A participação oral em uma sala de aula de Escola Pública: modelos interacionais na construção conjunta (ou não) do conhecimento

Autores

  • Jakeline Aparecida Semechechem Universidade Estadual de Maringá (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL12-v6n1a2012-28

Palavras-chave:

Participação oral, Construção conjunta do conhecimento, Sala de aula

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir como é organizada a participação oral nas aulas de uma 3.ª série do Ensino Médio de uma Escola Pública no sudeste do Paraná e enfatizar como a participação pode ou não contribuir para a construção conjunta do conhecimento. Para isso, foram utilizados os procedimentos teórico-metodológicos da Análise da Conversa Etnometodológica para a análise microetnográfica de 18 horas de dados audiovisuais de aulas. Os resultados mostram que a participação oral dessa turma nas aulas se dá tipicamente pelo modelo interacional Iniciação, Resposta e Avaliação (IRA), o qual consiste em fazer testagens do que os alunos já sabem, o que não possibilita espaço para construção conjunta de conhecimento. No entanto, embora que com menor frequência, o modelo IRA também é utilizado de uma maneira não tradicional (GARCEZ, 2006) para levar os alunos a participarem oralmente na produção das atividades. Desse modo, a partir dos dados de fala-em-interação das aulas analisadas, evidencia-se a importância do modo de organização da interação nas aulas para a construção conjunta e participativa do conhecimento em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jakeline Aparecida Semechechem, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Professora e coordenadora do Curso de Letras da Faculdade Alvorada de Tecnologia e Educação de Maringá e doutoranda em Letras no programa de pós-graduação da Universidade Estadual de Maringá.

Downloads

Publicado

23-07-2012

Como Citar

SEMECHECHEM, J. A. A participação oral em uma sala de aula de Escola Pública: modelos interacionais na construção conjunta (ou não) do conhecimento. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 528–548, 2012. DOI: 10.14393/DL12-v6n1a2012-28. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/14756. Acesso em: 13 ago. 2022.