De composição sintática a expressões congeladas: um olhar sintático-semântico sobre o léxico fraseológico e paremiológico

Autores

  • Caroline de Castro Pires Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL16-v8n2a2014-5

Palavras-chave:

Metáfora e Metonímia, Composição Sintática, Expressões Congeladas, Fraseologia e Paremiologia.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar uma proposta de identificação de expressões congeladas por meio do rastreamento do continuum existente entre os vários graus de congelamento, tal conceito permite verificar se uma palavra, expressão ou frase comporta-se como uma unidade semântica indissociável, isto é, comporta-se como um tipo particular de composto. Dessa maneira, pretende-se analisar desde as estruturas mais transparentes, ou seja, as unidades lexicais simples que expressam seu sentido pela denotação; até às estruturas opacas, cristalizadas, ou seja, as unidades lexicais complexas que apresentam um alto grau de deslocamento semântico, exprimindo seu sentido conotativo. A partir disso, este estudo se propõe a descrever o caminho desse continuum, partindo da composição sintática (expressões em vias de congelamento) até às expressões totalmente congeladas do léxico fraseológico e paremiológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline de Castro Pires, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Graduada em Letras, Língua Portuguesa/Língua Inglesa e respectivas literaturas, pela Faculdade de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e graduanda do curso de licenciatura em Letras, Língua Portuguesa/Língua Latina e respectivas literaturas, pelo Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foi bolsista SEAD no projeto Termisul e bolsista PIBIC-CNPq no projeto Implementação da Base de Dados do BDLG, ambos projetos do Instituto de Letras da UFRGS. Pesquisa na área Linguística, principalmente na subárea Teoria e Análise Linguística; estudando, sob um viés pancrônico, o aspecto semântico de prefixos (oriundos de preposições latinas) constituintes de unidades terminológicas simples e complexas de termos de áreas de especialidade e da língua comum. Outras áreas de análise são o estudo dos sufixos, a análise de consoantes epentéticas do PB sob um viés etimológico e do limite entre os processos de prefixo-sufixação e parassíntese. Especialista em Metodologias do Ensino de Língua Portuguesa e Estrangeira, foi orientadora educacional na instituição SENAC-RS. Atualmente é bolsista CNPq no projeto Epêntese consonantal: regular e irregular, na PUCRS.

Downloads

Publicado

17-12-2014

Como Citar

PIRES, C. de C. De composição sintática a expressões congeladas: um olhar sintático-semântico sobre o léxico fraseológico e paremiológico. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 70–86, 2014. DOI: 10.14393/DL16-v8n2a2014-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/27334. Acesso em: 18 maio. 2022.