A natureza do complemento dos verbos aspectuais

Autores

  • Franciele da Silva Nascimento Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Núbia Ferreira Rech Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL19-v9n3a2015-11

Palavras-chave:

Verbos aspectuais do Português Brasileiro, Traços [±mudança] e [±durativo], Restrições

Resumo

Esta pesquisa analisou o comportamento dos verbos aspectuais do português brasileiro (PB) em contextos em que aparecem com predicados verbais e com nominalizações desses predicados na posição de seu complemento. Os aspectuais do PB tomados para estudo foram começar, continuar, parar, deixar, acabar e terminar. Para essa investigação, adotamos a subdivisão dos estativos proposta por Bertinetto (1986) para a língua italiana e estendida para o português por Ilari e Basso (2004). Esses autores distinguem os estativos em verbos tipicamente estativos, que não sofrem mudança em seu curso, como em Joana é alta, e verbos não-tipicamente estativos, que podem sofrer mudança, como em Carolina está com febre. Os verbos aspectuais selecionam um complemento marcado, necessariamente, com os traços [+mudança] e [+durativo], oferecendo, por isso, restrições a achievements, a predicados tipicamente estativos e aos nomes correspondentes a esses predicados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franciele da Silva Nascimento, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal da Fronteira Sul. Bolsista de Pós-Graduação do Programa FAPESC/CAPES de Formação de Recursos Humanos em CTI - CP 02/2013.

Núbia Ferreira Rech, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutora em Teoria e Análise Linguística pela UFSC. Professora na Universidade Federal de Santa Catarina

Downloads

Publicado

31-07-2015

Como Citar

NASCIMENTO, F. da S.; RECH, N. F. A natureza do complemento dos verbos aspectuais. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 202–221, 2015. DOI: 10.14393/DL19-v9n3a2015-11. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/28965. Acesso em: 18 ago. 2022.