rural do sul do Brasil na perspectiva da sociolinguística variacionista (LABOV, 1972). Os baixos índices de elevação, 3,2 % de aplicação a /e/, 13 % de aplicação a /o/, são motivados por um traço morfossintático da língua de imigração e condicionados pelos contextos fonológico precedente e seguinte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa Battisti, UFRGS

Departamento de Linguística, Filologia e Teoria Literária do Instituto de Letras da UFRGS, área de Linguística. Programa de Pós-Graduação em Letras, linhas de Sociolinguística e de Fonologia e Morfologia.

Eugenio Roberto Link, UFRGS

Doutor em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ALTENHOFEN, C. V. Hunsrückisch in Rio Grande do Sul. Ein Beitrag zur Beschreibung einer deutschbrasilianischen Dialektvarietät im Kontakt mit dem Portugiesischen. Stuttgart: Steiner, 1996.

ALTENHOFEN, C. V.; MARGOTTI, F. W. O português de contato e o contato com as línguas de imigração no Brasil. In: MELLO, H.; ALTENHOFEN, C. V.; RASO, T. (org.). Os contatos linguísticos no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011, p. 289-315.

BAETENS BEARDSMORE, H. Bilingualism: Basic principles. 2. ed. Clevedon: Multilingual Matters, 1986.

BATTISTI, E. Elevação das vogais médias pretônicas em sílaba inicial de vocábulo na fala gaúcha. 1993. 125 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1993.

BAYLEY, R. The quantitative paradigm. In: CHAMBERS, J. K.; TRUDGILL, P.; SCHILLING-ESTES, N. The handbook of language variation and change. Malden/Oxford: Blackwell, 2002, p. 117-141. DOI https://doi.org/10.1111/b.9781405116923.2003.00009.x

BISOL, L. Harmonização vocálica: uma regra variável. 1981. 335 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1981.

BISOL, L. Vogais pretônicas. In: BISOL, L.; BATTISTI, E. O português falado no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014, p. 19-33.

CAMARA JR., J. M. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

CARNIATO, M. C. A neutralização das vogais postônicas finais na comunidade de Santa Vitória do Palmar. 2000. 107 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2000.

CROSSWHITE, K. Vowel reduction. In: HAYES, B.; KIRCHNER, R.; STERIADE, D. (ed.). Phonetically based phonology. Cambridge: Cambridge University Press, 2004, p. 191-231. DOI https://doi.org/10.1017/CBO9780511486401.007

DURHAM, E. R. A dinâmica da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

ECKERT, P. Linguistic variation as social practice. Malden/Oxford: Blackwell, 2000.

GUY, G. The quantitative analysis of linguistic variation. In: PRESTON, D. R. (ed.). American dialect research. Amsterdam: John Benjamins, 1993, p. 223-249. DOI https://doi.org/10.1075/z.68.11guy

HERÉDIA, V. A imigração europeia no século passado: o programa de colonização no Rio Grande do Sul. Scripta Nova: Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona, v. 5, 2001. Disponível em: http://www.ub.es/geocrit/sn-94-10.htm. Acesso em: 16 dez. 2018.

HUALDE, J. I. The sounds of Spanish. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

IBGE. Cidades. Novo Machado, 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/novo-machado. Acesso em: 16 dez. 2018.

LABOV, W. Sociolinguistic patterns. Philadelphia: University of Philadelphia Press, 1972.

LABOV, W. Principles of linguistic change – internal factors. Malden/Oxford: Blackwell, 1994.

LABOV, W. Principles of linguistic change – social factors. Malden/Oxford: Blackwell, 2001.

LINK, E. R. Elevação das vogais médias átonas em posição final absoluta em Esquina Barra Funda – Novo Machado/RS. 2015. 101 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

LINK, E. R. Resistência à elevação das vogais médias átonas finais no português em contato com línguas alemãs de imigração no sul do Brasil: variação linguística e práticas sociais. 2019. 105 f. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

ILESKI, I. A elevação das vogais médias átonas finais no português falado por descendentes de imigrantes poloneses em Vista Alegre do Prata – RS. 152 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

OUSHIRO, L. Tratamento de dados com o R para análises sociolinguísticas. In: FREITAG, R. M. K. (org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo: Blucher, 2014, p. 133-176. DOI https://doi.org/10.5151/BlucherOA-MCMDS-10cap

R Core Team. R: A Language and Environment for Statistical Computing. R Foundation for Statistical Computing. Vienna, Austria, 2018. Disponível em: https://www.R-project.org. Acesso em: 15 jan. 2019.

ROCHE, J. A colonização alemã e o Rio Grande do Sul. Tradução de Emery Ruas. Porto Alegre: Editora Globo, 1969 [1962].

ROVEDA, S. D. Elevação da vogal média átona final em comunidades bilíngues: português e italiano. 87 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1998.

SAVOIA, L. M. Harmonic processes and metaphony in some Italian varieties. In: TORRES-TAMARIT, F.; LINKE, K.; van OOSTENDORP, M. (ed.). Approaches to metaphony in the languages of Italy. Berlin: De Gruyter, 2016, p. 9-53.

SCHEID, C. M. PRIEBE, G. Novo Machado conta sua história. Novo Machado: Secretaria de Educação de Novo Machado, 1997.

SCHMITT, C. J. Redução vocálica postônica e estrutura prosódica. 139 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Curso de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1987.

SILVA, S. M. da. Elevação das vogais médias átonas finais e não finais no português falado em Rincão Vermelho – RS. 172 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

SILVA, T. C. Dicionário de fonética e fonologia. São Paulo: Contexto, 2011.

VIEGAS, M. C. O alçamento de vogais médias pretônicas: uma abordagem sociolinguística. 1987. 222 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1987.

VIEIRA, M. J. B. Neutralização das vogais médias postônicas. 1994. 139 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1994.

VIEIRA, M. J. B. As vogais médias postônicas: Uma análise variacionista. In: BISOL, L.; BRESCANCINI, C. Fonologia e variação: Recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p. 127-159.

VIEIRA, M. J. B. Vogais postônicas finais. In: BISOL, L.; BATTISTI, E. O português falado no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014. p. 53-64.

VIEIRA, M. J. B.; SILVA, T. C. Redução vocálica em postônica final. Revista da ABRALIN, v. 14, n. 1, p. 379-406, jan./jun. 2015. DOI https://doi.org/10.5380/rabl.v14i1.42822

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006 [1968]. Tradução: Marcos Bagno.

WILLEMS, E. A aculturação dos alemães no Brasil: Estudo antropológico dos imigrantes alemães e seus descendentes. Rio de Janeiro: Cia. Editora Nacional, 1946.

Downloads

Publicado

15-12-2019

Como Citar

BATTISTI, E.; LINK, E. R. Português de contato com alemão como língua de imigração em uma comunidade rural brasileira: resistindo à elevação das vogais /e, o/ em sílaba átona aberta em final de vocábulo. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 13, n. 4, p. 1494–1525, 2019. DOI: 10.14393/DL40-v13n4a2019-7. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/46723. Acesso em: 17 ago. 2022.