O verbo ficar no português do Brasil

Autores

  • Felipe de Andrade Constancio

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL37-v13n1a2019-14

Palavras-chave:

Aprendizes, Lexicultura, Português do Brasil

Resumo

Se o ensino do léxico tem se mostrado desafiador nas aulas de língua materna, talvez sua abordagem também seja um desafio nas aulas de Português Língua Não Materna. Esse entrave talvez seja mais significativo quando se considera o fato de que existem aprendizes que vêm ao Brasil em busca do português falado/escrito aqui. Este trabalho problematiza uma questão em voga nas pesquisas linguísticas recentes - quais as particularidades do português brasileiro -, para chegar a uma discussão oportuna no ensino de PLNM, a saber: como abordar a produtividade lexical em aulas de português para estrangeiros. Para chegar a um consenso acerca dessa produtividade, recorre-se neste trabalho às conceituações de lexicultura e suas implicações no âmbito do que se tem denominado português do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, L.; CANÇADO, M. Introdução à semântica lexical: papéis temáticos, aspecto lexical e decomposição de predicados. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016. 253 p.

ANTUNES, I. Território das palavras: estudo do léxico em sala de aula. São Paulo: Parábola, 2012. 174 p.

BARBOSA, L. M. A. O conceito de lexicultura e suas implicações para o ensino-aprendizagem de português língua estrangeira. Revista Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo, n. 10, p. 31-41, 2009.

BASSO, R.; ILARI, R. O português da gente: a língua que estudamos, a língua que falamos. São Paulo: Contexto, 2014. 272 p.

BIDERMAN, M. T. C. Teoria linguística: linguística quantitativa e computacional. Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos, 1978. 277 p.

BORBA, F. S. Dicionário UNESP do português contemporâneo. Curitiba: Piá, 2011. 1488 p.

CASTILHO, A. T. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2012. 768 p.

HENRIQUES, C. C. Léxico e semântica: estudos produtivos sobre palavra e significação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 231 p.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Pequeno dicionário Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Moderna, 2015. 1114 p.

NEVES, M. H. M. Guia de uso do português: confrontando regras e usos. São Paulo: UNESP, 2012. 829 p.

SALOMÃO, M. M. M. Teorias da linguagem: a perspectiva sociocognitiva. In: MIRANDA, N. S.; SALOMÃO, M. M. M. Construções do português do Brasil: da gramática ao discurso. Belo Horizonte: UFMG, 2009, p. 20-32.

Downloads

Publicado

03-02-2019

Como Citar

CONSTANCIO, F. de A. O verbo ficar no português do Brasil. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 13, n. 1, p. 331–348, 2019. DOI: 10.14393/DL37-v13n1a2019-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/41656. Acesso em: 6 jul. 2022.