Uma abordagem enunciativa das relações antonímicas entre cobrir e des-cobrir

Autores

  • Andreana Carvalho de Barros Araújo Universidade Federal do Piauí
  • Maria Auxiliadora Ferreira LIma UFPI

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL30-v11n3a2017-20

Palavras-chave:

Unidades prefixadas, Relação antonímica, Sentido, Enunciado

Resumo

Este artigo aborda a relação de oposição entre cobrir e descobrir sob a perspectiva da teoria das Operações Enunciativas de Antoine Culioli, dentro de uma linha de investigação que considera que os sentidos das unidades lexicais ou morfolexicais são construídos e não previamente estabelecidos. Embora nosso estudo envolva os prefixos cuja tradição julga que têm sentidos prontos oriundos de outras línguas, entendemos que tais unidades passam pelos mesmos critérios de construção de sentido das unidades consideradas simples. Para tal analisamos quais os fatores que propiciam ou impossibilitam a oposição destas unidades, considerando as características da base e do prefixo em questão, além de outros fatores que interferem na construção de sentido de uma unidade. Observamos que há uma relação de oposição entre cobrir e descobrir, no entanto, os parâmetros de funcionamento para o surgimento dessa oposição são específicos e criteriosos, de modo a restringir um único sentido que aceita tal oposição. Deste modo, pudemos confirmar que unidades como des- não se limitam a realizar uma oposição quando se associam à base e que os sentidos de suas ocorrências são construídos no ambiente textual em que ocorrem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreana Carvalho de Barros Araújo, Universidade Federal do Piauí

Mestre em Letras pela UFPI

Maria Auxiliadora Ferreira LIma, UFPI

Possui graduação em Licenciatura Plena em Letras pela Universidade Federal do Ceará (1979), mestrado em Lingüística pela Universidade Federal de Santa Catarina (1984) e doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997).

Referências

ARAUJO, A. C. B. A construção de sentido de um verbo prefixado: uma análise enunciativa do verbo descobrir. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Piauí. Teresina (PI), 2016.

BORBA, F. S. Uma gramática de valências para o português. São Paulo: Editora Ática, 1996.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation. Tome 1. Paris: Ophrys, 1990.

______. Pour une linguistique de l’énonciation: domaine notionnel. Tome 3. Paris: Ophrys, 1999.

De VOGUÉ, S.; FRANCKEL, J-J.; PAILLARD, D. linguagem e Enunciação: Representação, referenciação e regulação. São Paulo: Contexto, 2011.

FRANCKEL, J.-J. Situation, contexte et valeur référentielle. In. Textes, contextes, pratiques, n 129/130, 2006. p. 51-70

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Editora Objetivo, 2003.

LIMA, M. A. F. A construção de significação de ocorrências do adjetivo bom: identidade e variação. In. LIMA, M. A. F.; FILHO, F. A.; COSTA, C. S. S. M. (orgs.) Linguística e literatura: percorrendo caminhos. Teresina: EDUFPI, 2013.

LYONS, J. Linguística. In. Linguagem e linguística: uma introdução. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987. p. 43-64

PAILLARD, D. A propos des verbes prefixes. Slovo 30-31, INALCO, Paris, 2004.

______. Verbes préfixés et « intensité » en français et en russe. Travaux de linguistique 2007/2 (n° 55), p. 133-149.

RIVIÈRE, C.; GROUSSIER, M.L. Les mots de la linguistique. Ophrys, Paris, 1996.

Downloads

Publicado

07-08-2017

Como Citar

DE BARROS ARAÚJO, A. C.; LIMA, M. A. F. Uma abordagem enunciativa das relações antonímicas entre cobrir e des-cobrir. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 11, n. 3, p. 893–907, 2017. DOI: 10.14393/DL30-v11n3a2017-20. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/37287. Acesso em: 13 ago. 2022.