O fenômeno dêitico e o processo de flexão (pro)nominal na Libras

Autores

  • Ediane Silva Lima Centro de Ensino UNINOVAFAPI
  • Ronald Taveira da Cruz Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL35-v12n3a2018-12

Palavras-chave:

Sinais dêiticos, Flexão, Libras

Resumo

Neste artigo discorremos sobre o uso e a relação dos sinais dêiticos pessoais como responsáveis pelo processo de concordância verbal na Libras. Além de defendermos que, os sinais dêiticos se flexionam do mesmo modo que os sinais nominais, isto é, recebem itens sublexicais distintos para indicar um ou outro sentido, também apontamos que esses sinais, devido ao processo de evolução natural das línguas naturais, evoluem dando origem a novas formas, como o sinal do pronome possessivo NOSSO, já que na Libras encontramos sinais distintos para esse sentido de posse. Desse dado, aliado aos estudos de Meier & Lillo-Martin (2013), e pautados em teóricos como Meier (1990), Ferreira (2010), Thompson et al (2013) dentre outros, indicamos que esses sinais dêiticos vêm se incorporando, ao longo do tempo, aos verbos simples e ganham movimento no espaço neutro, indicados por moduladores espaciais, ou seja, transformam-se em verbos não simples – pois se deslocam espacialmente para concordar com o sujeito e/ou objeto. Esse fenômeno nos possibilitou ‘enxergar’ que o caráter gestual nessa língua, devido o ato de apontar, ganhou novas possibilidades de uso e de sentido, assumindo então várias funções, às vezes concomitantemente, como descrito por esses teóricos. Desse modo, concluímos que esses sinais possuem uma capacidade para se comportar do mesmo modo que os sinais lexicais, mas sem perder seu caráter dêitico de apontar, de indicar e de localizar. E que, portanto, são responsáveis pelo processo de concordância verbal seja incorporado aos verbos não simples seja quando acompanham os verbos simples.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ediane Silva Lima, Centro de Ensino UNINOVAFAPI

Possui graduação em Licenciatura Plena em Letras Português pela Universidade Estadual do Piauí (2008). Especialização em LIBRAS, pelo Instituto de Ensino Superior Múltiplo-IESM (2011). Mestrado em Letras pela UFPI (Turma/Biênio 2014-2016). Atua como docente no Centro de Ensino UNINOVAFAPI e na Faculdade IESM, e é professora da UESPI com os seguintes temas: Língua Portuguesa, Formação Docente, Linguística Textual, LIBRAS e Linguística da LIBRAS e na EAD.

Ronald Taveira da Cruz, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Letras pela Universidade Católica de Brasília (2002) e mestrado em Lingüística pela Universidade Federal de Santa Catarina (2005). Doutor em Lingüística pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Tem experiência na área de Linguística, Filosofia e Psicologia, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, Filosofia da Linguagem, Psicolinguística, Psicopedagogia e Literatura Comparada. Professor da Universidade Federal do Piauí.

Referências

BARBERÀ, G.; ZWETS, M. Pointing and reference in sign language. Sign Language Studies, Volume 13, Number 4, Summer 2013, pp. 491-515. https://doi.org/10.1353/sls.2013.0016

BERENZ, N. F. Person and deixis in Brazilian sign language. 1996. Dissertation (PhD). University of California, Berkeley, 1996.

BERENZ, N.; FERREIRA -BRITO, L. Pronouns in BCSL and ASL. IN: SLR ’87: papers from The Fourth International Symposium on Sign Language Research, eds. W.H. Edmondson & Karlsson. 1987, Vol 10, p. 26-36.

CAPOVILLA, F. C.; RAPHAEL, W. D.; MAURICIO, A. C. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue: novo Deit-Libras Língua de Sinais Brasileira. Vol. 1: sinais de A a H. São Paulo: Inep – CNPq CAPES, Edusp, 2013.

_____. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue: novo Deit-Libras Língua de Sinais Brasileira. Vol. 2: sinais de I a Z. São Paulo: Inep – CNPq CAPES, Edusp, 2013.

DUBOIS, Jean et alii. Dicionário de linguística. Rio de Janeiro: LTC, 2009.

FARIA-NASCIMENTO, S. P. de. A organização dos morfemas livres e presos em LIBRAS: reflexões preliminares. IN: QUADROS, R. M. de; STUMPF, M. R.; LEITE, T. de A. (Orgs.) Estudos da Língua Brasileira de Sinais I. Florianópolis, Insular, 2013.

FELIPE, T. A. Os processos de formação de palavras na LIBRAS. ETD – Educação Temática Digital, Campinas-SP: 2006. v. 7, n. 2, p. 200-217. Disponível em: http://www.surdo.org.br/estudos/ETD-2008-93.pdf. Acesso em: 11 set. 2014.

FERREIRA, L. Por uma gramática de língua de sinais. São Paulo: Cultrix, 2010.

LILLO-MARTIN, D.; KLIMA, E. Pointing out differences: ASL pronouns in syntactic theory. In: FISCHER, S. D.; SIPLE, P. (Eds.), Theoretical Issues in Sign Language Research, 1990, vol. 1. University of Chicago Press, Chicago, IL, pp. 121--210.

MEIER, R. P.; LILLO-MARTIN, D. The Points Of Language. Humana.Mente Journal of Philosophical Studies, 2013, Vol. 24, 151–176. Disponível em: http://www.humanamente.eu/PDF/Issue24_Complete.pdf. Acessado em: 12 out. 2015.

MEIER, R. P. Person deixis in American Sign Language. In: FISCHER, S. D.; SIPLE, P. (Eds.), Theoretical Issues in Sign Language Research. 1990,University of Chicago Press, Chicago, IL, pp. 175--190.

QUADROS, R. M. As categorias vazias pronominais: uma análise alternativa com base na Libras e reflexos no processo de aquisição. 1995. Dissertação (Mestrado). Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1995.

QUADROS, R. M. de; QUER, J. A caracterização das concordâncias nas línguas de sinais. In: LIMA-SALLES, H. M. M.; NAVES, R. R. (Orgs). Estudos gerativos de língua de sinais brasileira e de aquisição de português (L2) por surdos. ed. 1ª. Goiânia: Cânone Editorial, 2010. p. 33-58.

PIZZIO, A. L.; REZENDE, P.; QUADROS, R.M. (Orgs.). Língua Brasileira de Sinais V. Florianópolis, SC: Universidade Federal de Santa Catarina / Material do Curso de Licenciatura em Letras-Libras na Modalidade a Distância, 2009.

SACKS, O. Vendo vozes uma viagem ao mundo dos surdos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

THOMPSON, R. L. et al. The eyes don’t point: understanding language universals through person marking in American Signed Language. Elsevier, 2013. Disponível em: www.sciencedirect.com. Acessado em: 20 set. 2015

______. Eye gaze in American Sign Language: linguistic functions for verbs and pronoun. 2006. Dissertation (PhD).UC San Diego Electronic Theses and Dissertations. UC San Diego, 2006. Disponível em: http://escholarship.org/uc/item/12r3h13m. Acessado em: 15 set. 2015.

Downloads

Publicado

21-09-2018

Como Citar

LIMA, E. S.; DA CRUZ, R. T. O fenômeno dêitico e o processo de flexão (pro)nominal na Libras. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 1699–1719, 2018. DOI: 10.14393/DL35-v12n3a2018-12. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/40415. Acesso em: 16 ago. 2022.