Educação e luta pela terra

a experiência com jovens do campo da Escola Família Agrícola de Sobradinho-BA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2023-66260

Palavras-chave:

Educação Popular, Educação do Campo, Pedagogia da Alternância, Juventude Rural, Defesa do Território

Resumo

Este artigo tem como objetivo descrever parte do processo formativo da Escola Família Agrícola de Sobradinho-BA (EFAS). Trata-se de uma experiência realizada para aprofundar os estudos com a juventude rural e a suas respectivas comunidades sobre o tema “situação e a luta pela terra”. A partir das mediações pedagógicas, respaldadas na Pedagogia da Alternância, elas envolveram ao todo trinta e cinco estudantes do 3º ano da EFAS, suas famílias e comunidades. Esse trabalho embasou-se em estudo descritivo de natureza qualitativa no qual o caminho metodológico se deu por meio da aplicação das seguintes mediações pedagógicas: Plano de Estudo (PE); Colocação em Comum (CC) e Caderno da Realidade (CR). A coleta de dados ocorreu por meio da observação participante e a pesquisa documental. Partindo da discussão da temática, os estudantes contextualizaram a base teórico-conceitual com as experiências das comunidades, e assim observaram de forma crítica as contradições existentes no seu contexto, despertando-os para a importância do reconhecimento e garantia do território pertencentes às comunidades tradicionais. Assim, essa experiência permitiu observar as contribuições da Pedagogia da Alternância e suas mediações pedagógicas na formação dos jovens de comunidades rurais enquanto pesquisadores, mobilizadores e agentes ativos transformadores da sua realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio César Novais Santos, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Mestrando em Extensão Rural na Universidade Federal do Vale do São Francisco, Pernambuco, Brasil.

Luís Almeida Santos, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Mestrando em Extensão Rural na Universidade Federal do Vale do São Francisco, Juazeiro, Bahia, Brasil; coordenador técnico de projeto sociais do Instituto Regional da Pequena Agricultura Apropriada, Bahia, Brasil.

Cristiane Moraes Marinho, Instituto Federal do Sertão Pernambucano

Doutora em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil; professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, Campus Santa Maria da Boa Vista, Pernambuco, Brasil.

Francisco Ricardo Duarte, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutor em Difusão do Conhecimento pela Universidade Federal da Bahia, Brasil; professor associado da Universidade Federal do Vale do São Francisco, Juazeiro, Bahia, Brasil.

Referências

ANDRADE, J. S.; FERNANDES, S. A. S. A importância da educação contextualizada para o desenvolvimento do semiárido. Nera, Presidente Prudente, v. 34, n. 19, p. 157-175, 2017. DOI: 10.47946/rnera.v0i34.4733. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/nera/article/view/4733. Acesso em: 29 jun. 2022.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BENÍSIO, J. D.; COSTA, T. P. (org.). Conferência Nacional da Pedagogia da Alternância do Brasil: 50 anos da Pedagogia da Alternância no Brasil. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA, 1., 2019; CONFERÊNCIA NACIONAL DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA DO BRASIL, 1., 2019, Salvador. Anais […]. Salvador: UNEFAB, 2019. Disponível em: http://jornadapedagogica.educacao.ba.gov.br/wp-content/uploads/2021/03/Anais-conpab-2019-50-anos-da-Pedagogia-da-Alternania-no-Brasil.pdf. Acesso em: 29 jun. 2022.

BENÍSIO, J. D. Mediações didáticas da pedagogia da alternância. Piúma: MEPES, 2018. Disponível em: https://www.mepes.org.br/documentos/acervo/docs-pedagogicos/MEDIACOES-PEDAGOGICAS.pdf. Acesso em: 29 jun. 2022.

BRANDÃO, C. R. O que é educação popular? São Paulo: Brasiliense, 2006.

BRASIL. Secretaria Geral da Presidência da República. Secretaria Nacional de Articulação Social. Departamento de Educação Popular e Mobilização Cidadã. Marco de Referência da Educação Popular para as Políticas Públicas. Brasília, 2014. Disponível em: http://forumeja.org.br/sites/forumeja.org.br/files/marco_de_referencia_da_educacao_popular.pdf. Acesso em: 29 jun. 2022.

CALDART, R. S.; MOLINA, M. C. Educação do campo. In: CALDART, R. S. et al. (org.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 257-264.

CALIARI, R. O. A presença da família camponesa na escola família agrícola: o caso de Olivânia. 2013. 563f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufes.br/handle/10/2173. Acesso em: 29 jun. 2022.

CAMPOS, R. S. S. Educação popular e educação do campo na articulação de concepções e práticas educativas emancipatórias. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 3., 2016, Natal. Anais […]. Natal: CONEDU, 2016. Disponível em: https://www.editorarealize.com.br/editora/anais/conedu/2016/TRABALHO_EV056_MD1_SA2_ID10183_17082016213621.pdf. Acesso em: 29 jun. 2022.

COSTA, T. P.; FREITAS, H. R.; MARINHO, C. M. Pedagogia da alternância na educação básica e profissional: conquistas e desafios em 25 anos de atuação da Rede das Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semiárido (REFAISA). Revista Brasileira de Educação do Campo, Tocantinópolis, v. 4, 2019. DOI: 10.20873/uft.rbec.e7327. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/campo/article/view/7327. Acesso em: 29 jun. 2022.

CUNHA, E. B. et al. Reflexão acerca da pedagogia da alternância no Brasil. In: BEGNAMI, J. B.; BURGHGRAVE, T. (org.). Pedagogia da alternância e sustentabilidade. Orizona, GO: UNEFAB, 2013. p. 249-262.

FALEIRO, W.; FARIAS, M. N. Educação do campo: entre a expansão política e o Estado Neoliberal. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 16, n. 1, p. 22–37, 2017. DOI: 10.14393/REP-v16n12017-art02. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/35092. Acesso em: 29 jun. 2022.

FERNANDES, B. M.; MOLINA, M. C. O campo da educação do campo. São Paulo: Editora da Unesp, 2004.

FERREIRA, B.; ALVES, F. Juventude rural: alguns impasses e sua importância para a agricultura familiar. In: CASTRO, J. A.; AQUINO, L. M. C.; ANDRADE, C. C. (org.). Juventude e políticas sociais no Brasil. Brasília: Ipea, 2009. p. 243-258.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GARCÍA-MARIRRODRIGA, R.; PUIG-CALVÓ, P. Formação em alternância e desenvolvimento local: o movimento educativo dos CEFFA’s no mundo. Belo Horizonte: O Lutador, 2010.

GERHARDT, M. C.; FRANTZ, W. Educação popular e movimentos sociais: possibilidades de relações democráticas. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 18, n. 1, p. 92-104, 2019. DOI: 10.14393/REP-v18n12019-46367. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/46367. Acesso em: 29 jun. 2022.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

GIMONET, J. A alternância na formação “método pedagógico ou novo sistema educativo?”: a experiência das Casas Familiares Rurais. In: DEMOL, J.; PILON, J. Alternance, developpement personnel et local. Tradução de Thierry de Burghgrave. Paris: L’harmattan, 2017.

GODINHO, E. M. S. O. Pedagogia da alternância. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 118-124, 2013. DOI: 10.5216/teri.v3i2.29802. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/29802. Acesso em: 29 jun. 2022.

KRAUS, L. A educação contextualizada no Semiárido brasileiro: entre desconstrução de estereótipos e construção de uma nova territorialidade. Revista de Geografia (UFPE), Recife, v. 32, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229122. Acesso em: 29 jun. 2022.

MEJÍA, M. R. Educação e pedagogias críticas a partir do Sul: cartografias da Educação Popular. São Carlos: Pedro & João Editores, 2018.

NOSELLA, P. Origens da pedagogia da alternância no Brasil. Vitória: EDUFES. 2012. (Coleção Educação do Campo).

RIBEIRO, C. S. et al. Aspectos econômicos e jurídicos que cercam a relação de camponeses com empresas exploradoras de energia eólica no município de Brotas de Macaúbas-Bahia. Nexos Econômicos, Salvador, v. 12, n. 2, p. 31-55, 2018. DOI: 10.9771/rene.v12i2.33986. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revnexeco/article/view/33986. Acesso em: 29 jun. 2022.

SANTOS, J. B.; ARAUJO, E. J. M. A educação do campo no campo da educação popular: caminhos para efetivação de uma educação emancipadora. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 18, n. 3, p. 56-73, 2020. DOI: 10.14393/REP-v18n32019-48761. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/48761. Acesso em: 29 jun. 2022.

STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte, Autêntica, 2015.

Downloads

Publicado

28-04-2023

Como Citar

SANTOS, J. C. N.; SANTOS, L. A.; MARINHO, C. M.; DUARTE, F. R. Educação e luta pela terra: a experiência com jovens do campo da Escola Família Agrícola de Sobradinho-BA. Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 22, n. 1, p. 42–60, 2023. DOI: 10.14393/REP-2023-66260. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/66260. Acesso em: 21 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)