Versões em conflito

análise da construção narrativa das alegações finais da acusação e da defesa em um processo criminal

Autores

  • Carla Leila Oliveira Campos Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG
  • Caio Bini Rocha Centro Universitário de Ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves
  • Luiz Carlos da Costa Centro Universitário de Ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL35-v12n3a2018-4

Palavras-chave:

Narrativas forenses, Conteúdo ideacional, Relações interpessoais, Alegações finais, Processo criminal

Resumo

Este trabalho tem como objetivo analisar como se dá, por meio do conteúdo ideacional das peças (HALLIDAY, 1976 e 1998) e dos processos de negociação dos relacionamentos interpessoais, a construção conflitiva das narrativas das alegações finais da acusação e da defesa em um processo de falsificação de documento público. Para tanto, filiamo-nos à Análise do Discurso Forense, com o intuito de compreender como os modos de interação que envolvem a produção do discurso nos tribunais e os papéis sociais desempenhados pelos sujeitos, influenciam suas práticas linguísticas. Para análise do conteúdo ideacional dos textos, adotamos como categoria analítica o modelo de narrativa proposto por Labov (1972), observando como a seleção dos fatos e de itens lexicais específicos revelam o caráter avaliativo dessas narrativas. Já em relação aos processos de negociação da imagem e dos relacionamentos interpessoais (ROSULEK, 2010), observamos como a produção de evidências, a citação de textos da lei e do depoimento de testemunhas, sustentando / atacando sua credibilidade ou reinterpretando seus dizeres, constroem não só a imagem de cada um dos advogados bem como a sua relação com os sujeitos envolvidos no processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Leila Oliveira Campos, Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG

Doutora em Estudos Linguísticos pela UFMG, linha de pesquisa Estudos do Texto e do Discurso. Professora de Comunicação do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG.

Caio Bini Rocha, Centro Universitário de Ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves

Bacharelando em Direito do Instituto de Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves

Luiz Carlos da Costa, Centro Universitário de Ensino Superior Presidente Tancredo de Almeida Neves

Bacharelando em Direito do Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves

Referências

BRASIL. Código Penal. Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Brasília: Senado Federal, 1040.

CALDAS-COULTHARD, C. R. Da análise do discurso à análise crítica do discurso: introduzindo conceitos. In: CALDAS-COULTHARD, C. R; SCLIAR-CABRAL, L. (Orgs.). Desvendando discursos: conceitos básicos. Florianópolis: UFSC, 2008. p. 19-44.

COULTHARD, M.; JOHNSON, A. Introducing forensic linguistics. London; New York: Routledge, 2007. https://doi.org/10.4324/9780203969717

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Universidade Federal de Brasília, 2001.

GIBBONS, J. Forensic linguistics: an introduction to language in the justice system. Oxford: Blackwell Publishing, 2003.

HALLIDAY, M. A. K. El languaje como semiótica social: la interpretación social del lenguaje y del significado. Santafé de Bogotá, Colômbia: Fondo de Cultura Econômica, 1998.

HALLIDAY, M. A. K. Estrutura e função da linguagem. In: LYONS, J. (Org.). Novos horizontes em linguística. São Paulo: Cultrix / EDUSP, 1976.

HEFFER, C. Narrative in the trial: constructing crime stories in court. In: COULTHARD, M.; JOHNSON, A. (Eds.). The Routledge handbook of forensic linguistics. London and New York: Routledge, 2010. p. 199-217. https://doi.org/10.4324/9780203855607.ch14

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

LABOV, W. The transformation of experience in narrative syntax. In: LABOV, W. (Org.) Language in the inner city. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972. p. 354-415.

ROSULEK, L. F. Prosecution and defense closing speeches: the creation of contrastive closing arguments. In: COULTHARD, M.; JOHNSON, A. (Eds.). The Routledge handbook of forensic linguistics. London and New York: Routledge, 2010. p. 218-230. https://doi.org/10.4324/9780203855607.ch15

ROSULEK, L. F. Dueling discourses: the construction of reality in closing arguments. New York: Oxford University Press, 2015. https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199337613.001.0001

VALVERDE, A. da G. M.; FETZNER, N. L. C.; TAVARES JÚNIOR, N. C. Lições de linguagem jurídica: da interpretação à produção do texto. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

VAN LEEUWEN, T. The representation of social actors. In: CALDAS-COULTHARD, C. R. (Ed.). Texts and Practices: readings in Critical Discourse Analysis. London: Routledge, 1996. p. 32-70.

Downloads

Publicado

21-09-2018

Como Citar

CAMPOS, C. L. O.; ROCHA, C. B.; COSTA, L. C. da. Versões em conflito: análise da construção narrativa das alegações finais da acusação e da defesa em um processo criminal. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 1453–1483, 2018. DOI: 10.14393/DL35-v12n3a2018-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/40490. Acesso em: 16 ago. 2022.