Gêneros digitais e relevância na construção de sentido: resultados interpretativos do chat em comparação com a conversação face a face

Autores

  • Dóris Cristina Gedrat Universidade Luterana do Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLE-v9n5a2015-8

Palavras-chave:

construção de sentido, relevância, conversação face a face, gêneros digitais, chat

Resumo

A partir das conclusões de pesquisas como Xavier (2002), Marcuschi (2010) e Araújo (2010) a respeito das qualidades do chat como gênero digital emergente, mostra-se, nesta pesquisa, como a interpretação relevante dos enunciados e, consequentemente, a construção de sentido durante a comunicação são influenciadas por tais propriedades, em comparação com o processo de compreensão durante uma conversação face a face. Sobre a interpretação dos sentidos, além do embasamento na teoria da relevância, de Sperber e Wilson (986/1995), também se consideram as pesquisas em Yus (2008) quanto às alterações da relevância na web. Entre as principais conclusões está que os fatores intervenientes devido à transmutação da conversa cotidiana para a esfera da web tornam o processamento de efeitos contextuais e a avaliação da relevância, um processo altamente complexo, em que os participantes precisam ter habilidade para fazerem associações entre informações de diversos formatos com o fim de atingirem efeitos contextuais e relevância. Isso gera aumento do esforço mental e, consequentemente, diminuição das chances de se chegar à relevância ótima sugerida por Sperber e Wilson.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dóris Cristina Gedrat, Universidade Luterana do Brasil

Letras - Linguística Aplicada

Downloads

Publicado

28.08.2015

Como Citar

GEDRAT, D. C. Gêneros digitais e relevância na construção de sentido: resultados interpretativos do chat em comparação com a conversação face a face. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 9, n. 5, p. 140–162, 2015. DOI: 10.14393/DLE-v9n5a2015-8. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/29152. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos