INTEGRAÇÃO DAS REDES VERTICAIS SUL - AMERICANAS: INVENTÁRIO EM VISTA DOS TERMOS DE REFERÊNCIA DO SIRGAS/IAG/GGOS

Conteúdo do artigo principal

Silvio Rogério Correia de Freitas
Andrea Galudht Santacruz Jaramillo
Silvana Philippi Camboim

Resumo

Na atualidade, as atividades centrais da Geodesia têm sido dirigidas em apoio à formação de Infraestruturas de Dados Espaciais (IDE) voltadas para sistemas de observação da Terra. Tal é o foco do Global Geodetic Observing System (GGOS) suportado pela International Association of Geodesy (IAG). O Nível 1 do GGOS se refere à infraestrutura geodésica terrestre, a qual está formada pelas redes geodésicas de referência terrestres materializadas, estações de monitoramento continuo, missões dedicadas, centro de dados e de análises. Diversos processos de monitoramento planetário, no contexto do GGOS, apresentam exigências de precisão relativa no referenciamento global que podem atingir a uma parte por bilhão (1ppb). Tal é o caso dos Sistemas Verticais de Referência (SVR) e suas materializações regionais e globais. Os SVRs assumiram papel preponderante, cumprindo com suas funções usuais em caráter regional e nacional, e sendo o fundamento para o monitoramento de processos físicos associados a mudanças no Sistema Terra. Desta forma foi estabelecida uma exigência implícita de caráter físico às Redes Verticais de Referência Nacionais (RVRN) além de suas integrações a um Sistema Vertical de Referência Global (SVRG). O Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (SIRGAS), respeito com seu Grupo de Trabalho III (SIRGAS-GTIII), procura atender às exigências do IAG/GGOS. Busca o desenvolvimento de atividades voltadas à modernização das RVRNs na América do Sul, Central e Caribe com a atribuição de significado físico às altitudes em cada país com base em números geopotenciais e promovendo suas integrações a um SVRG, consideradas suas heterogeneidades. O SIRGAS-GTIII tem estabelecido diretrizes, metodologias e termos de referência para o cumprimento destas tarefas que são discutidos neste trabalho. De forma central são propostas ações fundamentais para a modernização das RVRN no contexto do SIRGAS-GTIII. Também se considerou as normas da International Organization for Standardization, especificamente a ISO 19115 da ISO/TC 211 (Informação Geográfica/Geomática) para o uso e administração de dados espaciais e metadados. Com essas bases desenvolveu-se a metodologia do inventário das redes verticais baseadas em metadados, de acordo com os preceitos mais atuais, para o contexto do SIRGAS-GTIII na América do Sul, apontando com a futura criação de uma IDE para as Américas, segundo os objetivos de UN-GGIM Américas. Um estudo de caso relativo à RVRN do Equador é apresentado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
FREITAS, S. R. C. de; SANTACRUZ JARAMILLO, A. G.; CAMBOIM, S. P. INTEGRAÇÃO DAS REDES VERTICAIS SUL - AMERICANAS: INVENTÁRIO EM VISTA DOS TERMOS DE REFERÊNCIA DO SIRGAS/IAG/GGOS. Revista Brasileira de Cartografia, [S. l.], v. 67, n. 6, 2015. DOI: 10.14393/rbcv67n6-44642. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistabrasileiracartografia/article/view/44642. Acesso em: 23 abr. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Silvio Rogério Correia de Freitas, Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Departamento de Geomática.

Professor Titular do Departamento de Geomática da Universidade Federal do Paraná, com exercício de magistério desde 03/1971, inicialmente como professor de ensino técnico de segundo grau na UTFPR e a partir de 1977 na UFPR. Possui graduação em Física pela Universidade Federal do Paraná (1975), mestrado em Ciências Geodésicas pela Universidade Federal do Paraná (1980) e doutorado em Geofísica pela Universidade de São Paulo (1993) com estágio de um ano no Observatório Real da Bélgica na área de Geodinâmica.

Andrea Galudht Santacruz Jaramillo, Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Departamento de Geomática.

Engenheira Geógrafa ESPE - Ecuador, Mestre em Ciências Geodésicas pela UFPR. Atuação em IDE, bases de dados e metadados com ênfase em Sistemas Verticais de Referência.

Silvana Philippi Camboim, Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Terra, Departamento de Geomática.

Professora Adjunto do Departamento de Geomática da Universidade Federal do Paraná, com passagem na Diretoria de Geociências do IBGE. Tem experiência em bases cartográficas e na INDE. Doutora em Geodésia pela UFPR.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>