As interjeições como atos expressivos

uma análise das variedades lusófonas à luz da Gramática Discursivo-Funcional

Autores

  • Michel Gustavo Fontes UNESP/SJRP

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL7-v4n1a2010-7

Palavras-chave:

Descrição funcional do português falado, Atos expressivos, Relações de equipolência e de dependência.

Resumo

Tomando a definição de atos expressivos proposta em Hengeveld & Mackenzie (2008) como atos que expressam um sentimento do falante sem necessariamente transmitir algum conteúdo informacional ao destinatário, pretende-se caracterizar tais atos nas variedades do português falado no Brasil, em Portugal, nos países africanos de língua portuguesa oficial e no Timor Leste. Segundo os princípios da Gramática Discursivo-Funcional, a ilocução de um ato expressivo teria como núcleo interjeições e locuções interjetivas. Desta forma, objetiva-se descrever o comportamento e o funcionamento dos atos expressivos no português falado, centrando-se em seus significados (sentimentos) e suas posições no Move.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michel Gustavo Fontes, UNESP/SJRP

Mestrando junto ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE), UNESP de São José do Rio Preto.

Downloads

Publicado

03.02.2011

Como Citar

FONTES, M. G. As interjeições como atos expressivos: uma análise das variedades lusófonas à luz da Gramática Discursivo-Funcional. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 4, n. 1, p. 97–114, 2011. DOI: 10.14393/DL7-v4n1a2010-7. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11526. Acesso em: 22 abr. 2024.